Jump to content
Sign in to follow this  
Bugiga

Fanfics e Remakes

Recommended Posts

Chavo Arachán

Título: Thalía en el Hotel

Año: 1994

Duración: 43 minutos

Elenco:

Roberto Gómez Bolaños - Chompiras

Florinda Meza- Chimoltrufia

Rubén Aguirre - Sargento Pazguato

Edgar Vivar - Botija

Anabel Gutíerrez - Doña Espotaverderona

Moisés Suárez - Don Cecilio

Thalía - Ella Misma

Regrabaciones de 1979,1986 (episodios del Chavo) y 1994 (con Eduardo Palomo)

El guión estará en breve.

Título: El Chavo: Las Sábanas de Doña Florinda / El Chapulín: Los Aerolitos / DOctor CHapatín: El Bebé Abandonado

Año: 1972

Duración: 21 minutos

También estará en breve.

Edited by Rede Manchete

Share this post


Link to post
Don_aCHiles

Ae pessoal, cadê o Guilherme (Chaves1000)?

Putz véi, o cara mais genial que eu já conheci nesse ramo de Fanfics, todas as histórias dele, eu lia, porque sabia que iriam ficar geniais, tanto é que todas as notas que eu dava pra ele era acima de 9,5.

Se alguém tiver algum contato com ele, por favor peçam para ele entrar aqui, queria muito que ele lê-se esta mensagem.

Não sei se ele desapareceu do meio CH, mas como eu não sou muito ativo no FCH, não sei se ele tem contato por lá, se ele estive por lá, falem com ele pra ele dar sempre uma passadinha nesse tópico. Obrigado! :D

Share this post


Link to post
Chambón

Ae pessoal, cadê o Guilherme (Chaves1000)?

Putz véi, o cara mais genial que eu já conheci nesse ramo de Fanfics, todas as histórias dele, eu lia, porque sabia que iriam ficar geniais, tanto é que todas as notas que eu dava pra ele era acima de 9,5.

Se alguém tiver algum contato com ele, por favor peçam para ele entrar aqui, queria muito que ele lê-se esta mensagem.

Não sei se ele desapareceu do meio CH, mas como eu não sou muito ativo no FCH, não sei se ele tem contato por lá, se ele estive por lá, falem com ele pra ele dar sempre uma passadinha nesse tópico. Obrigado! :D

Concordo. As histórias dele são ótimas e bastante fieís as séries. Eu lia, como se estivesse assistindo um episódio CH, pois eram tão realistas, que funcionariam perfeitamente na TV.

Ele não desapareceu não. Apareceu aqui faz uns dias. Não só visitou, como também postou.

Share this post


Link to post
Don_aCHiles

Título: O ex-namorado de Chimoltrúfia.

Ano: ?

Duração: Aproximadamente 13 minutos.

Elenco:

Chespirito -> Chaveco

Florinda Meza -> Chimoltrúfia

Edgar Vivar -> Botijão

Rúben Aguirre -> Sargento Refúgio

Juan Antonio Edwards -> Enrique

Moisés Suaréz -> Seu Cecílio

Anabel Gutierrez -> Agrimaldolina

BLOCO 1

O ex-namorado de Chimoltrúfia

- O episódio tem início com Chaveco sentado em cima das escadarias do Hotel Boa Vista - 1º andar, até que Chimoltrúfia chega para falar com ele:

Chimoltrúfia - Oh Chaveco por que você tá com esse cara de peixe morto hein?

Chaveco - É que a dona da farmácia me deu férias...

Chimoltrúfia - Como assim?

Chaveco - Bom acho que você deve conhecer a dona da farmácia aqui da esquina!

Chimoltrúfia - Sim, conheço sim.

Chaveco - Bom, é que a dona daquela farmácia sempre me beneficiou com sua amizade, e a gente fica fazendo amizade a noite inteira, é uma amizade que não acaba mais! - Diálogo seguido por risos - E ás vezes ela até me chamou pra jantar, só que hoje eu não tenho nem amizade nem jantar sabe...

[RISOS]

Chimoltrúfia - Mas o que aconteceu para ela te dar férias assim?

Chaveco - Bom, é que eu tava com a irmã do sargento perto da farmácia - Sargento chega ao lugar em que eles estavam e escuta a conversa deles, e vai se aproximando de Chaveco lentamente -

Chaveco - ...Chimoltrúfia, você não imagina como ela é gostosa sabe - Sargento põe a mão no ombro de Chaveco -

Chaveco - Espera um pouquinho - Tira a mão do ombro sem olhar pra trás -

Chaveco - Ela faz umas coisas que... - O sargento torna a por a mão no ombro de Chaveco -

Chaveco - Pô, espera um pouquinho - Tira mais uma vez a mão do ombro -

Chaveco - É que - Mais uma vez o sargento põe a mão no ombro do Chaveco -

Chaveco - Ô "pera" um pouco! - Vira-se e depara-se com o Sargento -

Chaveco - Ah, oi Sargento. - Abre um sorriso -

Sargento - De que sargento estava falando?

Chaveco - Ah, de um sargento feio pra caramba que tem uma irmã lindíssima.

Sargento - Deixa de ser cínico Chaveco! Eu sei que estavam falando de mim!

Chaveco - E como "cê" sabe?

- Chimoltrúfia o interrompe e completa:

Ah, tá na cara né? Que outro sargento pode ser tão feio como ele?!

[RISOS]

Sargento - Olha Chimoltrúfia, só não te respondo como deveria porque não gosto de discutir com mulheres!

Chimoltrúfia - Eu digo o mesmo.

[RISOS]

Chaveco - Além do que Sargento, qual é o problema de sair com sua irmã? Se muitos homens já fizeram o mesmo?

Sargento - O problema Chaveco é que você sai com uma mulher diferente a cada semana!

Chimoltrúfia - Ah Sargento, você deveria parar com essa inveja né?!

Sargento - Que inveja?!

Chimoltrúfia - Ora, o Chaveco sai com "várias mulher" e você com nenhuma.

[RISOS]

Sargento - Pois se você não sabe, a Marujinha é a minha namorada!

Chaveco - A marujinha é sua namorada é?!

Sargento - Sim, mas ela não sabe ainda...

[RISOS]

Chaveco - Ah, claro, claro. E você Chimoltrúfia, já teve algum outro namorado?

- Chimoltrúfia fica um pouco pensativa e completa -

Não. Nunca Chaveco. Só namorei com o Botijão.

Chaveco - Bom, mas namorar com o Botijão, é como se namorasse com 11 pessoas. Hihihi

[RISOS]

- De repente Botijão chega e diz -

Ah que bom Chaveco, eu chego e já vem insultando não é?

Chaveco - Bom, é que sabe... - Botijão interrompe Chaveco e completa:

Tá Chaveco, cala a boca! E do que estavam falando?

- Chimoltrúfia fica um pouco tensa e Chaveco começa a falar:

Estamos falando de... - Chimoltrúfia dá um beliscão em Chaveco e diz em voz baixa:

Cala a boca!

[RISOS]

Botijão - E então?! - Cruza os braços -

Chimoltrúfia - Nada, nada. Estamos falando de besteiras - Fala com um sorriso -

- Botijão não engole muito o que Chimoltrúfia disse, sendo que ela completa:

Bom pessoal, eu tenho muito trabalho na lavanderia. Por isso, eu vou embora.

