Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Lucas Fernando

POLÍTICA

Recommended Posts

Victor235
Presidente do Senado corta luz e sessão da reforma trabalhista é suspensa

Eunício ficou irritado com senadoras que ocuparam a Mesa para tentar obstruir trabalhos

POR BÁRBARA NASCIMENTO
11/07/2017 12:20 / atualizado 11/07/2017 15:01

Imagem
Plenário do Senado às escuras após ordem do presidente da casa, senador Eunício Oliveira de desligar as luzes. - Ailton Freitas / Agência O Globo

BRASÍLIA - As senadoras da oposição Gleisi Hoffmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PcdoB-AM) , Fátima Bezerra (PT-RN) e Regina Souza (PT-PI) ocuparam a Mesa do plenário do Senado na manhã desta terça-feira e se recusam a deixar o posto. O presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), chegou para comandar a sessão da reforma trabalhista e tentou conversar com as senadoras, mas não foi atendido. Ele ficou visivelmente irritado e suspendeu os trabalhos. O protesto já dura quase três horas. Dispostas a ficar o quanto for necessário, as senadoras pediram, inclusive, marmitas, que foram abertas na própria mesa.

Após cerca de 10 minutos de sua chegada, Eunício tomou o microfone da senadora Fátima Bezerra, que presidia a sessão. Ele disse ainda que iria cortar o som dos microfones até que pudesse comandar os trabalhos e foi aplaudido por senadores da base, que exclamavam que era preciso "acabar com essa bagunça" e ameaçavam denunciar as parlamentares ao Conselho de Ética da Casa. Apesar da situação, as senadoras permaneceram na mesa da Presidência.

— Está encerrada a sessão e não tem som enquanto não sentarmos nesta Mesa. Está suspensa a sessão — corrigiu o presidente do Senado.

Reforma trabalhista: Senado fica às escuras com protesto de senadoras
Imagem
Em protesto contra a votação da reforma trabalhista, as senadoras da oposição Gleisi Hoffmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PcdoB-AM) , Fátima Bezerra (PT-RN) e Regina Souza (PT-PI) ocuparam a Mesa do plenário do Senado na manhã desta terça-feira e impediram que o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), desse início à sessão. Ele suspendeu a sessão e desligou luzes e microfone da casa.
Foto: ANDRE COELHO / Agência O Globo

Imagem
As senadoras permanecem há mais de três horas na Mesa do Plenário do Senado. Elas chegaram a pedir comida em quentinhas para almoçar no próprio local. Foto: Ailton Freitas / Agência O Globo

Imagem
Gleisi Hoffmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PcdoB-AM) , Fátima Bezerra (PT-RN) e Regina Souza (PT-RJ) se recusam a deixar o local. Foto: Ailton Freitas / Agência O Globo

Eunício fechou todas as entradas ao plenário e cercou o lugar de seguranças, proibindo qualquer novo acesso à sala. Ele deixou o local por volta de 12h20, rumo ao gabinete da presidência e disse que a sessão estava suspensa. As luzes foram apagadas e microfones desligados. Questionado sobre quando retomaria a sessão, ele foi direto:

— Quando essa ditadura deixar.

As senadoras tentam obstruir a votação da reforma trabalhista prevista para esta terça-feira. Fátima Bezerra abriu a sessão destinada à votação da reforma. Neste primeiro momento, estão previstos pronunciamentos na tribuna.

A sessão que discute a reforma começou às 11h, mas o presidente do Senado chegou por vor volta das 12h.

Os senadores da base do governo sinalizaram que a opção que está na mesa é levar a sessão para outro local. O auditório Petrônio Portela já está sendo organizado por assessores. Questionado se a votação poderia ocorrer mesmo sem o painel eletrônico, que detalha as votações nominais, o vice-presidente da casa, Cássio Cunha Lima, afirmou que o painel nem sempre existiu no Senado e que votações ocorriam do mesmo jeito.

