Jump to content
Sign in to follow this  
Bugiga

Fanfics e Remakes

Recommended Posts

Chaves 1000

Bom, vou postar o roteiro do episódio "A Casinha da Chiquinha" no lugar certo desta vez. Não sei se ficou bom, mas aqui está:

Roteiro do episódio A Casinha da Chiquinha

Roteiro original: Guilherme Aldeia de Souza

Ano do episódio: 1975

Duração do episódio: 21 minutos

Personagens:

Roberto Gómez Bolaños - Chaves

Ramón Valdés - Seu Madruga

Maria Antonieta de las Nieves - Chiquinha

Carlo Villagrán - Quico

Florinda Meza - Dona Florinda

Angelines Fernandez - Dona Clotilde (Bruxa do 71)

1º Bloco

Chiquinha está no pátio montando a sua casinha com tijolos em frente a casa dela.

[Chiquinha entra em casa e pergunta para o Seu Madruga que está lendo o jornal]

- Papai, você sabe onde está o meu lençol?

Seu Madruga: Eu lavei ele. Você não viu que está pendurado no varal?

Chiquinha: É mesmo, mas não deveria ter lavado ele.

Seu Madruga: Por que não?

Chiquinha: Ele nem estava tão sujo.

Seu Madruga: Não se lemba que você e o Chaves sujaram ele de terra?

Chiquinha: Mas sujamos pouco. O lençol estava sujo, pois você nestes últimos dias começou a dormir com ele. [risadas de fundo]

Seu Madruga: O que será que ela quis dizer? [risadas de fundo] Além disso, para que você quer o lençol?

Chiquinha: Para fazer o telhado da minha casinha.

Seu Madruga: Sua casinha?

Chiquinha: Sim!

Seu Madruga: É, pois fique sabendo que você não usar ele como telhado de sua casinha.

Chiquinha: E como tapete? [risadas de fundo]

Seu Madruga: Olha Chiquinha...

Chiquinha: Eu sei que vai sujar, mas como não sou que lavo mesmo... [risadas de fundo]

Seu Madruga: Ah, é? Pois da próxima vez, você vai lavar ele! Agora vai lá brincar com seus amiguinhos, menos de casinha. Não quero que você suja o lençol que eu acabei de lavar.

Chiquinha: Mas papai...

Seu Madruga: Fora!

Chiquinha: Mas...

Seu Madruga: Fora!

Chiquinha: Ma...

Seu Madruga: Fora!

Chiquinha: M...

Seu Madruga: Foooora!

[Chiquinha começa a chorar]

Chiquinha: Ué, ué, ué, ué, ué, ué! Você não deixa eu brincar de casinha! Saiba que eu vou sujar todas as roupas e lençóis para o senhor lavar tudo! Ué, ué, ué! [risadas de fundo]

[Chiquinha sai da casa]

Seu Madruga: Mas que menina desobediente! Será que não tem ningúem que eduque ela?! [risadas de fundo]

[Chiquinha para de chorar e vai até a casa do Quico e da Dona Florinda. Ela bate na porta]

[Quico abre a porta e vê a Chiquinha]

- Quem é?

Chiquinha: Mas como você é burro!

Quico: Até aí sem novidades. [risadas de fundo]

Chiquinha: Concordo. [risadas de fundo] Você é cego? Não está vendo que sou eu, besta!

Quico: Sim, eu sei que você é besta. [risadas de fundo]

Chiquinha: O quê?

Quico: Não, nada. O que você quer?

Chiquinha: Eu queria saber se você tem um lençol para me emprestar?

Quico: Para que você quer?

Chiquinha: Para fazer a minha casinha. Olha, já estou montando ela.

Quico: Mas você não tem lençol?

Chiquinha: Sim, mas o meu lençol de cama está molhado.

[Quico começa a rir]

Quico: Nesta idade e você ainda molha o seu lençol? [risadas de fundo]

[Chiquinha dá um pontapé no Quico]

Quico: Você não vai com a minha cara? [risadas de fundo]

Chiquinha: A culpa é sua! Eu não quis dizer que ele está molhado daquele jeito e sim que o meu pai lavou ele. Mesmo estando molhado, eu poderia usar ele, pois já esta quase seco, mas o meu pai não deixou eu usar.

Quico: Ah, bom! Eu vou ver se tem algum lençol.

Chiquinha: Quico, você não vai querer brincar de casinha comigo?

Quico: Brincar naquilo ali? [Quico começa a dar uma risada debochada] [risadas de fundo]

Chiquinha: Mas o que tem de errado na minha casinha?