Chaveco, Botijão e Sargento - Tchau! - Chimoltrúfia vai embora pelas escadas -

Botijão - Bom, agora que ela foi embora, podem me dizer de que estavam falando?!

Chaveco - Estávamos falando das namoradas de nossas vidas!

Botijão - Hum.

Sargento - E você Botijão? Já teve outra namorada?

Botijão - Não, na verdade sempre gostei muito da Chimoltrúfia. Conhecia ela desde meus tempos de escolinha - Botijão senta em uma das escadas, Chaveco segue ele, porém, fica em pé e diz:

Eu também.

Botijão - Ai, eu passava a aula todinha olhando pra ela.

Chaveco - Eu também.

- Botijão olha discretamente pra Chaveco, mas continua a coversa:

Uma vez, eu lhe dei um beijinho.

Chaveco - Eu também.

Botijão - É... o que?! - Se levanta furioso e pega Chaveco pela camisa -

Sargento - Podem parar vocês dois! Além do mais, acredito que vocês tem que trabalhar não?

Botijão - É, você tem razão. - Solta Chaveco - Além do mais, o seu Cecílio já alertou o Chaveco por chegar muito tarde ao trabalho.

Chaveco - Não, peraí Botijão, é verdade que eu sempre chego tarde mas também é verdade que eu sempre compenso saindo mais cedo!

[RISOS]

Sargento - Mas que coisa ridícula! De qualquer forma eu não tenho tempo para perder aqui. Vou a delegacia, tchau!

Chaveco e Botijão - Tchau Sargento - Sai pelas escadas -

Botijão - Bom Chaveco vamos voltar ao trabalho - Botijão segue à caminho do elevador e Chaveco o caminho das escadas -

Botijão - Ô Chaveco, pra onde você tá indo?

Chaveco - Ora essa, pra recepção né?

Botijão - Mas vamos de elevador.

Chaveco - Mas o elevador não aguenta com o peso de nós dois..

Botijão - Mas aguenta pra descer. Vamos!

Chaveco - Não, ai meu Deus - Se benze -

- Botijão puxa Chaveco pra dentro do elevador, e ambos descem. -

- Já no térreo -

Botijão - Agora vou poder descansar um pouco - Senta em um dos sofás que ficam em frente do elevador -

Chaveco: Pois é, eu também, vou sentar aqui no meu lugar quentinho. Hihi - Senta em outro sofá -

- O cenário muda para a recepção onde se encontra Seu Cecílio, e lá chega um hóspede com duas malas -

Enrique - Bom dia! - Coloca as malas no chão -

Seu Cecílio - Bom dia cavalheiro! O que deseja?

Enrique - Eu quero um quarto por favor!

Seu Cecílio - Como quiser, por quanto tempo?

Enrique - Na verdade, só vou ficar aqui por uma noite.

Seu Cecílio - Ah, então nesse caso, o pagamento é adiantado.

Enrique - Não tem problema - Pega a carteira, e uma certa quantidade de dinheiro - Isto dá?

Seu Cecílio - Pega o dinheiro e conta - Está exato! E preencha seus dados por favor - Entrega o cartão e a caneta -

Enrique - Como quiser- Começa a escrever -

- Seu Cecílio toca a campainha para que Chaveco venha pegar as malas -

Chaveco - Já vou Cecílio! Não precisa ficar chamando! - Vai atá a recepção - O que você quer?

Seu Cecílio - Tem que subir as malas desse senhor para o quarto número 12.

Chaveco - Certo. O senhor vai me dar gorjeta?

Enrique - Mas é claro que sim.

Chaveco - É assim que se fala! Cadê a chave seu Cecílio?

- Seu Cecílio vira-se para o painel de chaves e pega a do número 12 - Aqui está! - Entrega pra Chaveco -

- Chaveco pega uma das malas, mas a outra ele não consegue por estar bem pesada -

Seu Cecílio - O que foi Chaveco?

Chaveco - Não tô conseguindo levantar essa mala.

Enrique - Não se preocupe essa eu mesmo levo - Pega a mala com dificuldade -

Chaveco - Ah legal, aproveita e leva essa aqui também tá? - Entregue a mala pro hóspede, e este olha pra Seu Cecílio com certa estranheza -

[RISOS]

Seu Cecílio - O-o-o-o-o-o-o-Ouça como se atreve?!

Chaveco - Claro, ele aproveita a viagem e leva.

[RISOS]

Seu Cecílio - Cala a boca e suba a mala!

Chaveco - Tá bom! Por aqui cavalheiro.

- Chaveco e Enrique saem -

- Enrique vai a caminho do elevador e Chaveco à caminho das escadas -

Enrique - Escuta, nós não vamos subir de elevador?!

Chaveco - Não, sabe... É que o ascensorista gosta de dormir.

Enrique - E quando ele costuma dormir?

Chaveco - Quando ele tá trabalhando.

[RISOS]

Chaveco - Bom, eu vou acordar ele - Vai à caminho de Botijão -

Chaveco - Olha! Almoço grátis!

Botijão - Onde?! Onde?!

Chaveco - Eu sabia que ia dar certo! Hihihi

[RISOS]

Botijão - Ah, é você? O que é que você quer?

Chaveco - Tem que subir eu e o cavalheiro ali.

Botijão - Hum, o burro vai na frente.

Chaveco - Pode passar!

Botijão - O quê? - Se levanta com raiva -

Chaveco - Não, foi com todo respeito! Mas afinal vai nos subir ou não?!

Botijão - Eu não posso fazer isso.

Enrique - E por que não?

Botijão - Porque acontece que esse elevador não aguenta subir com tanto peso!

Enrique - M-Mas, essa é a coisa mais incrível que eu já ouvi em toda minha vida! Como é possível... - É interrompido por Botijão -

Botijão - Tudo bem. Vamos lá. - Botijão entra no elevador seguidos por Chaveco e Enrique -

Botijão - Só que tem uma coisa, um de vocês terá que sair do elevador.

Chaveco - Ah entendi - Vira-se para Enrique - Olha, aqui do lado tem uma escada e... - É interrompido por Botijão -

[RISOS]

Botijão - Não passou pela sua cabeça que quem tem que subir pelas escadas é VOCÊ?

Chaveco - Tá bom - Chaveco sai pelo elevador sendo que Botijão o puxa pelo braço -

Botijão - Com todas as malas.

Chaveco - Mas eu não consigo subir com essas duas malas.

Botijão - Tudo bem, vá só com uma.

Chaveco - Ok, já vou indo - Sai do elevador e vai pelas escadas -

- As portas do elevador também se fecham -

- Já na recepção, Seu Cecílio está lendo o cartão preenchido por Enrique quando Chimoltrúfia está saindo da lavanderia -

Seu Cecílio - Enrique Lima...

- Chimoltrúfia o vê falar e interrompe ele -

O que foi que cê falou?!

Seu Cecílio - Enrique Lima, o nome do hóspede que acabar de dar entrada no hotel.

- Chimoltrúfia fica em pânico e grita:

NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOO.

- Com a fala dela o bloca se encerra -

BLOCO 2

Seu Cecílio - O que aconteceu Chimoltrúfia?

Chimoltrúfia - Não nada, é que, é que, ah, eu não sabia que o quarto número 12 estava ocupado por alguém - Abre um sorriso -

Seu Cecílio - Bom, ele chegou hoje, o que estava lá antes saiu ontem a noite... E isso me faz lembrar, que você tem que arrumar aquele quarto!