Uma série de manifestantes que conseguiram entrar no Senado, apesar do rigoroso sistema de segurança, se concentram na porta do auditório com gritos de protesto contra a reforma e contra o presidente Michel Temer. A imprensa está proibida de se aproximar do local.

O GLOBO

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
JF CHmaníaco

Parabéns ao Eunício, palhaçada o que essas aí estão fazendo.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235

Veja o que falaram sobre este episódio de terça:

NOTÍCIAS

Bombardeio. Na correria para apagar o incêndio provocado pela ocupação da Mesa do Senado, ontem, Romero Jucá foi interrompido pela secretária: “Senador, os chineses já chegaram no gabinete”. Jucá rebateu: “Chineses? Não vê que estou cheio de norte-coreanas para encarar?”

Chega. Eunício Oliveira foi firme com petistas que estavam no Senado ontem reforçando o protesto contra a reforma trabalhista. “O senhor não vai falar aqui porque não é senador”, disse ao deputado Henrique Fontana (PT-RS), que gritava contra o projeto aprovado pelo plenário.

Gancho. Governistas querem que o Conselho de Ética do Senado aprove, como exemplo, suspensão por 30 dias do mandato das senadoras que ocuparam a Mesa.

FRENTE A FRENTE

“Em vez de protestar contra a reforma, devolvam os recursos que foram desviados lá da Petrobrás.”
Senador José Medeiros (PSD-MT)

“Do que o senhor está falando? O senhor é suplente aqui no Senado! Nem voto o senhor tem!”
Senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR)

COLUNA DO ESTADÃO / ESTADÃO

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235
Senado discute de cassação de Jean Wyllys a veto à candidatura de Bolsonaro

As chamadas 'ideias legislativas' são propostas pela sociedade civil e quando atingem a marca de 20 mil assinaturas no site da Câmara são aceitas para debates entre senadores; atualmente, há 43 propostas desse tipo

Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo
27 Julho 2017 | 16h51

O que a descriminalização da Cannabis para consumo próprio, um referendo pela restauração da monarquia no Brasil, a criminalização do funk, proibição da candidatura de Jair Bolsonaro (PSC-JR) à Presidência e a cassação de Jean Wyllys (PSOL-RJ) têm em comum? Todas são “ideias legislativas” apoiadas por mais de 20 mil pessoas e encaminhadas à Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) para serem debatidas pelos senadores.

Assim como essas, outras 43 “ideias legislativas” já foram encaminhadas para a CDH.  Tratam-se de propostas sugeridas por cidadãos comuns por meio da página e-cidadania, no site do Senado Federal.  Entre essas ‘ideias’, nove já receberam parecer da comissão e uma delas foi convertida em projeto de lei – aquela que proibe “o corte ou a diminuição da velocidade por consumo de dados nos serviços de internet de Banda Larga Fixa”. 

1501185009359.jpg
Os deputados Jair Bolsonaro (PSC-JR) e Jean Wyllys (PSOL-RJ) Foto: Fabio Motta e Marcos d ePaula/Estadão

“Essa já é a página mais acessada do site do Senado. As pessoas se mostram interessadas em participar de democracia. Com a força das redes sociais, algumas sugestões conseguem, rapidamente, atingir a marca dos  20 mil apoiamentos”, fala o Secretário-Geral da Mesa do Senado Federal, Luiz Fernando Bandeira. “Quase todas as propostas são mantidas no site - apenas eliminamos aquelas que evidentemente estão em desacordo com a Constituição Federal”, completa.

A “ideia legislativa” com mais apoios pede o “fim do auxílio moradia para deputados, juízes senadores” (233.080 mil apoiadores); em segundo lugar vem a que  pede a  “redução de impostos sobre games do atual 72% para 9% “ (75.930 mil apoiadores). No caso do fim do auxílio moradia, ela será levada ao plenário do Senado e descartada, com um parecer desfavorável ou a justificativa de não se tratar de uma matéria de competência exclusiva do Senado. Já a sugestão sobre os impostos do jogos eletrônicos já está em tramitação da CDH. 

