Jump to content
Sign in to follow this  
Marcos Albino

Eleições de 2014 no Brasil

Recommended Posts

Lucas Fernando

NOTÍCIAS

PSDB pede ao TSE auditoria para verificar 'lisura' da eleição
Objetivo, segundo partido, é evitar 'sentimento' de que houve fraude.
Proposta prevê criação de comissão com membros do TSE e dos partidos.


O PSDB entrou nesta quinta-feira (30) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com um pedido de auditoria a fim de que se verifique a "lisura" da eleição presidencial.

Na solicitação apresentada pelo coordenador jurídico da campanha do candiato derrotado Aécio Neves, deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP), o partido sugere a criação de uma comissão com representantes do tribunal e de partidos para verificar o sistema que apura e faz a contagem dos votos.

O texto protocolado diz que a confiabilidade da apuração e a infalibilidade da urna eletrônica têm sido questionadas pela população nas redes sociais.

O G1 procurou as assessorias do presidente do Tribunal Superior Eleitoral, José Dias Toffoli, e do procurador-geral eleitoral, Rodrigo Janot, que informaram que eles não irão se manifestar.

“Não tem nada a ver com pedido de recontagem dos votos nem estamos questionando o resultado. Só queremos evitar que esse sentimento de que houve fraude continue a ser alimentado nas redes sociais”, justificou Sampaio ao G1. “O pedido é em defesa do tribunal”, declarou.

Na eleição, o candidato a presidente pelo PSDB, Aécio Neves, teve 51 milhões de votos (48,36%) contra 54,5 milhões (51,64%) da presidente Dilma Rousseff, reeleita pelo PT.

Na petição, o PSDB cita denúncias e desconfianças na internet e nas redes sociais, argumenta que a sociedade está questionando a veracidade do resultado das eleições e diz que a auditoria é necessária para garantir a “confiança do povo brasileiro no processo eleitoral”.

Para fazer a auditoria, o PSDB propõe a formação de uma comissão composta por representantes de todos os partidos a fim de verificar os sistemas de votação e apuração, com perícia sobre os equipamentos e softwares.“É justamente com o objetivo de não permitir que a credibilidade do processo eleitoral seja colocada em dúvida pelo cidadão brasileiro que nos dirigimos neste momento à presença de Vossas Excelências para, respeitosamente, requerer a Vossa Excelência que permita a realização de um processo de auditoria nos sistemas de votação e de totalização dos votos, por uma comissão de especialistas formada a partir de representantes indicados pelos partidos políticos, mediante os seguintes procedimentos”, diz o PSDB no pedido protocolado no TSE.

Ao G1, o advogado da campanha do PSDB Flávio Henrique Pereira disse que o objetivo é "reestabelecer" a credibilidade da apuração dos votos. “Basta uma pequena análise na internet para ver que surgem dúvidas de todos os lados. Defendemos que se faça a auditoria para restabelecer a credibilidade do sistema”, disse.

Para viabilizar os trabalhos da comissão que pretende ver criada, o partido requer acesso às cópias dos boletins de urna de todas as sessões eleitorais do país, dos arquivos eletrônicos que compõem a memória de resultados, de cópia eletrônica dos logs originais e completos das urnas eletrônicas, dos arquivos eletrônicos contendo logs detalhados, originais e completos, correspondentes à transmissão e ao recebimento de todos os dados de apuração.

Além disso, o PSDB solicita acesso a todos os registros técnicos sobre a atualização do sistema de operacionalização do segundo turno da eleição presidencial; acesso aos programas de totalização de voto utilizado pelos tribunais regionais eleitorais e o TSE; e acesso aos programas e arquivos de algumas urnas eletrônicas utilizadas na eleição.


Fonte: G1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor235
Tem uns petistas que são alienados demais.


Como assim vão falar que a Dilma não teve o apoio de grandes empresas??



Share this post


Link to post
Share on other sites
Andy

Pelo visto vão pedir dicas ao Fluminense.

NOTÍCIAS

Ato em São Paulo pede impeachment de Dilma e intervenção militar

452759-970x600-1.jpeg

Protesto pede impeachment de Dilma

"Boa tarde, reaças", cumprimentou ao microfone o empresário Paulo Martins, que foi candidato a deputado federal pelo PSC neste ano no Paraná. "É inegável que o PT constrói uma ditadura no país", acrescentou, sob fortes aplausos.

Ele discursava a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) em ato convocado por meio das redes sociais e que teve adesão, na internet, de 100 mil pessoas. A caminhada teve início em frente ao MASP (Museu de Arte de São Paulo), por volta das 14h, e chegou a reunir 2.500 manifestantes, segundo estimativa da Polícia Militar.