Chimoltrúfia - E-Eu?

Seu Cecílio - Claro! Você é a única camareira deste turno!

Chimoltrúfia - Tá bom! - Sai irritada e vai a caminho do elevador -

Chimoltrúfia - Ô Botijão, eu posso ir para a parte superior de cima?

Botijão - Meu amor, você sabe que este elevador comigo dentro não aguenta mais que algumas graminhas - Olha pro corpo de Chimoltrúfia e completa:

Tá bom, você não excede o peso.

[RISOS]

- Chimoltrúfia olha com uma cara bem estranha para Botijão, mas vai com ele no elevador e ambos sobem -

- Já no quarto número 12, estão Chaveco e Enrique -

Chaveco - Que tal o quarto?

Enrique - Muito bom, só parece estar um pouco desarrumado não é?

Chaveco - É que sabe... Tinha outro hóspede aqui, e ele saiu ontem a noite e a camareira não teve tempo de vir aqui arrumar, mas não se preocupe que logo, logo, ele estará bem arrumado.

Enrique - Ah, sim é asim, tudo bem então.

Chaveco - Bom, e se você não precisa de mais nada, eu já vou - Acena com o boné -

Enrique - Fique à vontade.

- Chaveco sai do quarto, as portas do elevador se abrem, e lá estão Chimoltrúfia e Botijão -

Chimoltrúfia - Olá Chaveco!

Chaveco - Oi Chimoltrúfia. Botijão eu posso descer com você no elevador?

Botijão - Vamos lá.

- Chaveco e Botijão descem mais uma vez pro térreo -

- Chimoltrúfia vai à caminho do quarto número 12, e quando chega lá dá um toque na porta e diz:

Camareira!

Enrique - Vira-se - Pode entr... - Olha pra Chimoltrúfia com uma cara de surpresa - Maria Expropiação?! É você?!

- Chimoltrúfia também olha bem surpresa e continua:

Sim, sou eu!

Enrique - Sim, é ela! - Abre um sorriso -

----------------------------------------------------X--------------------------------------------------------X--------------------------------------------------------X---------------------------------------X

- Botijão e Chaveco saem do elevador e sentam -

Chaveco - Ah droga!

Botijão - O que foi?

Chaveco - É que eu esqueci de cobrar a gorjeta do hóspede!

Botijão - Hum.

Chaveco - Botijão, eu posso usar mais uma vez seu elevador?

Botijão - Claro...

- Chaveco vai à caminho do elevador, sendo que Botijão completa:

Só não vá sujar com os pés o banquinho em que me sento.

Chaveco - E por que eu iria sujar o banquinho?

Botijão - E que de outra maneira vai alcançar os botões? Hahahaha

[RISOS]

Chaveco - Que simpático!

- Chaveco fecha a porta do elevador, e sem que Botijão veja começa a esfregar os pés no banco -

[RISOS]

- Já no quarto número 12... -

Enrique - Olhe me espere nas escadas do 1ª andar que eu preciso falar com você! Eu vou no banheiro e já volto! - Sai bem rápido -

- Chimoltrúfia não faz o que Enrique disse, e fica no quarto mesmo -

- As portas do elevador se abrem e Chaveco aparece em pé no banco -

[RISOS]

- Chaveco vai à caminho do quarto número 12 -

Chaveco - Chimoltrúfia onde é que está o hóspede deste quarto?

Chimoltrúfia - Disse que ia ao banheiro.

- Chaveco fica na frente da porta do banheiro -

- Enrique sai do banheiro, e achou que era Chimoltrúfia que o esperava e diz:

MEU AMOR!

[RISOS]

Chaveco - Êêêêêê, tá me estranhando é?

Enrique - Desculpa, mas o que você quer?

Chaveco - Vim pegar a minha gorjeta.

Enrique - Ah sim - Abre a carteira, pega algumas moedas e dá pra Chaveco - Aqui está.

Enrique - Obrigado viu - Acena com o boné e vai embora pelas escadas -

- Enrique vai embora pro quarto e se encontra com Chimoltrúfia -

Enrique - Enfim sós!

Chimoltrúfia - É, enfim sós pra quê?

Enrique - Como? Por acaso não se lembra que a gente namorou?

Chimoltrúfia - Nós? Nunca!

Enrique - Sim!

Chimoltrúfia - Você deve ter se confundido, afinal eu tenho uma irmã gêmea!

[RISOS]

Enrique - Irmã gêmea?

Chimoltrúfia - Sim. Já que você nunca falou com minha mamãezinha não tinha como saber.

Enrique - Bom, isso é verdade. E ai?

Chimoltrúfia - E aí?! E aí que eu já tenho a solução.

Enrique - Qual?

Chimoltrúfia - Vou pra casa falar com minha irmã pra ele te ver!

Enrique - Sério?! Faria isso? Obrigado!

Chimoltrúfia - Bom e agora que eu "esclareci o esclarecimento", eu vou embora. Tchau!

- Sai do quarto -

Enrique - Finalmente irei revê-la - Fica um pouco pensativa e completa:

EI, VOCÊ AINDA NÃO ARRUMOU O QUARTO!

[RISOS]

- Sobe uma BGM e fim do bloco 2 -

BLOCO FINAL

- O cenário agora é mudado para a casa de Chimoltrúfia e lá estão Agrimaldolina e sua filha -

Agrimaldolina - Como? Fingir que sou sua irmã?

Chimoltrúfia - Mas é claro mamãezinha! Nós somos bem parecidas, ou seja, você é quase tão bonitona quanto eu!

[RISOS]

Agrimaldolina - Que modéstia não? Me diz uma coisa, ele é feio?

Chimoltrúfia - Hum, não sei.

Agrimaldolina - E não acha que seria perigoso pra mim?

Chimoltrúfia - Hum... E se fosse bonito?

Agrimaldolina - Ahh - Exibindo seu charme - Perigoso pra ele!

[RISOS]

Chimoltrúfia - Mamãezinha!

Agrimaldolina - Não filha não! Não irei me sujeitar a isso. E outras você deveria contar a "verdadeira verdade" pro Botijão!

- Botijão e Chaveco entram na casa -

Botijão - QUE VERDADE?

Chimoltrúfia - Sabe que é, é - Botijão segue o diálogo encarando Chimoltrúfia - Tá bom Botijão vou te contar a verdade.

Botijão - Vamos, então conte...

- Depois de Chimoltrúfia contar a verdade, ele completa -

Entendeu Botijão?

Botijão - É, acho que sim, mas meu amor se esse sujeito ainda está atrás de você?

Chimoltrúfia - Sim, mas afinal qual homem não se apaixona por uma gata como eu?

- Chaveco faz uma cara de nojo, seguido por Botijão, e este completa:

Ah, claro, de qualquer forma temos que pensar em alguma coisa, porque esse sujeito ama você de verdade, pode ser que ele esteja disposto a fazer de tudo!

Chimoltrúfia - Ah, é mesmo! - Cara de opressão -

- Todos os presentes ficam bem pensativos -

- Batem na porta -

Chimoltrúfia - Ai meu Deus, deve ser ele. Eu tô perdida - Fica nervosa e andando em círculos -

Chaveco - Chimoltrúfia se esconde nesse baú! - Abre o baú que fica ao lado da porta -

- Quando Chimoltrúfia entra, Chaveco bate com força no baú para fecha-lo acertando a cabeça de Chimoltrúfia -

Botijáo - Você é um bárbaro!

