Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Victor235

RÁDIOS

Recommended Posts

Seu Furtado

Se comparado ao meu playlist de rádios que postei em dezembro de 2012, meu gosto mudou bastante: hoje as rádios daqui que tenho preferência são: Bandeirantes AM, Pampa AM, Universidade AM, Itapema FM, FM Cultura. Na internet costumo ouvir online a "Rádio Princesa FM" e a versão clássica da Rádio Guaíba.

Mas tem umas rádios aqui que acho insuportáveis, como a Eldorado FM, Cidade FM, 104 FM, Mix FM, Grenal AM/FM. Rádio que toca funk pra mim não é rádio... triste época do rádio gaúcho, que já teve o estilo Guaíba copiado por todo o país, que já teve nomes como Flávio Alcaraz Gomes, Maurício Sirotsky, Armindo Antônio Ranzolin, Cascalho, Amir Domingues, entre tantos outros. E os locutores? Nomes de voz potente como Ruy Strelow, Antônio Carlos Niedeurauer, Mário Mazeron, Milton Ferreti Jung.

A decadência moral-intelectual-econômica do Rio Grande do Sul está cada vez mais evidente.

Editado por Seu Furtado

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Chambón

Mas tem umas rádios aqui que acho insuportáveis, como a Eldorado FM, Cidade FM, 104 FM, Mix FM, Grenal AM/FM. Rádio que toca funk pra mim não é rádio...

Porque?

Afinal, rádio tem espaço para música e Funk, de um jeito ou de outro, também é música.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235

As rádios locais daqui, apesar de serem extremamente populares, quase ignoram o funk.

No máximo tocam músicas que fazem muito sucesso e acaba ficando "inegável" não tocar, como na época da explosão de MC Leozinho e MC Marcinho e hoje com Anitta e Naldo.

Mas funk mesmo, com tchu tchas mais evidentes e letras "proibidas", não toca. Só esses mais pops que a Globo gosta de puxar o saco.

Fora isso, nem "Ela é top" (que não é besteira) toca.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235

Já que falávamos de shows de rádio:

- Dia 01º teve show da Massa FM, em Curitiba/PR.

O show foi pago, de forma simbólica: 1 real e um brinquedo novo

Na programação, só craque:
Zezé Di Camargo & Luciano, Bruno & Marrone, Michel Teló, Edson & Hudson, Henrique & Diego, Eduardo Costa, Munhoz & Mariano, Leonardo, Israel & Rodolfo, Jeann & Julio, Douglas & Murilo, Thaeme & Tiago, Lucas Lucco, Marcos & Belutti, Rio Negro & Solimões, Pedro Paulo & Alex, Padre Alessandro Campos, George Henrique & Rodrigo.

Só o Ratinho pra formar um time desse em um show de rádio com ingresso a um real.

Desse pessoal, que eu saiba, já esteve em Matão: Zezé Di Camargo & Luciano (em show próprio), Michel Teló (em show de João Bosco & Vinícius, onde gravou seu primeiro clipe da carreira solo, que logo teve vários acessos e hoje é assistido em todo o mundo), Edson & Hudson (em festa da Saudades FM, ano passado), Henrique & Diego (em show próprio), Israel & Rodolffo e Rionegro & Solimões (em festa da Saudades FM, esse ano)

- E hoje é o show de aniversário da DBC FM, de Ibaté/SP.
Programação: Jayne, Adair Cardoso, Banda Djavú, Matogrosso & Mathias, Hugo & Tiago, Ricardo & João Fernando, Lourenço & Lourival, João Lucas & Walter Filho, Ronny e Rangel, Juliano Cézar, Pedro Paulo, Renan & Ray, Zé Neto & Cristiano, Bob Joe, Guatupê & Guaratuba, Renê Thristan, Silvano Lucas & Leandro, Ronaldo Filho & Araguaia, Joel Marques, Patricia Romania, João Lucas & Matheus, Matheus Ghidelli, Fábio Henrique & Alessandro, Paulinho Fera, Leandro & Larissa, Toninho Matos, Rodrigo Lyns e Alessandra Rios.