Quico: Tudo! Olha, uma casinha gentalhinha assim como a dona! [Quico começa a rir] [risadas de fundo]

Chiquinha: O quê?

Quico: Se eu for brincar de casinha, eu sou brinco em casinhas decentes. É uma pena que você e o Chaves não são como eu.

Chiquinha: Ainda bem! [risadas de fundo]

[Quico fica bravo]

Quico: Ah, é? Agora eu vou...

[Chiquinha ameaça bater no Quico]

Chiquinha: O que você vai fazer, hein?!

Quico: Eu vou procurar o lençol para você.

Chiquinha: Ah, bem.

[Quico entra na casa dele para procurar o lençol. Chiquinha empurra o barril do Chaves (com ele dentro dele), até a casinha dela]

[Chaves sai do barril] [risadas de fundo]

Chaves: Quem foi que empurrou o barril comigo aqui dentro?

Chiquinha: Eu.

[risadas de fundo]

[Chaves fica espantado com a resposta da Chiquinha]

Chaves: Você?!

Chiquinha: Sim.

Chaves: Eu não suspeitei desde o princípio. [risadas de fundo]

Chiquinha: O que disse?

Chaves: Não, nada. Só não sei como você conseguiu empurrar o barril comigo dentro.

Chiquinha: Pois saiba que eu também não sei. [risadas de fundo]

Chiquinha: Olha, Chaves! Estou montando a minha casinha. Só falta o telhado. Você quer brincar comigo nela?

Chaves: Não, pois casinha é brincadeira de meninas.

[Quico sai da casa dele sem o lençol]

Quico: Chiquinha, eu não consegui encontrar um lençol na minha casa.

Chiquinha: Ah, que coisa ruim.

Chaves: Ora, mas o Quico não tem culpa de ser desse jeito. [risadas de fundo]

Quico: A Chiquinha não estava se referindo a mim quando ela disse “coisa ruim”. Ele disse isso, pois ficou indignada por eu não ter encontrado um lençol.

Chiquinha: Não, eu me referi a você. [risadas de fundo]

Quico: Está vendo como ela não... O que você falou, Chiquinha?

Chaves: E quando eu disse que você não tem culpa de ser desse jeito, eu não quis dizer que você é uma “coisa ruim” e sim que você é burro. [risadas de fundo]

Quico: Chiquinha, viu só... Você não vai com a minha cara? [risadas de fundo]

Chiquinha: O Chaves tem razão. Você é burro, pois não conseguiu achar um lençol. [risadas de fundo]

Quico: Eu não consegui achar nenhum lençol, pois a minha mãe lavou todos eles. Olha, estão todos no tanque.

Chiquinha: Onde eu vou consegui um lençol para fazer o telhado da minha casinha?

Quico: Ah, Chiquinha! Você pode perguntar para a Bruxa do 71 se ela tem um lençol para te emprestar.

Chiquinha: Para bruxa?

Chaves: Vai me dizer que você tem medo da Bruxa do 71?

Chiquinha: Claro que não, Chaves!

Chaves: Então, vai lá.

[Chiquinha vai até a casa da Dona Clotilde e ela bate na porta]

[Dona Clotilde atende a Chiquinha]

Dona Clotilde: O que você deseja?

[Chiquinha fica paralisada sem dizer nada]

Dona Clotilde: O que você deseja? Diz alguma coisa.

Chiquinha: AHHHHHHH! [risadas de fundo]

[Chiquinha sai correndo para a sua casa com medo da Dona Clotilde. Chaves e o Quico permanecem na vila]

Dona Clotilde: Mas o que deu nesta menina?

2º Bloco

[seu Madruga vê a Chiquinha assustada e pergunta para ela]

- Minha filha, o que houve?

[Dona Clotilde aparece na janela do Seu Madruga]

Chiquinha: A Bruxa do 71 me assustou!

Seu Madruga: Isto é normal. [risadas de fundo]

[Dona Clotilde houve o que Seu Madruga disse e pergunta para ele]

- O que disse, Seu Madruga?

Seu Madruga: Dona Clotilde, eu não sabia que a senhora estava aí.

[Dona Clotilde entra na casa do Seu Madruga e da Chiquinha]

Dona Clotilde: Bem, eu queria saber o que houve com a Chiquinha para ela sair tão assustada em frente da minha casa.

Chiquinha: A senhora ainda pergunta? [risadas defundo]

[seu Madruga fica bravo]

Seu Madruga: Chiquinha!

Dona Clotilde: Eu só queria saber uma coisa que...

Chiquinha: Quando a senhora ficará bonita. [risadas de fundo]

Dona Clotilde: Exatamente, eu... O que você falou menina?