Chaveco - Desculpa Boti, mas é que...

Botijão - CALA A BOCA! E atenda logo essa porta!

Chaveco - Tá bom!

- Abre a porta e se depara com Enrique, e completa:

Ahhhh, é você!

Enrique - SIm, se lembra de mim? Haha

Chaveco - Claro que eu me lembro, você me deu uma boa gorjeta hoje!

Enrique - Claro e... - Ele olha para Agrimaldolina e fica pensativo com o que Chimoltrúfia disse antes "Você deve ter se confundido, afinal eu tenho uma irmã gêmea".

- Percebendo que Enrique estava distraído, Chaveco pergunta:

Ei moço, o que aconteceu?

- Enrique dá um empurrãozinho em Chaveco e corre em direção a Agrimaldolina:

- MEU AMOR!

- Ela fica surpresa e diz:

É comigo é?

Enrique - Claro, não se lembra de mim Maria Expropiação?

Agrimaldolina - Maria Expro... - Acaba pensando no que Chimoltrúfia havia lhe dito: "Você tem que fingir que é minha irmã gêmea" - Ah claro que sim lindo!

- Enrique se levanta e diz contente:

Venha para meus braços querida!

Agrimaldolina - Você é que manda! - Pula em cima dele -

- Chaveco e Botijão fica com uma cara de nojo -

- Depois, estão todos reunidos na casa de Botijão comentando sobre o assunto -

Botijão - Pois é, faz mais de uma semana que a sua mãe e aquele cara sumiram.

Chimoltrúfia - Éééééé, mas que bom que ele acreditou que ela é minha irmã!

Chaveco - Sorte sua né...

Botijão - Pois é, mas isso me põe numa dúvida terrível!

Chimoltrúfia - Qual?

Botijão - Como pode ter existido um cara que gostou da sua mãe?

[RISOS]

Chaveco - Da Chimoltrúfia eu que o diga! Hahaha

Chimoltrúfia - Que que cê disse Chaveco? - Como a levantar as mangas da blusa -

Chaveco - Não, não nada.

Chimoltrúfia - Pois fique sabendo que muitos homens gostaram de mim, e uma prova é esse tal de Enrique aí viu?!

Chaveco - Ah, claro - Olha com certo sarcasmo -

Chimoltrúfia - E quanto à você Botijão, fique sabendo que o meu pai gostava da minha mãe! - Fala com um tom de raiva -

Botijão - SIm, mas é que seu pai... - É interrompido -

Chimoltrúfia - Olha, eu só não te dou uma porque... - Batem na porta -

Botijão - Bateram na porta? E a esta hora?! - Vai entender -

- Quando abre a porta, ele se depara com Enrique -

Chimoltrúfia - Não!

Enrique - Oi Maria Expropiação.

Botijão - Bom, pra você ter chamado ela te Maria Expropiação já deve saber a verdade.

Enrique - Pois sim, mas só vim aqui pra dizer que não sinto mais nada por ela.

Chimoltrúfia - Não? - Demonstra certa tristeza -

Enrique - Espero que você me perdoe, mas é que eu acabo de encontrar o amor da minha vida. Amor vem cá! - Olha pra trás -

Agrimaldolina - Então, quando vamos ao cinema?

Enrique - Hihi - Abre um sorriso -

- Botijão e Chimoltrúfia se surpreendem e Chimoltrúfia fica sem reação -

- O episódio acaba com um close do casal, sobe os créditos e fim do episódio -

Feita por: Don Juan Aquiles (Don_aCHiles)

  • Like 2

Share this post


Link to post
Clark Kent

Ficou massa. :chaplin: Nossa, eu não teria imaginação o suficiente para escrever tudo isso. :tonguemad:

Share this post


Link to post
Biia*~*

Rodrigo alcançou o topoD=

Qui, eu não sabia que voce escrevia também. Gostei muito da história, parabéns ^^

Share this post


Link to post
JoelJunior15

Ficou ótima Aquiles... Você escreve super bem. Ás vezes eu tenho umas ideias na cabeça sobre Fanfics CH, mas confesso que só de pensar em pôr no papel, perco a paciência... :(

Edited by JoelJunior15

Share this post


Link to post
Don_aCHiles

Ficou massa. :chaplin: Nossa, eu não teria imaginação o suficiente para escrever tudo isso. :tonguemad:

huehe, valeu. :)

Rodrigo alcançou o topoD=

Qui, eu não sabia que voce escrevia também. Gostei muito da história, parabéns ^^

Sim, sim. :) Mas não escrevo muito, pra falar a verdade nem curto tanto, por isso sai no máximo 1 história/por ano. :P

Obrigado! :D

Ficou ótima Aquiles... Você escreve super bem. Ás vezes eu tenho umas ideias na cabeça sobre Fanfics CH, mas confesso que só de pensar em pôr no papel, perco a paciência... :(

Valeu cara! :D

Pra você ter uma ideia, esse história venho escrevendo desde Março nas aulas de Sociologia (acho que foi por isso que fui pra final :P), mas não escrevia tanto por semana, pois me cansava fácil.

O ideal é você é escrever bem pouco, e claro ter a ideia da história toda na cabeça. :D

Share this post


Link to post
Mozer da Silva Reis

Minha estréia no ramo das fanfics:

Título:O Chiclete que Grudou no Chapéu(1978)

Elenco:Roberto Gómes Bolanõs(Chaves),Carlos Vilagrán(Quico),Ramón Valdes(Seu Madruga),Rubén Aguirre(Professor Girafares),Maria Antonieta de las Nieves(Chiquinha),Florinda Meza(Dona Florinda).

BLOCO 1

O começo é o mesmo das versões anteriores.Quico está brincando de carrinho no pátio principal da vila,quando Dona Florinda chega e se depara com o filho.

Dona Florinda:O que está fazendo,tesouro?

Quico:Brincando de trânsito,mamãe,olha,essa aqui é a estrada 178,esta é a estrada 215 e aquela outra é a estrada 421.

Dona Florinda:Sim,mas você não se lembra de que fomos convidados para uma festa de aniversário importante e por isso você não pode sujar sua roupinha nova?

Quico:Ah,é mesmo mas eu prometo que não vou sujar nada.

Dona Florinda:Promete mesmo?

Quico:Sim mamãe!

Dona Florinda:Está bem,comporte-se bem hein,tesouro.(ela entra em casa)

Quico:Pode deixar!(o bochechudo se agacha novamente para voltar brincar com seus carrinhos)

Chaves vem do segundo pátio segurando a bola do Quico.

Chaves:Olha,Quico,vamos jogar futebol com a sua bola lá no segundo pátio vamos?

Quico:Não vai dar,Chaves,tenho que ir a uma festa e não posso sujar minha roupinha.

Chaves:Mas existe um jeito de jogar bola sem sujar seu terninho!

Quico:Qual?

Chaves:Eu jogo e você fica olhando!

[risadas de fundo]

Quico olha com cara de besta para a câmera.

Quico:Ah,não,assim eu não quero.

Chaves:E então?

Quico:E então nada!Não quero sujar minha roupa nova.

Chaves:É nova?