Muita gente desconhecida.

Vale um pouco por Renan & Ray, Adair Cardoso e Ronny & Rangel
Médio por Lourenço & Lourival, Ricardo & João Fernando e Hugo & Tiago
E os melhores devem ser Zé Neto & Cristiano e, claro, Matogrosso & Mathias

Desse pessoal, que eu saiba, já esteve em Matão: Juliano Cezar (em trezentas ocasiões), Silvano Lucas & Leandro (em festa da Saudades FM), Lourenço & Lourival (em evento), Ricardo & João Fernando, Ronny & Rangel e Hugo & Tiago (em festas da Saudades FM)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
iago83

As rádios que mais gosto de ouvir são a Alegria FM 92.9 e a Caiçara AM 780.

Tenho um amigo, que se chama Oliveira Júnior, que apresenta o Show da Madrugada, na Rádio Caiçara. Ele é muito engraçado e foi dele que tirei este negócio de "Pai do Bardanha" e de "derreter o rego da cueca". O programa dele tem mais de 50 pontos de audiência e passa das 01 ás 06h, de segunda a sábado.

Pode ser ouvido em http://www.redepampa.com.br/novo/radiosonline/caicaraam.php Eu ouço esse programa todos os dias e morro de rir das besteiras que passa nesse programa.

Outra rádio que gosto muito é a Rádio União FM 105.3 mas hoje não escuto muito.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235

NOTÍCIAS
Após quase 2 anos, São Paulo tem uma rádio sertaneja na liderança: Nativa.
André Piunti
07/02/2014 15:36

Quase dois anos depois, uma rádio sertaneja volta a liderar o ibope na cidade de São Paulo.

ntva.jpg

A Nativa FM apareceu na primeira colocação em números gerais na pesquisa divulgada ontem pelo instituto, sendo acompanhada pela Transcontinental FM, que estava em primeiro desde meados de 2012.

A ausência de uma rádio sertaneja no topo durante todo o ano passado foi reflexo direto de uma queda no mercado sertanejo como um todo, além do fortalecimento de outros ritmos populares, como o funk, principalmente. A Transcontinental FM e a Band FM, 3ª colocada, são rádios que justamente tocam um mix de gêneros populares.

A mais recente ascensão da Nativa FM é, sem dúvida, um ótimo sinal pra música sertaneja.

___

Falando em rádio sertaneja em São Paulo, quem passou recentemente por uma mudança importante foi a Tupi FM, ou “ex-Tupi”. Por uma questão judicial, a rádio passou a se chamar Top FM no início de janeiro, o que fez a emissora investir na divulgação da nova marca.

tpop.jpg

A mudança de nome, ao menos por enquanto, não atrapalhou o desempenho da rádio. Ela aparece na pesquisa, ainda como Tupi FM, em 4º lugar, a frente da 105FM, que completa o Top 5.

UNIVERSO SERTANEJO/UOL

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Enzo Francisco

Fundada por Gerado de Aquino em 02 de agosto de 1971, Rádio Rio de Janeiro é uma emissora de rádio AM carioca que transmite, na maioria de sua programação conteúdo espírita-kardecista. A fundação ocorreu através da Fundação Cristã-Espírita Cultural Paulo de Tarso, a FUNTARSO. Instituída em 05 de fevereiro do mesmo ano, a Rádio foi criada com uma certa missão:

"Divulgar os postulados cristãos-espíritas e propugnar pela educação, cultura e formação moral e ética do ser humano, através dos meios de comunicação disponíveis."

Atualmente, a emissora carioca conquistou o 3º lugar de audiência com seu conteúdo. Entre eles, os programas Mulher Brasileira e Espaço Jovem, ambos apresentados por Mônika Christie.

