Jump to content

POLÍTICA


Lucas Fernando

Recommended Posts

 Brizola

Ainda bem que o governo do Temer vai vir aí pra implantar o bom e velho neoliberalismo e destruir todos os mitos dos seguidores da Igreja de São Von Mises

Sectários imbecis que seguem a ideologia do estado mínimo como religião

E sobre o fato do governo Dilma ter seguido um modelo desenvolvimentista
Isso só pode ser considerado verdade se estivermos falando do primeiro mandato
A partir do segundo ela colocou no Ministério da Fazenda Joaquim Levy, um neoliberal fanático, e foi aí que (coincidentemente, é claro) a inflação e o desemprego começaram a aumentar

Link to post
  • Replies 1k
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

  • Victor235

    374

  • Will CH

    110

  • Seu Furtado

    49

  •  Brizola

    43

José Antonio

Sectários imbecis que seguem a ideologia do estado mínimo como religião

Quanto menos estado melhor, mas sempre há idiotas querendo que pessoas que elas não conhecem criem leis e impostos imbecis sobre o trabalho alheio.

E sobre o fato do governo Dilma ter seguido um modelo desenvolvimentista

Isso só pode ser considerado verdade se estivermos falando do primeiro mandato

A partir do segundo ela colocou no Ministério da Fazenda Joaquim Levy, um neoliberal fanático, e foi aí que (coincidentemente, é claro) a inflação e o desemprego começaram a aumentar

Ahhhhhhhhhhh bom. Quer dizer que a culpa da inflação e do desemprego foi do Levy. Voltem a Dilma pro poder, culparam a pessoa errada. <ta>
Link to post
 Brizola

1 - Isso é uma visão simplista e infantil. O fato das leis trabalhistas e da lei de impostos no Brasil serem passíveis de críticas não torna a existência delas desnecessária. 

     E esse rapaz da Ideias Radicais é mais um exemplo de ultraliberal sectário, um "anarcocapitalista" (como se fosse possível a existência de propriedade privada sem Estado) que vê o fantasma do comunismo em tudo, até nos desenvolvimentistas e keynesianos.

2 - Acho que é necessário lembrá-lo de que o Ministério da Fazenda é o Ministério que formula e executa a POLÍTICA ECONÔMICA desse país. Se há uma crise econômica, o liberal "mãos de tesoura" é obviamente responsável, por ter sido ministro em 2015.
     E eu não disse em momento algum que a Dilma não teve culpa. Isso é falácia do espantalho. Ela o nomeou, portanto também tem culpa na crise.

  • Like 1
Link to post
Will CH

1 - Isso é uma visão simplista e infantil. O fato das leis trabalhistas e da lei de impostos no Brasil serem passíveis de críticas não torna a existência delas desnecessária. 

     E esse rapaz da Ideias Radicais é mais um exemplo de ultraliberal sectário, um "anarcocapitalista" (como se fosse possível a existência de propriedade privada sem Estado) que vê o fantasma do comunismo em tudo, até nos desenvolvimentistas e keynesianos.

Os multimilionários sonegadores de impostos adoram quando seus discursinhos baratos de satanizar a interferência do Estado na economia cola nos cidadãos comuns, pois é a massa em meio a sua ignorância que dá respaldo e legitima o comportamento das elites econômicas desse país.

  • Like 2
Link to post
José Antonio

1 - Isso é uma visão simplista e infantil.

Quem vive no conto de fadas do estado é você. Hora de acordar, ainda é tempo.

 

O fato das leis trabalhistas e da lei de impostos no Brasil serem passíveis de críticas não torna a existência delas desnecessária.

Muito necessárias, tipo a contribuição sindical, né? Tão boa que é obrigatória (quem pagaria se não fosse).

 

2 - Acho que é necessário lembrá-lo de que o Ministério da Fazenda é o Ministério que formula e executa a POLÍTICA ECONÔMICA desse país. Se há uma crise econômica, o liberal "mãos de tesoura" é obviamente responsável, por ter sido ministro em 2015.

     E eu não disse em momento algum que a Dilma não teve culpa. Isso é falácia do espantalho. Ela o nomeou, portanto também tem culpa na crise.

Me diga alguma ação que o Levy tenha tomado para que a culpa seja dele.

Olha só a retração do PID:

wo3k4ia.png

Caindo desde 2014.

 

1 - Isso é uma visão simplista e infantil. O fato das leis trabalhistas e da lei de impostos no Brasil serem passíveis de críticas não torna a existência delas desnecessária. 

     E esse rapaz da Ideias Radicais é mais um exemplo de ultraliberal sectário, um "anarcocapitalista" (como se fosse possível a existência de propriedade privada sem Estado) que vê o fantasma do comunismo em tudo, até nos desenvolvimentistas e keynesianos.