Quico:Sim,e acabou de sair da barbearia.

Chaves:Da barbearia?

Quico: Aham.

Chaves:Não seria da tinturaria,tonto.

Quico:Não é da barbearia,pois é casimira penteada.[risadas de fundo]

Chaves:Ah!Então,já que você não quer jogar futebol me deixa brincar com seu carrinhos,hein?

O metido faz que sim com o rosto,só que quando Chaves se aproxima dos brinquedos,ele solta um grito:

Quico: NÃÃO!

Chaves:Não?

Quico:Não,pois você é muito atrapalhado e vai acabar sujando minha roupa.

Chaves:Ah é pois olha o que eu faço com sua terra.

O órfão chuta a terra em Quico,que acaba sujando seu lindo terninho de marinheiro.

Quico:Vai ver só,Chaves,eu vou contar tudo pra minha mãe![ele entra]

Chaves:Pois pra mim pouco importa,e pra provar que eu não tenho medo eu vou continuar chutando a terra!

Seu Madruga entra na vila e é recebido pela pancada de terra dada por Chaves.

[risadas de fundo]

Seu Madruga(após limpar os olhos):Tinha que ser o Chaves de novo!

Chaves:Foi sem querer querendo!

Seu Madruga:Foi sem querer querendo!(imitando o garoto)

Depois de dizer isso,Seu Madruga volta a limpar o rosto com a mão.Chaves,ao perceber o chapéu estranho que o pai da Chiquinha usava,começa a andar em volta dele.Seu Madruga logo percebe a presença do menino do oito.

Seu Madruga:O que foi?

Chaves:Se parece o Seu Madruga.(diz o órfão,olhando fixamente para os olhos de Ramón)

Seu Madruga:Como me pareço,eu sou tonto!

Chaves:Até nisso ai se parece.

[risadas de fundo]

Seu Madruga:Olha,Chaves,eu posso saber porque está me confundindo com outra pessoa.

Chaves:Por causa do chapéu!

Seu Madruga:Mas o que tem no chapéu...Nossa!(exclama Seu Madruga,olhando o seu chapéu)

Chaves:O que foi?

Seu Madruga:Eu me enganei de chapéu!

Chaves:Se enganou?(Chaves pergunta,desconfiado)

Seu Madruga:Claro que me enganei!Meu patrão para almoçar em um restaurante e nós dois colocamos o chapéu no mesmo lugar e na certa.Bom,não tem perigo amanhã eu devolvo.

Seu Madruga ia embora mas antes volta para Chaves:

Seu Madruga:Ah,e eu quero que você limpe o pátio,deixe tudo limpinho,tire essa terra daqui ô,ô(ele começa a chutar a terra,assim como Chaves fazia minutos atrás)

Dona Florinda e Quico saem de casa e vêem Seu Madruga chutando a terra.A mãe de Quico se aproxima do morador do 72:

Dona Florinda:Só podia ser o senhor,né?

Seu Madruga:Eu o quê?(a viúva dá sua costumeira bofetada em Seu Madruga)

Dona Florinda:Vamos tesouro não se misture com essa gentalha!

Quico:Sim,mamãe!(diz ele,já se aproximando do pai da Chiquinha)Gentalha,Gentalha!Bruuu!

Dona Florinda:E da próxima vez vai sujar a roupinha da sua avó.

Após Dona Florinda e o filho entrarem em casa,Seu Madruga se prepara para jogar o chapéu de seu patrão no chão mas não o faz.Ele então,expulsa sua raiva fazendo gestos com o braço e as pernas.Chaves fica observando.Ramón percebe e logo para os gestos.

Seu Madruga:E agora o que quer?

Chaves:Agora sim,ficou parecendo o Seu Madruga![risadas de fundo]

Seu Madruga:E ainda tinha alguma dúvida!

Chaves:Bom,o senhor não me bateu ainda,né.

Seu Madruga:E porquê não tinham me dado tempo,Chaves!Toma!(dá um cascudo em Chaves)

Chaves:Pi Pi Pi Pi Pi Pi Pi Pi!

Seu Madruga:Pi Pi Pi Pi Pi Pi Pi!(imita o órfão)Só não te dou outra porquê!

O rabugento vai em direção a casa quando passa por Chiquinha,que estava observando tudo.

Chiquinha:Hoje em dia tem cada sem vergonha abusando de crianças indefesas!

Seu Madruga escuta o comentário da filha e com cara de bravo,se vira e diz:

Seu Madruga:O quê disse?

Chiquinha(assustada):Não nada,com licencinha!

A menina corre para o segundo pátio e Seu Madruga fica fazendo cara feia pra câmera.Aplausos.Fim do primeiro bloco.

Continua...

Edited by Mozer da Silva Reis

Share this post


Link to post
Mozer da Silva Reis

Título:O Chiclete que grudou no chapéu(1978)-Continuação.

BLOCO 2

BGM Animada.Quico está no primeiro pátio contando seus carrinhos.

Quico:Um,dois,três,quatro,ué...Um dois três quatro.

O riquinho se levanta e começa a procurar o carrinho que falta sem saber que está segurando o mesmo.Chiquinha vem do segundo pátio cantando aos pulos.

Chiquinha-Peludindindinho,Peludãodãodão,meu caozinhozin...

Ela para de cantar ao ver Quico revirando um vaso de flor da Dona Clotilde.De repente,se aproxima do menino:

Chiquinha:O que está procurando,Quico?

Quico:O meu carrinho!Olha,só(ele leva Chiquinha até onde os seus carrinhos estão)um,dois,três,quatro até agora a pouco eu tinha cinco.

Chiquinha percebe o carrinho na mão de Quico.

Chiquinha:Tem um na sua mão,tonto!

Quco:Aqui!(diz o bochechudo,apontando a mão errada)

Chiquinha:Nesta não bobão,na outra mão!

Quico:Na outra?

Chiquinha:Mas é claro!

O tesouro olha para a mão que Chiquinha o indicou e finalmente acha o carrinho "perdido".

Quico:Por isso eu digo que não falta um carrinho.

Chiquinha:Acho melhor eu ir embora,pois sua burrice pode ser contagiosa.(ela sai)

Quico:Vai,vai salpicadinha sem graça.(diz o metido se agachando para brincar.)

Chaves surge de dentro do barril e vê Quico brincando de carrinho.Ele sai e vai até o bochechudo.

Chaves:Quico,agora você deixa eu brincar com seus carrinhos.

Quico:Já disse que não.

Chaves:Pois fique sabendo que eu também não vou te dar um chiclete da minha caixa de chicletes viu.

Quico:Ah,eu também nem queria!

Quico fica com vontade ao ver o amigo prestes a abrir sua caixa de chicletes.Ele então se levanta e faz um pedido a Chaves:

Quico:Chaves?

Chaves(com o chiclete na boca):Hum!

Quico:Me dá um chiclete!

Chaves: Uhum!

Quico:Então me dá a metade!

Chaves: Uhum!

Quico:Nem um pedacinho!

Chaves: Uhum!

Quico:Um belisquinho!

Chaves: Uhum!(faz que sim com a cabeça)

Quico:Então me dá...AAAAI!(entra chorando em casa,professor Girafares chega)

Professor Girafares: Por que o Quico saiu daqui chorando!

Chaves: Uhuuuuuuum!(fazendo gestos com a cabeça)

Professor Girafares: Como?