Ela é transmitida em 1400 kHz, prefixo de ZYJ462, somente para o Rio de Janeiro. Mas se pode ouvir para todo o Brasil, e todo o mundo clicando aqui.

Mais informações: site da rádio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Clark Kent

Tópico mesclado. :s_success:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Enzo Francisco

Tópico mesclado. :s_success:

Obrigado, querido! :)

Notícia sobre Rádio Rio de Janeiro:

A Era da Luz some e é substituída por Músicas de Todos os Tempos:

O programa carioca trocou o programa A Era da Luz, apresentado por Carlos Vereza e Márcia Beatriz Zenkye, pelo programa Músicas de Todos os Tempos, apresentado por Célio Berrondo. O motivo foi que uma empresa que patrocinava o programa não patrocina mais. Não há prévia de volta. A mudança foi feita no início de fevereiro. Não se sabe se os programas de Célio Berrondo são reprises de programas passados.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235

NOTÍCIAS
Sertanejo domina programação das rádios
20 de maio de 2014
Helder Maldonado

dialerual_nota_miniatura.jpg

Nos últimos 15 anos, a indústria musical passou por radicais transformações. A forma de consumir música mudou, as gravadoras diminuíram sua importância no processo de gravação e divulgação de discos e as plataformas digitais crescem constantemente. A produção de shows também ficou mais organizada e profissional no Brasil. E, claro, os gostos dos consumidores de música mudaram severamente.

Segundo pesquisa realizada pela Crowley nos últimos 14 anos o sertanejo foi o gênero que mais ganhou notoriedade na execução em rádios, enquanto a MPB se transformou num dos gêneros menos ouvidos no país. Para se ter uma ideia da discrepância, enquanto músicas sertanejas, no ano passado, foram executadas 838 mil vezes (nas emissoras auditadas pela empresa), a MPB teve menos de seis mil execuções. E o rock, cuja percepção é a de ser um estilo com pouco espaço na mídia, ainda garante uma honrosa quarta posição entre os estilos mais tocados (41 mil execuções), atrás do pop nacional e internacional (220 mil) e samba/pagode (160 mil) – números de 2013.

Apesar de focado apenas em rádios, o levantamento pode ser utilizado como parâmetro seguro para determinar a importância de gêneros e artistas no mercado nacional. Afinal, é principalmente através dessa mídia que a maioria dos consumidores toma conhecimento dos lançamentos e cria vínculo com seus ídolos.

ASCENSÃO E QUEDA
Não é novidade que o sertanejo dominou as paradas de sucesso nos últimos anos. Porém, o que poucos sabem é que a predominância do estilo nas rádios é muito maior que o imaginado. Hoje, 60% da programação das AMs e FMs é basicamente sertaneja. Todos os demais estilos somados garantem a fatia restante de espaço nas emissoras. Em 2013, foram 838 mil execuções de faixas sertanejas contra 625 mil dos gêneros restantes.

É algo bastante representativo. Em raros mercados, observa-se tamanho domínio de determinado estilo musical. Não à toa, quase todas as cidades do país contam anualmente com pelo menos uma grande festa, feira ou festival sertanejo. Se prestarmos atenção na programação de milhares de emissoras não medidas pela Crowley, sobretudo no interior, observaremos que gêneros mais elitizados, como MPB, praticamente não são executados. Como reflexo, não há demanda nessas cidades para shows de nomes que não façam a linha mais popular.

Ainda de acordo com a empresa de monitoramento, na segunda posição do ranking está o gênero pop (singles nacionais e internacionais). No ano passado, foram 325 mil execuções nas rádios Crowley. O estilo, porém, já liderou o ranking em várias ocasiões. Em 1999, quando começou o monitoramento da empresa, esse gênero garantia a segunda posição, atrás apenas do pagode. Nos três anos seguintes, porém, ficou na dianteira da lista, feito que voltou a se repetir em 2006, 2007 e 2008. De 2009 em diante, o sertanejo aparece dominando as paradas.