Entre as ideias sugeridas na página do e-cidadania (cada ideia tem 4 meses para alcançar o mínimo de 20 mil apoiamentos), destacam-se algumas propostas um tanto quanto polêmicas ou exóticas.  A ideia que criminaliza o funk, feita por um empresário paulista, aguarda o parecer do senador Romário (Podemos-RJ), que já se mostrou contrário à ideia. Não está descartada a possibilidade de um debate público com a presença de artistas como Anitta e Valesca Popozuda. Já o referendo sobre a volta da monarquia está  tramitando na CDH e aguardando o parecer do senador Sérgio Petecão (PSD-AC).

Polarização. As ideias legislativas também se transformaram em um campo de batalho política/eleitoral. Entre as ‘ideias’ é fácil encontrar aquelas que pregam a cassação de determinados políticos. Os deputados Jair Bolsonaro (PSC-JR) e Jean Wyllys (PSOL-RJ) são campeões nesse quesito.

A proposta que visa impedir a candidatura de Bolsonaro foi proposta pelo sergipano Gabriel Costa. Na descrição de sua proposta, Costa escreveu: “Jair Messias Bolsonaro, um político de um caráter autoritário e cruel, preconceituoso e uma ameaça à Democracia. Alguém como ele não deve se candidatar à Presidência da República. Pelo bem da democracia e pelo povo brasileiro!” (essa ideia já tem mais de 30 mil apoiadores). Por outro lado, o deputado Jean Wyllys também tem uma “ideia” pedindo sua cassação (“Cassação do Deputado Jean Willys por desacato a Sergio Moro). A proposta já tem quase 71 mil apoiadores e também deve ser levada ao  senado. Ao chegarem na comissão, as propostas que atingem Bolsonaro e Wyllys terão parecer desfavorável por não se tratarem de matéria de competência do Senado.

ESTADÃO

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235
Acompanhe a cobertura da mídia sobre o julgamento de Lula

VEJA
lula-2018-435.jpg?quality=70&strip=info&
Lula pede prescrição da pena e direito de recorrer em liberdade
Os defensores sustentam em manifestação ao tribunal o esgotamento do prazo para o Estado punir Lula por delitos que, segundo a acusação, teriam ocorrido em 2009.
https://veja.abril.com.br/politica/lula-pede-prescricao-da-pena-e-direito-de-recorrer-em-liberdade/

brasil-lula-poa-20180123-0011.jpg?qualit
Lula chega a Porto Alegre para ato na véspera de seu julgamento
Os organizadores do ato falam em 40.000 pessoas presentes.
https://veja.abril.com.br/politica/lula-chega-a-porto-alegre-para-ato-na-vespera-de-seu-julgamento/

CARTA CAPITAL
729fa9b9-dd99-403d-bceb-4e107e873d0e.jpe
No acampamento pró-Lula, ele é esperança de vida melhor
Roberta Luzzardi, engenheira agrônoma e professora na Universidade Federal de Pelotas (RS), trazia no colo o filho Inácio, de 11 meses. Militante dos movimentos sociais há quase 20 anos, via no filho o sentimento maior por estar presente nas manifestações. “Luto pelo meu filho, pelos nossos filhos, pelas gerações que ainda virão. Esse momento é histórico e fiz questão de estar aqui para apoiar a candidatura de Lula”, disse.
https://www.cartacapital.com.br/politica/no-acampamento-pro-lula-ele-e-esperanca-de-vida-melhor

ISTOÉ / ESTADÃO CONTEÚDO
Zelador do triplex do Guarujá pede Lula na cadeia
"Como o engenheiro da OAS, na época, já tinha me pedido para não falar que ele ia no apartamento, que o apartamento pertencia a ele, depois desse depoimento eu tive um atrito com eles lá, por causa que eu falei no depoimento que ele (Lula) ia lá e que o apartamento era dele, o pessoal estava falando que eu ia ser demitido", disse o zelador.
https://istoe.com.br/zelador-do-triplex-do-guaruja-pede-lula-na-cadeia/