Seu Madruga: Chiquinha, para que ficar dizendo coisas que nunca vão acontecer? [risadas de fundo]

Dona Clotilde: O quê!?

Seu Madruga: Sim, o dia em que senhora ficar bonita, vai ser no dia 31 de Fevereiro. [risadas de fundo]

Dona Clotilde: Como!?

Seu Madruga: Digo...

Dona Clotilde: É o melhor o senhor não dizer mais nada. Pro senhor ficar bonito não é uma coisa impossível.

Seu Madruga: É mesmo!

Dona Clotilde: Claro, poderia acontecer em qualquer dia.

Seu Madruga: Obrigado, obrigado!

Dona Clotilde: Sim, pois o senhor está precisando muito que fique bonito. [risadas de fundo]

[seu Madruga fica bravo e Chiquinha começa a rir]

Chiquinha: Essa foi boa! [risadas de fundo]

[seu Madruga olha para Chiquinha com cara de bravo]

Chiquinha: Ah, ohh, aihh, ahhh! É que me escapuliu! [risadas de fundo]

Seu Madruga: Francamente, francamente! É melhor você ficar quieta, Chiquinha!

Dona Clotilde: Seu Madruga, você não precisa ficar bravo com que eu falei.

Seu Madruga: Por que eu não deveria ficar bravo?

Dona Clotilde: Porque mesmo o senhor sendo desse jeito, eu ainda te acho lindo! [risadas de fundo]

Seu Madruga: Agorinha mesmo disse que eu precisava ficar mais bonito.

Dona Clotilde: Sim, aí eu vou achar que você é mais lindo! Um galã! [risadas de fundo]

Seu Madruga: Olha, é melhor agente saber o que a Chiquinha queria com a senhora.

Chiquinha: Bom, eu só queria saber se a Dona Clotilde tinha algum lençol para me emprestar.

Seu Madruga: Para fazer o telhado da sua casinha, não é?

Chiquinha: Como foi que adivinhou? [risadas de fundo]

Dona Clotilde: Mas acontece que eu uso todos os meus lençóis. Acho que eu não vou poder emprestar para a Chiquinha.

Chiquinha: Aahhnn! [Chiquinha fica triste]

Seu Madruga: Tudo bem, Chiquinha. Você pode pegar o seu lençol.

Chiquinha: Obrigada, papaizinho lindo meu amor! [risadas de fundo]

[seu Madruga, Dona Clotilde e Chiquinha vão para o pátio]

Dona Clotilde: O lençol já está seco, Seu Madruga.

Seu Madruga: É, está. Vou sacudí-lo um pouco.

[seu Madruga sacode o lençol sem querer na Dona Florinda]

[risadas de fundo]

Dona Florinda: O que o senhor pensa que está fazendo?

Seu Madruga: Bom, eu estaca sacudindo o lençol e...

Dona Florinda: Está bem! Eu não vou bater no senhor, pois estou com bom humor.

Seu Madruga: Dona Clotilde, que sorte que a senhora tem.

Dona Clotilde: Eu?

Seu Madruga: Sim, pois se a Dona Florinda está de bom humor, hoje só pode ser dia 31 de Fevereiro, dia em que a senhora deixará de ser feia. [risadas de fundo]

Dona Clotilde: É melhor eu ir para a minha casa.

[Dona Clotilde entra para casa]

Seu Madruga: E que novidade ver a senhora de bom humor!

[seu Madruga coloca o braço no ombro da Dona Florinda para parabenizá-la]

[risadas de fundo]

[Dona Florinda tira o braço do Seu Madruga do ombro dela]

Dona Florinda: Mas é melhor o senhor não aproveitar desta situação, pois eu posso muito bem ficar de mal humor e você sabe o que pode acontecer com o senhor.

Seu Madruga: Sim, claro que sim.

Dona Florinda: Não sou obrigada a aguentar a gentalha, principalmente um velho mulambento como o senhor. [risadas de fundo] E por falar nisso: Tesouro, não se misture com esta gentalha!

Quico: Sim, mamãe! Gentalha, gentalha, prrrrr! [risadas de fundo]

[Dona Florinda e Quico entram para casa. Seu Madruga fica bravo. Joga o chapéu no chão e começa a pisar nele. Depois pega o chapéu e coloca na cabeça]

Seu Madruga: Mas eu tenho que aguentar isso.

Chiquinha: E imagine se ela estivesse de mal humor. [risadas de fundo]

Seu Madruga: Chiquinha, tome muito cuidado para não sujar este lençol.

Chiquinha: Sim, papai. Chaves, agora você vai querer brincar de casinha comigo?