Chaves: Uhuuuuuuum!( ainda fazendo gestos com a cabeça)

Professor Girafares: Está mascando chiclete não está.

Chaves faz que sim com a cabeça.

Professor Girafares: Pode cuspi-lo.

Chaves mais uma vez responde que sim.O garoto do oito pega o chiclete,o cospe e volta a coloca-lo na boca.

Professor Girafares: Não,Chaves,não.Quando eu perguntei se você pode cuspi-lo queria saber se não podia simplesmente jogar o chiclete fora.

Chaves pega o chiclete novamente e finge fazer o que o Professor disse.O órfão gruda o chiclete no barril enquanto o mestre pensa que ele jogou no chão.

Professor Girafares: Mas no chão não.Chaves,onde caiu?

Chaves:Por ai!

Professor Girafares: Errado,muito errado...

Nesse momento,Seu Madruga sai de casa e cumprimenta o professor:

Seu Madruga:Olá,Mestro Linguiça.

Professor Girafares:Tá,tá,tá,tá,tá,tá!Meu senhor,nem sou mestro e meu nome é linguiça.Sou linguiça e meu nome é professor.Er...quero dizer sou professor e meu nome é Girafares.

Seu Madruga:Am,então Linguiça é apelido?

Professor Girafares:Sim,e de muito mal gosto por sinal.

Seu Madruga:Eu não acho lhe cai como uma luva!

Professor Girafares:Como é...Vai me dizer que o senhor não tem nenhum apelido.

Seu Madruga:Claro que sim,como não,algumas garotas me chamam de Mamá.

Chaves:Não é verdade,a Dona Florinda chama ele de lombriga esticada

Professor Girafares ri.Seu Madruga fica irritado:

Seu Madruga:Olha,Chaves,não volte a mencionar a valentona do 14,ouviu bem!

O mestre percebe que Seu Madruga falava de Dona Florinda e para de rir.

Professor Girafares:Escute aqui,a quem o senhor se referiu quando disse:a valentona do 14?

Chaves:È assim que o Seu Madruga chama a mamãe do Quico.

Seu Madruga:CHAVES!!!

Professor Girafares:Ah é,pois se você voltar a insultar aquela divinissima dama eu quebro tudo que se chama cara.

Seu Madruga:O senhor,me bater?

Professor Girafares:Sim!

Seu Madruga:Hum,não será muito fácil!

Professor Girafares:Não deve ser tão díficil.

Seu Madruga:Olha,professor,eu não brigo na frente das crianças!E há uma criança presente.

Chaves:Sendo assim,então eu vou embora.Não tem problema...

Chaves já ia em direção ao segundo pátio quando é puxado pelo Seu Madruga.

Seu Madruga:Você fica...

Professor Girafares:Por acaso o senhor está com medo de levar umas bofetadas?

Seu Madruga:Eu com medo do senhor,só pode estar louco!

Professor Girafares:Mentecapto!

Seu Madruga:Mentecinco!

Professor Girafares:Mas o que é,ham?

Seu Madruga:O que é o que?

Professor Girafares:Quer levar socos,é?

Seu Madruga:Então,vem então pode vir(diz o pai da Chiquinha,já se preparando para golpear o professor Girafares)

Professor Girafares:Chaves,segure meu chapéu!(entrega o chapéu para Chaves)

Seu Madruga:Chaves,segure o meu chapéu

Chaves pega o chapéu de Seu Madruga e deixa o do professor cair.

Professor Girafares:Recolha esse chapéu!

Ao pegar o chapéu do professor,Chaves deixa o do Seu Madruga cair.

Seu Madruga:Pegue esse chapéu!

O chapéu do Mestre Girafares cai novamente das mãos de Chaves.

Professor Girafares:Pegue esse chapéu,Chaves!

Seu Madruga:Mas sem soltar o meu!(diz ele,ao ver Chaves agachando para pegar o chapéu do namorado de Dona Florinda)

Desta vez,o órfão deixa cair as flores que estava em suas mãos.Mas consegue pegar o chapéu do professor sem soltar o do Seu Madruga.

Professor Girafares:Pegue já essas flores!

Seu Madruga:E não solte o meu chapéu.

Professor Girafares:E o meu,também não.

O menino morador do oito se embola todo tentando pegar as flores sem soltar os dois chapéus.Chiquinha,que vinha da rua,intérvem:

Chiquinha:Ai,Chaves deixa que eu pego as flores.Vem,vamos para o canto!

Chiquinha pega as flores de Dona Florinda e ela e Chaves vão pra perto da casa de Seu Madruga para assistir a briga.

Professor Girafares:E então,preparado!

Seu Madruga:Digamos que eu tenha nascido preparado.

Professor Girafares:Òtimo!Que bom ouvi isso.

Ao dizer essas palavras,o mestre joga o charuto para cima e ele acaba caindo bem na boca de Quico,que saia de sua casa.O menino começa a andar completamente zonzo e é acertado por muitos socos,durante o "duelo" entre o professor e Seu Madruga,acabando por desmaiar.Dona Florinda,que ouvira a confusão de dentro de sua casa,foi ver o que tinha acontecido.

Dona Florinda:Mas o que está...?(paraliza ao ver Professor Girafares)

BGM romântica.

Dona Florinda:Professor Girafares!

O mestre também a vê e passa por cima de Quico para admirar a velha carcomida.

Professor Girafares:Dona Florinda!

Dona Florinda:Que milagre o senhor por aqui!

Professor Girafares:Pela senhora eu viria toda noite vê-la.

Dona Florinda:Ai,o senhor não quer entrar para tomar uma xícara de café.

Professor Girafares:Não será muito incômodo!

Dona Florinda:De maneira nenhuma,queira entrar.

Professor Girafares:Depois da senhora!

Dona Florinda entra e Professor Girafares vai atrás.Ao ver os dois entrando,Seu Madruga exclama:

Seu Madruga:E da próxima vez vou bater mais forte.

Ramón entra em casa com ambas as mãos no bolso.

Chiquinha:Você viu,Chaves?

Chaves:Sim!

Chiquinha:Bateram no Quico.

Chaves:È,só que quem sabe as pancadas que ele levou na cabeça não sirva para melhorar o cérebro dele.

Chiquinha:Pode ser!(a sardenda olha para Quico que continua estirado no chão)

Chaves:Chiquinha!?

Chiquinha:Eu?

Chaves:Aceita um chiclete?

Chiquinha:Sim,claro.

Chaves:Então tá espera ai.

Chaves vai até o seu barril e pega o chiclete que tinha grudado lá.Ele o oferece para Chiquinha.

Chaves:Aqui está!

A filhinha do Seu Madruga faz cara de nojo e após jogar as rosas de Dona Florinda no chão coloca a mão na boca e entra em casa.Chaves fica com cara de desentendido e coloca na boca o chiclete que estava no barril.Aplausos.Fim do segundo bloco.

Continua...

Comentem por favor!

Edited by Mozer da Silva Reis

Share this post


Link to post
Tony Nelson

Pois continue oras :P

Gosto muito de fanfics. Como não sei escreve-las, eu me contento em ler as dos outros :D

  • Like 1

Share this post


Link to post
Mozer da Silva Reis

Para comemorar meu ducentesimo post eu trago agora a última parte da minha fanfic:a terceira versão de A Troca de Chapéus,de 1978.Confira:

BLOCO 3

BGM tradicional.Quico está brincando de triciclo no pátio principal quando Chaves chega nervoso.