ZERO HORA
Como tem sido a rotina de Lula às vésperas do julgamento em Porto Alegre
"— Sou um cidadão de 72 anos de idade, com energia de 30 e tesão de 20. Ninguém é obrigado a me apoiar para ser candidato, mas olha, agora quero ser"
https://gauchazh.clicrbs.com.br/politica/noticia/2018/01/como-tem-sido-a-rotina-de-lula-as-vesperas-do-julgamento-em-porto-alegre-cjcrxaack03kr01phbk6aq4br.html

UOL
Dilma: Lula está sendo condenado, enquanto outros com malas estão livres
A ex-presidente acredita que a situação política atual foi o crescimento de um "setor que não se expressava, que era a extrema direita".
Um ato estava marcado para o teatro da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Houve, porém, queda de energia segundos após o início do evento, por volta das 9h15. A luz caiu na região da Assembleia. Uma equipe da companhia de energia elétrica chegou a ser acionada para resolver uma "falha de transmissão que deixou um conjunto de prédios na região sem luz", segundo a organização do evento. As militantes, porém, viram com desconfiança a queda de energia. "As forças de direita operam com todas as armas", disse a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) dentro do teatro, de viva voz, aos presentes, sem querer relacionar explicitamente que a queda tenha sido proposital.
https://eleicoes.uol.com.br/2018/noticias/2018/01/23/dilma-lula-esta-sendo-condenado-enquanto-outros-com-malas-estao-livres.htm

O POVO
A cada três dias, advogados de Lula entram com um recurso na Justiça
Além disso, os advogados do petista também trabalham para anular a sentença de Moro, que o condenou a nove anos e seis meses
https://www.opovo.com.br/noticias/politica/2018/01/a-cada-tres-dias-advogados-de-lula-entram-com-recurso-na-justica.html

G1
DUOt7JcXcAAxwoA.jpg
'Pode roubar a cena daqui', diz Temer na Suíça sobre julgamento de Lula
"Talvez roube a cena daqui, né, porque é no mesmo dia. Mas fora daí, acho que não vai causar mal-estar nenhum. É um julgamento natural", respondeu Temer.
https://g1.globo.com/politica/noticia/pode-roubar-a-cena-daqui-diz-temer-na-suica-sobre-julgamento-de-lula.ghtml

INFOMONEY
14488_2_EL.jpg?c=201801231501
PSB manifesta apoio a Lula antes de julgamento decisivo em Porto Alegre
"Em primeiro lugar, verifica-se certa atipicidade na velocidade com que tramitou o processo em segunda instância. Quanto a esse aspecto, notamos que a rapidez da Justiça é um direito que assiste a toda a população, mas superar, no caso específico, a morosidade habitual, terminou por criar um fato político", diz a nota do partido.
http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/7223602/psb-manifesta-apoio-lula-antes-julgamento-decisivo-porto-alegre

MIDIAMAX
feems.jpeg?itok=Z7m6Whw7
Petistas de MS vão em caravanas ao RS acompanhar julgamento de Lula
Zeca do PT está otimista e acredita que ex-presidente será inocentado das acusações, pois confia que não existem provas que o incriminem.
http://www.midiamax.com.br/politica/petistas-ms-vao-caravanas-porto-alegre-acompanhar-julgamento-lula-365317

TV FOCO
capture-20180123-190339.png
Artistas da Globo e Record defendem Lula em vídeo na internet; confira
"Agora, mesmo depois de tantas ilegalidades, você ainda acredita que o Lula é culpado? Eu te pergunto: cadê a prova contra Lula?", diz o vídeo protagonizado pelos artistas .
http://www.otvfoco.com.br/artistas-da-globo-e-record-defendem-lula-em-video-na-internet-confira/[/news2]

@Cleberson @JF CHmaníaco @Lucas Ferreira @Lucas Fernando @José Antonio @Professor Inventivo

Editado por Victor235
  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Helenaldo

Se o Lula for condenado e não puder concorrer esse ano, as eleições será muito interessante.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
JF CHmaníaco

Oremos :bispo:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235

Embarcou na Arara Azul, @JF CHmaníaco?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
JF CHmaníaco
34 minutos atrás, Victor235 disse:

Embarcou na Arara Azul, @JF CHmaníaco?