Apesar do pop ter obtido importância suprema durante seis anos na última década e meia, foi apenas recentemente que grandes ícones internacionais do gênero começaram a fazer shows com mais frequência por aqui.

Já a MPB perde importância ano após ano. No período da pesquisa, o estilo só teve relevância em 2000 e 2001, com 100 e 200 mil execuções respectivamente. Em 2010, a MPB quase sumiu das rádios, chegando à casa das duas mil execuções. Em 2013, foi um pouco melhor, mas continua como o menor desempenho entre os gêneros populares, com cerca de 6 mil. Não à toa, o estilo hoje é bastante dependente de leis de fomento para realização de turnês e lançamentos de discos. Para se ter uma ideia, o forró, gênero quase inexistente nas rádios em 1999 (duas mil execuções), teve grande destaque nos anos seguintes por conta do movimento universitário e hoje tem cerca de 15 mil execuções anuais. Não é muito, mas supera a MPB.

Já o rock vive em uma gangorra desde 1999. No ano em que as pesquisas começaram, o gênero era o quarto mais tocado nas emissoras do país. A posição ainda é a mesma, porém os números são outros. Há 15 anos eram 220 mil execuções no período, diante das 41 mil registradas em 2013. É claro que o estilo não tem a mesma importância de outros tempos no nosso mercado, porém mantem um público mais fiel que o da MPB.

O axé também vive um mau momento. Hoje, o gênero garante apenas 10% do espaço que tinha em 1999, com 11 mil execuções. Já o samba/pagode, apesar de ter perdido metade do espaço de 15 anos atrás, ainda ocupa uma honrosa terceira colocação, com cerca de 160 mil execuções. Dance music (11 mil) e black music (26 mil) são os outros gêneros que compõem a lista, mas sem muito destaque.

OS MAIS OUVIDOS
O levantamento da Crowley inclui também os artistas mais tocados dos últimos 14 anos. No topo da lista está a dupla Bruno & Marrone, que tocou quase meio milhão de vezes nas rádios brasileiras desde 1999. Impossível ter vivido os últimos anos no Brasil sem ter ouvido um sucesso sequer da dupla. Em seguida, aparecem Zezé Di Camargo & Luciano, Leonardo e Daniel – comprovando que, apesar de décadas de estrada, ainda continuam entre os preferidos do público e das rádios. Exaltasamba (7º), Sorriso Maroto (8º) e Belo (10º) demonstram a força que o pagode ainda tem. Ivete Sangalo (5ª colocada) representa as mulheres e o axé entre os 10 mais bem posicionados. E Luan Santana (6º) e Victor & Leo (9º) representam a nova geração da música sertaneja. Caso tivessem o mesmo tempo de carreira dos cinco primeiros mais ouvidos nas rádios, é provável que estivessem melhor ranqueados.

Apesar do pop ser o segundo estilo mais tocado no país, os artistas nacionais mais bem posicionados há anos não estão em evidência. KLB (12º) e Sandy & Junior (13º) não tem uma música relevante nas programações há pelo menos quatro anos. Isso demonstra que o gênero carece de representantes brasileiros, já que os ícones do estilo com execução relevante no país hoje em dia são estrangeiros, como Rihanna (11º), Beyoncé (26º), Black Eyed Peas (29º), Chris Brown (38º), Bruno Mars (40º), Britney Spears (43º), Lady Gaga (44º), Katy Perry (45º) e Mariah Carey (47º).

No rock, o nome com mais espaço é o Skank (17º). A banda mineira teve mais execuções que artistas do segmento como Charlie Brown Jr (25º), NX Zero (41º), Capital Inicial (64º), Coldplay (72º e única banda de rock internacional a figurar na lista dos 100 mais tocados), Titãs (92º) e Pitty (96º).