Os multimilionários sonegadores de impostos adoram quando seus discursinhos baratos de satanizar a interferência do Estado na economia cola nos cidadãos comuns, pois é a massa em meio a sua ignorância que dá respaldo e legitima o comportamento das elites econômicas desse país.
O Estado adora quando cidadães comuns defendem o roubo de sua própria produção e da produção dos outros por meio de impostos, pois é a massa em meio a sua ignorância que dá respaldo e legitima que políticos continuem vivendo em razão do trabalho de outras pessoas fazendo-as pensar que eles são a solução.
Link to post
Ramyen Matusquela

Roberto Justus virou presidente?

Link to post
Will CH

 

 

O fato das leis trabalhistas e da lei de impostos no Brasil serem passíveis de críticas não torna a existência delas desnecessária.

Muito necessárias, tipo a contribuição sindical, né? Tão boa que é obrigatória (quem pagaria se não fosse).

 

Sugiro a quem se opõe à existência de entidades representativas de classe que se abstenha também do gozo de direitos trabalhistas historicamente conquistados pelo movimento sindical.

 

 

1 - Isso é uma visão simplista e infantil. O fato das leis trabalhistas e da lei de impostos no Brasil serem passíveis de críticas não torna a existência delas desnecessária. 

     E esse rapaz da Ideias Radicais é mais um exemplo de ultraliberal sectário, um "anarcocapitalista" (como se fosse possível a existência de propriedade privada sem Estado) que vê o fantasma do comunismo em tudo, até nos desenvolvimentistas e keynesianos.

Os multimilionários sonegadores de impostos adoram quando seus discursinhos baratos de satanizar a interferência do Estado na economia cola nos cidadãos comuns, pois é a massa em meio a sua ignorância que dá respaldo e legitima o comportamento das elites econômicas desse país.

 

O Estado adora quando cidadães comuns defendem o roubo de sua própria produção e da produção dos outros por meio de impostos, pois é a massa em meio a sua ignorância que dá respaldo e legitima que políticos continuem vivendo em razão do trabalho de outras pessoas fazendo-as pensar que eles são a solução.

 

Paulo Skaf curtiu o seu comentário.

 

o-PAULO-SKAF-facebook.jpg

  • Like 1
Link to post
 Brizola

1 -  Conto de fadas do Estado hahahahahahahahahaha
      E você leu o que eu escrevi? Não disse que questões como o imposto sindical não devem ser discutidas, mas achar que por discordarmos de algumas coisas temos de jogar fora nossos direitos duramente conquistados é estupidez
      Tire os direitos trabalhistas e seu patrão monta em você (que era o que o bisavô dele fazia no seu quando esses direitos não existiam)
      Esse ultraliberalismo é tão doentio que nos levaria de volta à República Velha...

 

2 - A crise mundial era e W e não em V, portanto ela ia voltar a atingir o Brasil
     O que o Levy precisava fazer era garantir que nós fôssemos passar por essa crise sem um grande aumento na inflação e no desemprego
     E nem adianta dizer que o mundo se recuperou da crise em 2014/15 que não é verdade, a Europa ta aí pra mostrar isso

Edited by Brizola
Link to post
José Antonio

 

 

O fato das leis trabalhistas e da lei de impostos no Brasil serem passíveis de críticas não torna a existência delas desnecessária.

Muito necessárias, tipo a contribuição sindical, né? Tão boa que é obrigatória (quem pagaria se não fosse).

 

Sugiro a quem se opõe à existência de entidades representativas de classe que se abstenha também do gozo de direitos trabalhistas historicamente conquistados pelo movimento sindical.

 

Sugiro que as entidades representativas permitam que as pessoas escolham ou não contribuir com elas.

 

Se os interesses dessas entidades for diferente dos meus ou que eu não queira ser representado, o que posso fazer? Nada, a contribuição é obrigatória.

 

    E você leu o que eu escrevi? Não disse que questões como o imposto sindical não devem ser discutidas, mas achar que por discordarmos de algumas coisas temos de jogar fora nossos direitos duramente conquistados é estupidez

      Tire os direitos trabalhistas e seu patrão monta em você (que era o que o bisavô dele fazia no seu quando esses direitos não existiam)

      Esse ultraliberalismo é tão doentio que nos levaria de volta à República Velha...

"Patrão monta em você". Como se algum direito evitasse isso, se for o caso. Quanto maior a oferta de empregos, menores são as chances de um empregado continuar em um trabalho considerado ruim, pois ele terá outras opções.

 

 O que o Levy precisava fazer era garantir que nós fôssemos passar por essa crise sem um grande aumento na inflação e no desemprego.

 

Essa era a obrigação da presidenta.