:nono:

Tô voltando pra Dourados amanhã, nem vou acompanhar o julgamento.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Victor235
Lula afirma ser vítima de um 'pacto'

A uma plateia formada por militantes e sindicalistas, ex-presidente diz que decisão lhe deu uma 'coceirinha' para continuar pré-candidato ao Planalto

Vera Rosa, Juliana Diógenes e Marcelo Osakabe, O Estado de S.Paulo
24 Janeiro 2018 | 21h32

SÃO PAULO - Três horas depois de ser condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, em palanque montado na Praça da República, que não vai desistir da disputa ao Palácio do Planalto porque uma “coceirinha” o faz seguir adiante. “Pobre daqueles que acham que prendendo o Lula acaba a luta. Quero avisar a elite: esperem que vamos voltar”, afirmou.

Diante de uma plateia formada por militantes do PT, parlamentares, sindicalistas e integrantes de movimentos sociais, o ex-presidente disse ser vítima de um “pacto” entre o Judiciário e a imprensa para acabar com seu partido. “Se me condenaram, me deem pelo menos o apartamento”, afirmou Lula, em uma referência ao triplex no Guarujá, alvo da Lava Jato. “Quero que eles digam qual foi o crime que cometi. Estou condenado outra vez por um apartamento que eu não tenho. Já pedi para o Guilherme Boulos (líder do MTST) mandar o pessoal dele ocupar. Já que é meu, que ocupem”, ironizou.

1516833155381.jpg
Lula se junta ao ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, em ato na Praça da República, no Centro da capital paulista. Foto: NELSON ALMEIDA/AFP

A estratégia de Lula consiste em adotar o discurso da vitimização. Nesta quinta-feira, 25, ele vai participar da reunião da Executiva Nacional do PT, que vai lançá-lo como candidato ao Planalto. “Eu nem precisava voltar, já estava aprovado, mas agora percebo que eles estão fazendo isso para evitar que eu seja candidato. Essa provocação é de tal envergadura que me deu uma coceirinha e agora quero ser candidato a presidente da República”, discursou. “Se cometi um crime, me apresentem um crime que eu desisto.”

Chamado de “guerreiro do povo brasileiro”, Lula se comparou ao ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela, que era tido como terrorista e passou quase três décadas na cadeia. “Mandela ficou preso 27 anos. Nem por isso a luta diminuiu e ele foi eleito presidente”.

O ex-presidente acompanhou o julgamento de Porto Alegre na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, ao lado de antigos companheiros de jornada. Lula presidiu a entidade de 1975 a 1981 e foi dali que comandou várias greves, desafiando o regime militar. Antes do veredicto, disse aos militantes que esperava ser absolvido por 3 a 0. A portas fechadas, porém, não escondeu o abatimento.

A decisão do TRF-4 que condenou Lula por unanimidade a 12 anos e um mês de prisão fez o PT convocar ainda na quarta-feira, 24, uma reunião de emergência com alguns dirigentes, na sede do partido, em São Paulo. Na lista estavam o tesoureiro do partido, Emídio de Souza, os senadores Humberto Costa (PE) e Jorge Viana (AC), além do ex-ministro Celso Amorim, pré-candidato ao governo do Rio.

O PT vai registrar a candidatura de Lula à Presidência em 15 de agosto no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e tentar reverter a decisão que pode torná-lo inelegível, mas, nos bastidores, considera remota a possibilidade de mudar o quadro.