Já a MPB aparece apenas em 48º, com Ana Carolina, seguida de Vanessa da Mata (67º), Seu Jorge (87º) e Tribalistas (95º). Por sua vez, Roberto Carlos, representante-mor da música romântica, aparece em 81º lugar no ranking de 1999 a 2013.

Artistas com pouca ou nenhuma atividade nos últimos anos também merecem ser citados, já que continuam em destaque entre os mais tocados no período medido pela Crowley. É o caso d’Os Travessos, grupo que voltou com a formação original recentemente. A banda é a 17ª mais tocada no país nessa última década e meia. Mesmo caso de Vavá (60º), ex-Karametade.

NO DIGITAL É DIFERENTE
Se nas execuções de rádio, o sertanejo lidera sem concorrentes próximos, nas rádios de internet o pop e o rock atingem quase a mesma relevância. A lista dos mais tocados na web é diferente das emissoras convencionais. Na primeira posição está Vagalumes, da banda Pollo com participação de Ivo Mozart.

Por sua vez, nesta lista Vidro fumê (Bruno & Marrone) só aparece na 10ª posição. A diferença de perfil do consumidor está ligada ao público que cada mídia atinge. Ainda hoje, só consomem música em plataformas digitais pessoas de classes mais altas, o que, de certa forma, reflete a posição do pop e do rock nessa lista.

ranking_crowley.jpg

PORTAL SUCESSO (grifos meus)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235

Vejam que loucura: o cara fez uma interferência na frequência 88.7 FM de forma que se ele colocar um negócio no acendedor de cigarros do carro ele pode usar o rádio comum como um tocador de MP3s players.

[YouTube]

Será que se alguém passar do lado do carro dele e sintonizar nesta frequência chega a pegar?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
iago83

Avaliação das rádios da Grande Porto Alegre

Antena 1 - É uma ótima rádio adulta, mas desvaloriza muito a música brasileira, e passa música internacional. E uma rádio adulta contemporânea para ser boa precisa ter também MPB em seu cardápio. No enanto, eu gosto da Antena 1, é uma boa rádio. Nota 8

Cidade - Essa emissora passa muito funk e pagode, que são as músicas que eu odeio bastante. No entanto, eu escuto a rádio Cidade pela manhã, e já ouvi tocar flashbacks e músicas antigas, o que faz com que a emissora melhore um pouco. Nota 7.

Alegria - É uma rádio que vai na onda do momento, passando sertanejo universitário, e tchê music, mas também valoriza a música caipira e o sertanejo dos anos 70, 80 e 90 (e até coloca música gaúcha nos domingos!). Isso faz com que eu goste dessa emissora, por apelar para uma programação que não vai muito na onda do momento. Nota 10.

Gaúcha - Sem comentários, a melhor rádio jornalística do RS. Nota 10.

Atlântida - A maior bos** do sul do Brasil. Nota 6.

Pampa - Também é uma boa rádio jornalística, conta com bons locutores, e recentemente foi para o FM, igual a Gaúcha, Guaíba e a sua "irmã esportiva", a Grenal. No entanto, o Otávio Dumit Gadret precisa investir mais na Pampa para ficar melhor. Nota 8.

Grenal - Uma ótima rádio esportiva. Já ouvi bastante esta emissora, e é inovadora por ser a primeira em ser 24h de futebol. Nota 9.

Eldorado - Deveria se chamar "Elcagado", por que é uma emissora que só toca bos** como Pagode e Funk. Falando em Funk, essa emissora faz um verdadeiro baile funk de noite, das 20h ás 05h, só tocando lixo. Nota 5.

Continental - Essa rádio é uma das melhores rádios adultas que existem. O único problema é que funciona no estilo Pampa: Uma música, mais a hora certa e manchete d'O Sul. Mas é boa, eu gosto e escuto bastante. Nota 10.

