Jump to content
Sign in to follow this  
Seu Furtado

Textos, letras e poesias dos usuários

Recommended Posts

Usagi White

Não vou curtir até vc colocar o restante :D

Share this post


Link to post
Share on other sites
Enzo Francisco

Não vou curtir até vc colocar o restante :D

:assobiando: Mas que restante?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Usagi White

Ela mesma disse q ainda está em construção, eu achei que era só uma parte da prosa.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Enzo Francisco

Ela mesma disse q ainda está em construção, eu achei que era só uma parte da prosa.

Ah, eu pensei que era sobre os meus textos que postei :tonguemad:

Share this post


Link to post
Share on other sites
Usagi White

ah sim tudo bem,eu achei que não precisaria quotar, provavelmente iria ficar muito grande.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Enzo Francisco

ah sim tudo bem,eu achei que não precisaria quotar, provavelmente iria ficar muito grande.

se ele é grande, poderia fazer quote de um trecho do texto

mas não tem problema ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Biia*~*

Para quem tiver interesse, eu postei um conto ^^

Diário de Antje - Página X

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Biia*~*

Lindonas, malz por postar em seguida!

É que o link que eu coloquei (Nyah!) vai passar por umas modificações de servidor, então tá um pouco fora do ar, mas creio que não demore a voltar :)

Postarei o mesmo conto ^^

Título: Diário de Antje - Página X

Módulo de conto

Sem personagens

Genero: Romance, Darkfic (nem tanto, mas me inspirei nisto)

Classificação: +14

Finalizada

Colocarei em spoiler

Parecia ficção...Eu em um ambiente sombrio, onde acabo me encontrando com um céu amargo e congelado diante de meus olhos; mas quente, com espíritos acelerados ao meu redor. Sou mais que uma organista; percebi que posso utilizar minha musicalidade como uma arma, descobrir coisas novas, apurar instintos científicos e definir toda minha independência.

Um lugar totalmente cheio de prédios desconstruídos, um solo arenoso, e seres que eu imaginava sua existência apenas num sonho mais remoto.

Era momento de batalha.

Seres de asas me dominavam. Estava pronta para atacar. Mas quando iniciei meus golpes de espada a este ser, acabei não prestando atenção a um certo detalhe: Era noite de Lua Cheia, a mais brilhante, mais evidente do que seria vista na Terra. Esquivando dos ataques ácidos, o brilho da Lua evidente ofuscou minha visão como numa hipnose; não enxergava mais nada a não ser o brilho estelar que me fez me tornar alvo das aves inimigas e acabar ainda mais com minha energia. Mas o que me deixava mais vulnerável era ver aquele príncipe encantador também armado e mais disposto. Ele enfrentava e parecia resistir ao cansaço, nem o brilho da Lua o impedia de continuar brilhando, era como se ela o admirasse e vencia com tamanha coragem, mas com uma beleza que só ele tinha. Um último inimigo acabou fugindo de sua mira, e por coincidência veio em minha direção, mas já não tinha mais forças para lutar. Com muito esforço, levantei minha espada e, por incrível que pareça, deu um golpe certeiro e fatal no inimigo.

Enquanto o príncipe desfilava calmo e com sua beleza intacta, eu, o admirava, perguntando por que ele estava neste lugar tão indócil e sombrio, que não condizia em nada com o encanto de sua alegria, de seu sorriso e eu perguntava isto para a Lua de luz forte que cada vez mais deixava aquele príncipe mais brilhante de cores e eu, cada vez mais mais cinza e apagada com cicatrizes pelo meu rosto e braços que desmaiei de frazqueza, como se o dia nunca mais amanhecesse em minha alma.

Diante da Lua, ele parecia cada vez mais angelical e eu, devastada por minhas tentativas de promover paz em uma terra infértil.

Mas ele olhou para minha figura adormecida e se aproximou delicadamente de mim. Ele poderia simplesmente ir embora, mas acabou por me carregar em seus braços e olhando fixamente para meu rosto, deu um beijo em minha testa e me abraçou sem medo, independente de minhas cicatrizes; um abraço onde o infinito não existia.

Quando abri meus olhos, fiquei paralisada. Fiquei assustada sem saber o que dizer; perguntava silenciosamente o porque de estar aqui. Ele acabou me dizendo que agradeceu a minha ajuda para derrotar o último inimigo e eu acabei pedindo desculpas por ter ficado tão fraca e que não queria estar exatamente ali, diante da Lua que acabou tirando minhas forças de lutar. Ele me disse que também não queria estar diante da Lua, mas agora entendeu o porque de estar diante dela: Ele me encontrou.