Link to post
 Brizola

1 - Não, amigo. Os direitos não evitam não. Dá no mesmo você ter 13º salário, férias remuneradas, limite de carga horária, salário mínimo e você NÃO TER isso. Ser trabalhador em 2016, com essas leis em vigor, dá no mesmo que ser trabalhador em 1916.
E as coisas não funcionam dessa forma tão ingênua. Empresas podem chegar a acordos para estipular limites de salário e de carga horária por exemplo. E aí você não vai ter pra onde correr, pois vai ta todo mundo oferecendo a mesma coisa.
 

2 - Mano, que parte do "o Ministro da Fazenda é quem planeja e executa a POLÍTICA ECONÔMICA DESSE PAÍS" você não entendeu?

A Dilma é culpada por nomeá-lo, mas a responsabilidade direta pela péssima gestão é do Levy.
Nomeação essa que foi comemorada por muitos liberais, que agora ficam de canalhice criticando.

Edited by Brizola
  • Like 1
Link to post
JF CHmaníaco

Tenho apenas uma coisa a dizer: tchau querida :tchau: 

  • Like 2
Link to post
José Antonio

1 - Não, amigo. Os direitos não evitam não. Dá no mesmo você ter 13º salário, férias remuneradas, limite de carga horária, salário mínimo e você NÃO TER isso. Ser trabalhador em 2016, com essas leis em vigor, dá no mesmo que ser trabalhador em 1916.

-13º é o valor que você ganharia em um ano dividido por 13, o empregador sabe muito bem o quanto irá gastar com cada funcionário anualmente, portanto o número de parcelas é irrelevante.

-salário mínimo é apenas o governo dizendo o tanto que você deve produzir para receber seu salário. Se não conseguir produzir o suficiente para se pagar (x) + lucro do empregador (y) você está desempregado.

-férias remuneradas estão inclusas no valor que você ganhará em um ano. Como eu disse acima, ao contratar um funcionário o empregador leva isso em consideração no momento de escolher o tanto que a pessoa que ocupar um cargo receberá.

Sobre o limite de carga horária, isso deveria ser especificação da vaga no contrato, sendo responsabilidade de cada um aceitar um emprego com uma carga horária maior, se for o caso.

 

E as coisas não funcionam dessa forma tão ingênua. Empresas podem chegar a acordos para estipular limites de salário e de carga horária por exemplo. E aí você não vai ter pra onde correr, pois vai ta todo mundo oferecendo a mesma coisa.

Se elas realmente concorressem entre si, isso não aconteceria, pois cada funcionário é um investimento e seu valor está no tanto que ele dá de retorno.

 

A Dilma é culpada por nomeá-lo, mas a responsabilidade direta pela péssima gestão é do Levy.

Como se ele realmente tivesse conseguido agir dentro do governo.

Milagres ele não conseguiria fazer mesmo não.

E ainda estou esperando você me dizer quais medidas ele tomou para causar a crise (já que segundo você diz, a culpa é dele).

Link to post
iLove80s

Também tenho apenas uma coisa a dizer: Bolsomito 2018 :sunglasses_unhappy:

Link to post
 Brizola

- Não há nada que garanta o pagamento de um 13º salário sem uma legislação obrigando. O patrão pode simplesmente não pagar essa parcela (como não pagava antes do 13º existir).
- Salário mínimo é a garantia de que um trabalhador, por mais baixa que seja sua especialização, vai receber um mínimo necessário para viver, até por isso o nome.
- Férias remuneradas só estão inclusas a partir do momento em que elas passam a ser uma obrigação. Se elas forem retiradas, o patrão pode simplesmente te pagar menos por ano do que pagava antes. O mesmo vale para o 13º.
- Sobre o limite de carga horária e a concorrência: não há nada que impeça, em um mercado livre, que as empresas façam acordos para estabelecer determinada carga horária e você não tenha escolha. Se todas as empresas de uma determinada área resolverem chegar a um acordo de que os empregados devem trabalhar 12 horas por dia, não tem pra onde correr. Por isso tem que ter legislação.
 - Sobre o Levy: ele poderia não ter seguido as políticas de austeridade e de ajuste fiscal, que destruíram a Europa nos últimos anos. E o governo (infelizmente) deu o aval para que ele sacrificasse o povo.

 

Tenho apenas uma coisa a dizer: tchau querida :tchau:

Isso é mediocridade argumentativa. Se o seu máximo for isso, é melhor não ter nada a dizer.


Quanto ao cidadão que declara apoio a um projeto de Mussolini, a história o fará se arrepender.

Link to post
JF CHmaníaco

Não estou argumentando, estou apenas comentando :joinha:

 

Fique com a sua opinião que eu fico com a minha, seja medíocre ou não ;)

  • Like 1
Link to post
Guest
This topic is now closed to further replies.
  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...