“A partir deste momento, é radicalização da luta”, afirmou a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, em Porto Alegre (RS). Em nota, ela disse que o resultado do julgamento configura uma “farsa judicial”. “Se pensam que a história termina coma decisão desta quarta, estão muito enganados, porque não nos rendemos diante da injustiça”. 

Choro. Assim que o voto do desembargador João Pedro Gebran Neto, relator do processo, foi lido, alguns petistas que estavam reunidos com Lula no sindicato caíram no choro. “Muita gente se emocionou”, contou o senador Humberto Costa. “Mas vamos até as últimas consequências com Lula. Se houver impugnação, isso deve acontecer por volta de setembro.”

O ex-ministro da Casa Civil e ex-governador da Bahia Jaques Wagner, um dos cotados para ser o Plano B do PT, foi dar um abraço em Lula no sindicato. Wagner almoçou com o ex-presidente. No cardápio, carne com cogumelo, arroz, feijão e macarrão japonês, servidos em quentinhas.

A televisão, segundo ele, estava desligada. “Para quê acompanhar o julgamento?”, perguntou. “Ele ficou naquela sala reservada do segundo andar conversando com amigos.”

Passava um pouco das 10 horas quando Lula chegou ao sindicato. “Comecei aqui e aqui vou recomeçar”, afirmou o ex-presidente. “Você vota em mim, Devanir?", perguntou ele ao ex-deputado Devanir Ribeiro, que foi diretor do sindicato.

O bom humor foi terminando à medida que o julgamento prosseguia. Apesar de esperarem a condenação, os petistas tinham esperanças no voto do revisor, Leandro Paulsen. Acreditavam que Lula poderia ter um voto favorável, abrindo uma divergência na Corte, o que lhe daria direito a mais um recurso na Justiça. “Recebemos com muita perplexidade esse resultado”, afirmou o senador Jorge Viana. “Fico chocado de ver essa caçada contra Lula. Não é possível que um tribunal tenha se partidarizado dessa forma.”

ESTADÃO

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Professor Inventivo
8 minutos atrás, Cleberson disse:

Entrevista foi boa, e deu pra entender melhor sobre a reforma, e tomara que seja aprovada pra previdencia nao quebrar.

Isso vai quebrar é a gente isso sim. Esse temer tá mentindo mais sobre essa reforma do que o Lula no julgamento dele. 

O que precisa é esses políticos pararem de roubar, ao invés de tirar dinheiro do povo. Os tais previlegios que ele fala que vai tirar são do povo quando na verdade deveria ser deles. 

Silvio Santos tá ajudando esses pilantras enganarem o povo, isso sim. 


 

Me desculpem por postar isso aqui, mas eu fiquei com vontade dizer isso em algum lugar. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Higor CH
Em 19/01/2018 às 18:09, gustavo lins disse:

Pra mim é palhaçada, mais infelizmente o Silvio ta mais que certo, ir contra o governo é burrice, seja qual ele for, ele depedne do governo, ele também apoiou o Lula, faz parte do jogo político infelizmente.

O assunto é mais sério do que você imagina. Nenhum presidente no mundo iria se dispor a um programa de TV se o assunto não fosse sério.

Entrevista excelente e muito esclarecedora, só não entende e contesta a reforma da previdência quem realmente não quer entender e só quer falar mal.

P.S: Os R$ 50,00 foi genial por parte do Temer, realmente até o presidente "paga pau" pro Silvio Santos kkkkk.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Giovani Santos

Não custa arriscar nessa reforma, mesmo o presidente não sendo tão querido. Não creio que o país fique pior do que já está. :P

Gostei da entrevista, deu pra entender bem sobre o assunto.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Cleberson Multishow
2 minutos atrás, Giovani Santos disse:

Não custa arriscar nessa reforma, mesmo o presidente não sendo tão querido. Não creio que o país fique pior do que já está. :P

Gostei da entrevista, deu pra entender bem sobre o assunto.

Alias o SS vendeu a reforma melhor que o próprio Temer

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.

×