Queria flutuar nas asas de seu afeto, de uma maneira que não pude expressar com minhas palavras, mas beijei sua mão como uma maneira de demonstrar respeito a sua beleza. Ele colocou sua mão até meu rosto e me disse que não via a hora que eu acordasse para me dizer que eu podia anoitecer ao seu lado nesta noite de luar, para que eu finalmente entregasse todo meu afeto e acabei demonstrando com um leve beijo em seus lábios, que poderia assustá-lo, mas ele acabou se entregando com os olhos fechados e aprofundando seu carinho para não se desfazer do meu beijo. E nos nossos olhares, cuidamos um dos outro nos nossos suspiros mais sinceros...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Biia*~*

Colocarei uma tentativa minha de paródia de Canta Brasil interpretada por Gal Costa ^^

Minha tentativa de conceito foi a educação fiscal...

Paga Brasil

O Congresso extravasa à noite em luxos bárbaros

E o Povo perdendo seu ouro no banco.

Os brancos disfarçavam o amor nas suas gestões

E dessa disputa de poderes nasceu este espanto.

Brasil, minha pátria enloquecida

Já oxidou seus brasões

Na expressão mais acomodada

Do circo das eleições

Apesar da beleza deste céu

Pagamos pelo azul!

Nem na Aquarela do Brasil

Somos poupados de Norte a Sul!

Mas agora o teu lutar

Meu Brasil tem que melhorar

Na moda da raiz sertaneja

Na bossa do rio-mar

Oh!Este rio virará sertão

Na falta da fiscalização

E mais impostos a pagar

No Céu! No Mar! Na Terra!

Paga Brasil

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Monchito

Eu tenho guardados muitos textos meus escritos em versos (chamar de poesias seria muita pretenção), tanto em manuscritos quando digitados. Eu devo ter pelo menos uma dezena esquecida em CD's/DVD's de dados que fui juntando na gaveta ao longo dos anos. Estava dando uma olhada em uns arquivos de texto aqui no computador e me deparei com um de maio de 2010 que eu achei até que ficou melhor que a média do que eu escrevo. Eu ia postar no tópico do Rodrigo370 mas acho que aqui é mais apropriado.

Que acham?

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Bons Momentos

Quem dera ver os sonhos
Como um dia eu consegui
Se sentir a simplicidade
De música antiga no ar
De poder ser encantado
Ao por breve momento

Se felicidade é algo na gaveta
É lá que quero ficar
Com saudade de onde não estive
Sem lembrança de ninguém
Mas a melodia no peito
A paz de não estar no chão

Que ternas são afagos na mente
Sensação de brilho nos olhos
Maravilhoso é flutuar
Mesmo que por breve momento
Sem a cobrança do passado
Nem a opressão do futuro

Feliz seria o mais singelo
O menos expressivo já valeria
Como a calmaria de um inverno
Como um abraço da madrugada
Uma leve canção que arrepia
O suspiro ao fim de um belo filme

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Edited by Monchito
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Clark Kent

Belo texto. :D

Share this post


Link to post
Share on other sites
Chambón

Voltei páginas atrás para ler os poemas que publiquei aqui, e, sem exageros, quase vomitei.

Foi apenas mais uma fase, e graças a Deus, foi embora sem deixar rastros.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Luciano Junior ✅

POEMA - Cadê Você?

Essas semanas quase não te vejo,

Enquanto espero como queijo,

Onde você está?

Deve estar lá!

O que aconteceu?

Isso não é problema meu!

Edited by Carey Mahoney

Share this post


Link to post
Share on other sites
Usagi White

Minha Fanfic de Projeto Zeta para quem quiser ler:

Título: Não há mais como fugir.

Gênero: romance/drama

Introdução:

Rô e Zee estão quase na reta final do seu caminho. Porém o robô não se encontrava feliz com isso,pois encontrar seu criador significava se separar da loira. Isso o deixava desconfortável e confuso. O que irá acontecer?

https://www.fanfiction.net/s/11164972/1/N%C3%A3o-h%C3%A1-mais-como-fugir

Por favor,se quiserem comentar,comentem lá.

Edited by Usagi chan
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
chavesmaniaco1002

Vou ler assim que acabar de ver o desenho, para poder me situar. :joinha:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...