Chaves:È agora,Quico,é agora.

Quico:Não,chaves,aguenta,aguenta!

Chaves:Não é isso,tonto.

Quico:E então?

Chaves:È que eu joguei o chiclete.

Quico:Ah,só por isso!

Chaves:Mas você não sabe a dimensão do problema.

Quico:Como assim?

Chaves:E que o Seu Madruga me deu o chapéu para segurar e eu grudei nele o chiclete,eu tentei tirar e grudou mais ainda ai eu tentava tirar de novo e grudava mais e mais.

Quico:Chaves,como você é burro.Deixa que eu vou lá tirar o chiclete.

O bochechudo vai para o segundo pátio,Seu Madruga chega e aborda Chaves.

Seu Madruga:Escuta Chaves,me dê o chapéu.

Chaves:Que chapéu?

Seu Madruga:Como que chapéu?O chapéu do meu patrão que eu te dei enquanto batia no Professor Girafares.

Chaves:Ah,o chapéu!

Seu Madruga:Me entrege aqui!

Chaves:Eu vou lá buscar.

Seu Madruga:Vai então(ele entra em casa)

Chaves faz que vai para o segundo pátio mas continua no pimeiro,nervoso.Quico chega.

Quico:Calma,calma,calma.Calminha!

Chaves:Quico,e o chiclete?

Quico:Bom,eu tentei tirar com uma pedra.

Chaves:E?

Quico:Grudou mais.

Chaves fica desanimado.

Chaves:Que idiota Quico,me dá essa tesoura deixa eu tentar,burro(o orfão vai para o segundo pátio)

Chiquinha sai de sua casa.Ao ver Quico no pátio,a pintada se aproxima dele:

Chiquinha:Olha Quico,você não viu o Chaves?

Quico:Ah sim,foi resolver o problema de um chapéu.

Chiquinha:Só pode ser o chapéu que meu papai tava falando.

Quico:Sim,e seu pai gosta de chiclete.

Chiquinha:Bom,eu não sei o que tem a ver uma coisa com a outa mas sim ele deve gostar.

Quico:Embalado em um chapéu?

Chiquinha:Bom...(pausa logo após perceber tudo)O que está querendo dizer?

Quico:Sinto muito,Chiquinha,eu não vou poder disser que o meu amigo Chaves grudou chiclete no chapéu.

Chaves chega.

Chaves:Quico...(vê Chiquinha)Tchauzinho!

Chiquinha:Vem cá!Agora me diga que história é essa de chiclete no chapéu.

O menino do oito olha para Quico como se dizesse:"seu dedo duro".Chiquinha continua:

Chiquinha:Anda,Chaves,que história é essa de ter grudado chiclete no chapéu do meu papai.

Chaves:Pois...

Seu Madruga vem atrás dos meninos e ouve a pergunta da filha.

Seu Madruga:O quê?O Chaves grudou chiclete no chapéu do meu patrão.

Chiquinha:Sim,pois é pois é pois é.

Chaves:Mas não dá pra notar.

Seu Madruga:Jura que não dá pra notar.

Chaves:Não,principalmente agora que eu fiz um buraco.

Seu Madruga:Você fez um buraco no chapéu.

Chaves:Sim!

Seu Madruga:Francamente,francamente!Agora me diga com que chapéu vou me apresentar ao meu patrão?

Chaves:O senhor pode dizer que é um chapéu para o verão.

Seu Madruga:Toma seu verão!(bate em Chaves)

Chaves:PIPIPIPIPIPIPIPI!!!!

Seu Madruga:PiPiPiPiPiPi(imitando Chaves)Só não te dou outra porquê.Mas agora me diga com qual cara me apresento ao meu patrão?

Quico:Também grudou chiclete na cara.

O pai de Chiquinha belisca Quico.Ele como sempre chama por sua mãe.Dona Florinda e Professor Girafares saem de casa assustados com os gritos do tesouro.

Dona Florinda:O que houve?

Seu Madruga:Conta que eu faço dois buracos na sua bochecha.

Professor Girafares:Eu quero saber o que aconteceu.

Chiquinha:Nada,Mestre Linquiça...

Professor Girafares:Tá,tá...

Chiqinha(tentando acalmar o sábio):Digo,Professor Girafares,é que o Chaves do Oito grudou chiclete em um chapéu.

Dona Florinda:Tanta gritaria por causa de um chpéu.

Seu Madruga:È porque ele não era meu,senhora.Ah mas isso sim,você vai ter que me pagar(fala para Chaves)

Chaves:Quanto custa o buraco?

Seu Madruga:O que você vai me pagar é o chapéu.

Chaves:Mas eu não fiz o chapéu eu só fiz o buraco.

Seu Madruga:Certo,mas você vai me devolver o chapéu.

Chaves:E o senhor me devolve o buraco.

Seu Madruga:Olha Chaves,eu vou te devolver um...

O desempregado quase bate em Chaves,quando Professor Girafares interrompe:

Professor Girafares:Um momento,um momento,quanto pode custar um chapéu?

Seu Madruga:Bom,no minimo,no minimo,no mínimo uns 500 mil.

Professor Girafares:Toma!(o mestre entrega uma nota a Seu Madruga)

Dona Florinda:Ai professor Girafares,o senhor tem um coração imenso.

Mudança de cena.Chaves,Seu Madruga e Chiquinha estão observando o chapéu:

Seu Madruga:Uè,onde está!Veja filhinha!(ele entrega o chapéu para Chiquinha)

Chiquinha:Não tô vendo buraco nenhum.(entrega o chapéu novamente para o pai)

Seu Madruga:Nem eu

A câmara focaliza Professor Girafares se despedindo de Dona Florinda.

Professor Girafares:Até logo,Dona Florinda!

Dona Florinda:Até,Professor Girafares!

O pedagogo tira o chapéu e se percebe o buraco feito por Chaves.Ao ir embora,o professor passa por Quico, que vinha da rua.

Quico:Até logo,papi!Digo,professor.

Ele não responde e segue caminho.Seu Madruga e as crianças aparecem de novo:

Chaves:E não é que eu me enganei de chapéu.

Seu Madruga:Não se preocupe Chaves,errar é humano,é humano.Portanto, não se preocupe errar é humano,é humano(o pai da Chiquinha entra em casa apreciando o dinheiro dado para ele pelo professor Girafares.)

Chaves e Chiquinha caminham até Quico e seus carrinhos.Os créditos sobem.

FIM DO EPISÓDIO.

,

Edited by Mozer da Silva Reis

Share this post


Link to post
Onifur Bem da Cara

Roteiro especial!

O Aniversário do Chaves (1976) - Episódio inédito especial exibido dia 21 de fevereiro de 1976 (sábado), que fica entre "O Defunto será maior?" e "Bombinhas são perigosas...".

Elenco:

Chespirito como Chaves

Carlos Villagrán como Quico

Ramon Valdés como Seu Madruga

Florinda Meza como Dona Florinda

Edgar Vivar como Seu Barriga e Nhonho

Maria Antonieta de las Nieves como a Chiquinha

BLOCO 1

O episódio começa com Chaves vindo do segundo pátio e indo até a casa da Dona Florinda. Ele começa a bater na porta.

Chaves: Quico!