Por volta das 16h30, os manifestantes já haviam deixado a avenida Paulista e tomado a avenida Brigadeiro Luís Antônio, pela qual caminharam em direção ao parque Ibirapuera.

Com uma bandeira do Brasil sobre os ombros, o cantor Lobão defendeu a recontagem dos votos das eleições presidenciais e negou que o movimento tenha como propósito dar um novo golpe militar no país. "Não tem ninguém aqui golpista", disse ao microfone.

A caminhada é marcada também por provocações entre simpatizantes da esquerda e da direita. Na avenida Paulista, alguns moradores de prédios da região estenderam nas janelas camisetas vermelhas e bandeira da campanha à reeleição da presidente.

"Vai para Cuba", gritaram os manifestantes em resposta. Eles fecharam uma das faixas da avenida.

Algumas fotos do protesto:

452760-970x600-1.jpeg

452759-970x600-1.jpeg

452758-970x600-1.jpeg

452757-970x600-1.jpeg

452756-970x600-1.jpeg

452755-970x600-1.jpeg

452754-970x600-1.jpeg

452753-970x600-1.jpeg

452752-970x600-1.jpeg

452751-970x600-1.jpeg

452749-970x600-1.jpeg

452748-970x600-1.jpeg

452747-970x600-1.jpeg

No evento, além de pedirem a saída da petista, parte dos manifestantes defende um novo golpe militar no país.

"É necessário a volta do militarismo. O que vocês chamam de democracia é esse governo que está aí?", criticou o investigador de polícia Sérgio Salgi, 46, que carregava cartaz com o pedido "SOS Forças Armadas".

Com cartazes e faixas, os indignados acusaram o resultado das eleições deste ano de ser a "maior fraude da história" e o PT de ser "o câncer do Brasil". "Pé na bunda dela [presidente], o Brasil não é a Venezuela", gritaram.

"O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, José Dias Toffoli, é um estagiário do PT", acusou Paulo Martins.

Sob aplausos, o deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), filho do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), foi apresentado ao microfone como "alguém de uma família que vem lutando muito pelo Brasil".

Em discurso, o parlamentar disse que se seu pai fosse candidato a presidente, ele teria "fuzilado" a presidente. Segundo ele, Jair Bolsonaro será candidato em 2018 "mesmo que tenha de mudar de partido".

"Eu voto no Marcola, mas não voto na Dilma, porque pelo menos o Marcola tem palavra", disse, em referência a Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, um dos chefes da facção criminosa PCC.

A manifestação é acompanhada pela Polícia Militar e pela chamada "Tropa do Braço", escalada para eventos de rua.

Entre as bandeiras carregadas no protesto, estão a do Brasil, a do Estado de São Paulo e da campanha do candidato derrotado do PSDB à Presidência, Aécio Neves.

FONTE

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor235
Isso sim é divisão:

1ipua_zpsa5776ea1.jpg

  • Confused 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Marcos Albino

As pessoas confundem intervenção militar com ditadura.

:duh:

Share this post


Link to post
Share on other sites
Victor235

Natural né, em 64 iriam devolver o governo depois de alguns meses...

Share this post


Link to post
Share on other sites
gustavo lins

As pessoas confundem intervenção militar com ditadura.

:duh:

E por que a intervenção tem que ser militar?se a população realmente tive-se vontade de tirar a Dilma do poder ela tiraria,o problema e que o povo é alienado,e fora que mesmo que a intervenção fosse feita(o que não vai acontecer),acabariam colocando outro vagabundo no lugar,os militares não dariam conta porque estariam no mesmo sistema escroto que nós vivemos

Share this post


Link to post
Share on other sites
Marcos Albino

Natural né, em 64 iriam devolver o governo depois de alguns meses...

64 foi um golpe, não uma intervenção como dizem...

E por que a intervenção tem que ser militar?se a população realmente tive-se vontade de tirar a Dilma do poder ela tiraria,o problema e que o povo é alienado,e fora que mesmo que a intervenção fosse feita(o que não vai acontecer),acabariam colocando outro vagabundo no lugar,os militares não dariam conta porque estariam no mesmo sistema escroto que nós vivemos

Intervenção civil? :lol:

Se liga, talvez se não tivesse o golpe de 64, hoje você viria em um país comunista. E muitos esquerdista já dizem hoje em dia que não queriam a democracia.

Não acho que uma intenção militar seria justo agora, o Exército Brasileiro está com a imagem sujo depois 64. Agora, o impeachment já é outra coisa, vários manifestos pelo país já estão acontecendo...

Share this post


Link to post
Share on other sites
chavesmaniaco1002

Eleições acabaram, Dilma ganhou mas não desfrutou por muito tempo... :ponder:

Tópico fechado por ser datado. :cadeado:

  • Haha 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.
Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...