Novo Tempo - Uma rádio religiosa que passa a melhor música gospel, tem um jornalismo forte e dedica não só à música gospel mas também a receitas, vida saudável, família e comportamento. E digo isso não por eu ser adventista, mas por que eu já ouvi essa emissora e até um dos professores da escola onde estudo foi locutor dessa rádio. Muito boa, nota 10.

Liberdade - Também é boa, valoriza a tradição gaúcha, mas também funciona no estilo Pampa: uma música, mais a hora certa e manchete d'O Sul. Mas eu também gosto. Nota 10.

Guaíba - Está sendo muito sucateada pelos pastores da Universal. Nota 6.

Itapema - É uma boa rádio adulta. No entanto, essa é outra que está sendo sucateada pela RBS. A Itapema teve as suas emissoras em Santa Maria (105.7) e Caxias do Sul (102.7) extintas, que deram lugar para a Gaúcha, o que é bom e ruim ao mesmo tempo, pois a Gaúcha investe em emissoras no interior. Por outro, lado, a Itapema perde espaço no interior, diferente da sua concorrente, a Antena 1, que tem emissoras em Santa Maria, Pelotas e Bagé. Tudo isso, é resultado da burocracia em conseguir concessões de rádio AM e FM ou de TV, o que faz com que as emissoras sejam substituídas por outras. Nota 8.

104 - É uma bos** e uma maravilha ao mesmo tempo. É ruim por ir mais na onda do momento. Por outro lado, já ouvi a 104 pela manhã, e a música sertaneja antiga também é valorizada na 104. Ah, e também inova por passar também o rei da música popular brasileira Roberto Carlos. É uma rádio que não gosto muito, mas é tão ruim que é tão boa! Nota 8.

Aliança - Uma ótima rádio católica. Nota 10.

Mix FM - Outra iniciativa da Ulbra, trazer a Mix para o RS, que já perdeu uma rádio jovem (Jovem Pan), o que faz com que teríamos que aturar uma rádio que é uma bos** (Atlântida). É uma boa rádio jovem, porém a potência é de 25 kw, o que faz com que não tenha uma cobertura das melhores na Grande Porto Alegre. Eu moro perto de Porto Alegre, e a Mix não pega com muita qualidade no meu celular. Já no rádio do carro tem uma ótima cobertura. Eu gosto, e a minha nota para a Mix é 9.

Farroupilha - É uma daquelas rádios destinadas ao povão, com músicas velhas, mas eu já ouvi algumas vezes a Farroupilha e nela, também toca música do presente. No entanto, a Farroupilha é sensacionalista demais se comparada à sua concorrente, a Caiçara. Mas, a Farroupilha tem uma cobertura melhor que a da Caiçara, 50 kw. Também é a única rádio que faz shows gratuitos e também é uma rádio que é assistencialista com a população carente, o que eu acho bom. Nota 8.

Caiçara - É outra rádio do povão, que também passa música velha, o que é bom e ruim ao mesmo tempo, pois é uma das poucas rádios que valoriza os tempos antigos, mas se ouvir demais, pode acabar ficando irritante. Mas assim como a Farroupilha, já ouvi tocar música do presente como Raça Negra, Régis Danese ou Paula Fernandes, etc... Além disso, é uma rádio que deixa o sensacionalismo de lado, mas possui uma cobertura muito ruim, se comparada à Farroupilha, a potência da Caiçara de 25 kw, e quando eu ouço no carro, causa muita interferência. Assim como a Pampa e a Grenal, também precisa migrar para o FM. De preferência para um dos dois canais da Liberdade (101.9 ou 104.9). E outro ponto ruim da Caiçara é que aos domingos, essa rádio também funciona no estilo Pampa: vitrolão via PC, a hora da Caiçara e uma manchete d'O Sul. Nota 8.

Editado por iago83
  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235

Legal sua análise, Iago.

Mas já te falei que as rádios "tocam", não "passam" músicas.

Tem uma loja de 1,99 daqui que ouve essa rádio Antena 1 (provavelmente via internet) todo o dia e o dia todo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.

×