Dona Florinda abre a porta.

Dona Florinda: O que é?

Chaves: Quico está em casa?

Dona Florinda: Não, não está. Ele foi comprar ovos e farinha pra gente fa... Escuta, o que te importa?

Dona Florinda fecha a porta, na cara do Chaves. Ele vai para o segundo pátio e volta com pedalando um triciclo. Chiquinha sai de casa e vê ele brincando com o triciclo.

Chiquinha: Chaves, Chavinho, me deixa brincar com o triciclo?

Chaves: Não, porque é do Quico.

Chiquinha: E o Quico te deixou brincar com o triciclo dele?

Chaves: Bom, ele não disse que sim, mas também não disse que não.

Chiquinha: Larga de ser ridículo, Chaves, o Quico não te emprestou esse triciclo aí.

Chaves: Arbado não é rouchado!

Chiquinha: Quê?

Chaves: É que... Achado não é roubado!

Chiquinha: Viu? Olha, aí vem o Quico. Eu vou contar pra ele.

Quico aparece, vindo do portão da vila com pacotes de farinha e ovos na abaixo dos braços. Ele vê o Chaves brincando com o triciclo.

Quico: Ei, ei, ei, eeeeeeeeei! Quem te deu permissão para brincar com meu triciclo?

Chiquinha: Eu sabia que o Quico não tinha te emprestado, Chaves.

Chiquinha se aproxima do Quico.

Chiquinha: Quico, saiba que o Chaves disse que ele te bate, que ele tira sangue do seu nariz contra sua vontade, que você não passa de um bochechudo, que você é mais burro do que a velha carcomida da sua mãe, pois é, pois é, pois é!

Quico vai caminhando até o Chaves.

Quico: E você acha que eu tenho medo do Chaaaaaaaaa...

A câmera mostra o Chaves com as mãos prontas para dar sua combinação de três socos. Quico volta para onde estava a Chiquinha.

Chiquinha: E então?

Quico: Bom, bom, eu não tenho medo dele, o negócio é que estou segurando estes pacotes de farinha e de ovos, aí não dá pra eu dar uma surra nele!

Chiquinha: Não tem problema, eu seguro.

Chiquinha começa a tirar os pacotes de baixo dos braços do Quico.

Quico: Ainda bem, eu vou mostr... NÃO, NÃO, NÃÃO, ESPEEERA AÍ, espera, bota esses pacotes aqui onde estavam.

Chiquinha: Ahá! Está com medo, não falei que está? O Chaves tem toda razão.

Quico: Eu nunca tive medo daquele coisinho que tem um boné que parece que tem orelhas de cachorro.

Chaves se aproxima do Quico, com as mãos prontas para atacar.

Quico: De vaca?... De boi?... De Gatinho?... Anteninhas do Chapolin, isso sim!... De cavalo?... Não deu.

Chiquinha: Vamos lá, Chaves, dê uma surra no Quico!

Quico: E você cale essa boca!

Chiquinha: Está tremendo de medo de verdade, não é? Se fosse um homem já teria batido nele.

Quico: Pois é isso que vou fazer.

Quico dá um soco no Chaves, como sempre faz.

Chaves: Você me bateu...

Quico: Claro que sim, burro, não está vendo?

Chaves: E na minha presença...

Quico: E agora, e agora? Hein, hein? Atreva-se a me bater!

Chaves: Eu não sou capaz de te bater...

Quico: Há, há há há há há! Eu sabia! Você nunca ganha de mim, Chaves!

Chiquinha: Vamos, o que foi, amarelou, Chavinho?

Chaves: Bater é uma coisa, e tacar um tijolo para fazer a pessoa engolir os dentes é OUTRA!

Chaves pega um tijolo do chão.

Quico: Não Chaves, não! MAMÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃE!

Seu Barriga: O que está acontece...

Chaves joga o tijolo e Quico se abaixa, fazendo com que o tijolo acertasse o Sr. Barriga, que vinha logo atrás.

Seu Barriga: Hehehe, hehehehehe!

Seu Barriga desmaia.

Seu Madruga sai de casa e vê o Seu Barriga desmaiado. Ele olha pras crianças:

Seu Madruga: Mas que escândalo é ess... Nossa! O que diabos! Moleques! O que vocês estão fazendo? O que estão fazendo!

Chiquinha: A culpa é toda do Chaves!

Chaves: Pois, pois...

Quico: O Chaves deu uma tijolada nele!

Seu Madruga: Onde é que está o tijolo?

Quico: Ali, do lado do Seu Barriga!

Quico aponta para onde está o tijolo e Seu Madruga vai pegar. Chiquinha e Quico se afastam. Depois volta para onde está o Chaves:

Seu Madruga: Chaves, isto não é um brinquedo. Isto é um tijolo, UM TIJOLO! Você quer levar uma tijolada na cabeça pra ver como se sente?

Chaves: Não, obrigado, o Seu Barriga já me mostrou como é!

Seu Madruga: Ora seu... Ora seu! Que diabos...

Enquanto Seu Madruga fala, Dona Florinda sai de casa e vai até o Quico.

Seu Madruga: E sua intenção era acertar o Quico! Com que objetivo?

Chaves: Pois, ora, com o tijolo!

Dona Florinda: O que foi, Tesouro? O que aconteceu!

Quico: Mamãe, ele queria me dar uma tijolada!

Dona Florinda pensa que Seu Madruga é o culpado e se aproxima dele. Vê ele com o tijolo e fala:

Dona Florinda: Então resolveu atacar armado, não é?

Seu Madruga: Não, não, não, Dona Florinda, isso tem uma explica...

Seu Madruga leva uma cacetada. O tijolo cai de sua mão.

Dona Florinda: Vamos Quico, e não se junte com essa gentalha!

Dona Florinda já está indo para casa.

Quico: Sim mamãe.

Quico se aproxima do Seu Madruga.

Quico: Gentalha, gentalha!

Quico também vai junto com sua mãe.

Dona Florinda: Aah, e da próxima vez, vá dar tijoladas na dentadura da sua avó!

Dona Florinda e Quico entram em casa. Seu Madruga joga o chapéu no chão e começa a pular sobre ele. Chaves se aproxima:

Chaves: Seu Madruga, sua avózinha já perdeu todos os dentes levando tijoladas?

Seu Madruga dá um cascudo no Chaves:

Seu Madruga: TOMA SUA TIJOLADA!

Chaves: Pi, pi, pi, pi, pi, pi, pi! Pi, pi, pi!

Chaves está entrando no barril.

Seu Madruga: (imitando) Pi pi pi pi pi... Só não te dou outra porque minha avozinha batia tão forte que tinha o apelido de "Dona Tijolinha"

O que acontece depois? O que acontece com o Seu Barriga? Será que ele veio cobrar o aluguel? Por que o título desse episódio é "O Aniversário do Chaves?" O que aconteceu com os pacotes de farinha e de ovos que o Quico estava carregando debaixo dos braços?

Descubra, na próxima sexta, num episódio que é atualizado semanalmente: "O Aniversário do Chaves!"

OBS: Eu não sei se 3 semanas é tempo suficiente para ser considerado "ress" :S

  • Like 2

Share this post


Link to post
Tony Nelson

Curti a história Onifur, você escreveu ela muito bem :)

Só acho 3 semanas muito tempo...

Share this post


Link to post

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...