Chaves: Já disse que não e também já disse que é brincadeira de meninas, além disso, gostaria de saber qual o motivo de você ter pego o meu barril?

Chiquinha: Eu queria usar ele como um cômodo da minha casinha.

Chaves: Pois eu não vou deixar. Você pode usar ele como banheiro e daí onde fico depois. [risadas de fundo]

Chiquinha: Está bem, Chaves. Mas você não quer mesmo brincar de casinha, mesmo tendo comida de verdade?

Chaves: Já disse que não... Comida de verdade?

Chiquinha: Sim!

Chaves: Zás, zás, e agente brincava e... e brincava e... e,e,e... comia muito sanduíche de presunto e... zás!

Chiquinha: Mas tem uma condição?

Chaves: Qual?

Chiquinha: Que você seja o meu marido.

[risadas de fundo]

Chaves: De brincadeira?

Chiquinha: Lógico!

Chaves: Mas porquê tem que ter esta condição?

Chiquinha: Pois um casal, a mulher sempre prepara a comida para o marido. Eu vou preparar muita comida para você comer.

Chaves: Ah, bom! Se é assim, sim! [risadas de fundo]

Chiquinha: Daí você vai comer um monte de tipo de comida!

Chaves: Isso, isso, isso, isso!

Chiquinha: Bem, agora eu vou até a minha casa buscar uma coisa comum entre casais e que não vai se diferente com agente.

Chaves: E o que é?

Chiquinha: O nosso filho.

[Chaves fica espantado]

[risadas de fundo]

Chaves: Nosso filho?

Chiquinha: Sim, pois é, pois é, pois é! Eu vou lá buscar.

Chaves: Mas Chiquinha...

[Quico sai da casa dele com a sua bola de plástico]

Quico: Chaves, você quer jogar futebol comigo?

Chaves: Zás, zás e... Não vai dar.

Quico: Por que não?

Chaves: Porque eu vou brincar de casinha e eu vou ser o marido da Chiquinha.

[Quico começa a rir]

Quico: Marido da Chiquinha?! Tem gosto pra tudo neste mundo. [risadas de fundo]

Chaves: Você sabe que é de mentira! E eu só vou brincar de casinha, pois a Chiquinha disse que ia ter comida na brincadeira. Por isso, eu prefiro brincar de casinha, pois eu vou comer alguma coisa. Brincar de futebol não tem nada para comer, já que as bolas não são comestíveis e...

Quico: Ai, cale-se, cale-se, cale-se você me deixa louco! [risadas de fundo]

Chaves: Tá bom, mas não se irrite! [risadas de fundo]

Quico: Então, não me deixe irritado!

Chaves: Ninguém tem paciência comigo.

[risadas de fundo]

Quico: Não! Sobre o que você falou que as bolas não são comestíveis, eu posso provar que elas são sim.

Chaves: Como assim?

Quico: Olha só!

[Quico morde bem forte a sua bola de plástico, até que ela estoura. Chaves e o Quico se assustam]

[risadas de fundo]

Chaves: Mas o que você fez?

Quico: Viu como são comestíveis, mas o problema é que tem gosto ruim e acaba rápido.

[Quico fica triste e começa a chorar]

Quico: Agrrrrrrrrrrrrrrrrrr!

[risadas de fundo]

Seu Madruga: Mas o que está acontecendo aqui, Chaves?

Chaves: É que a bola do Quico estourou e agora ele não para de chorar.

[seu Madruga pega a bola estourada e Dona Florinda vem correndo para saber o que houve]

Dona Florinda: O que foi, tesouro?

Quico: Mamãe, estourou a minha bola!

Dona Florinda: Ah! Mas tinha que ser o senhor mesmo! E eu ainda avisei para não provocar que eu ficaria de mal humor.

Seu Madruga: E daí?

Dona Florinda: Que eu estou de mal humor! Toma!

[Dona Florinda dá um tabefe no Seu Madruga]

[risadas de fundo]

Dona Florinda: Vamos tesouro, não se misture com esta gentalha!

Quico: Sim, mamãe! Gentalha, gentalha, prrrrrrr!

[risadas de fundo]

[seu Madruga fica bravo. Joga o chapéu no chão e começa a pisar nele. Depois pega o chapéu e coloca na cabeça]

Dona Florinda: E da próxima vez, vai estourar as bolas da sua vó!

[Dona Florinda entra para casa. Quico permanece no pátio.]

Chaves: Seu Madruga, não estoura as bolas da sua vó. Empresta elas para eu jogar futebol.

[risadas de fundo]

[seu Madruga fica bravo e bate no Chaves]

Seu Madruga: Toma!

[Chaves começa a chorar]

Chaves: Pipipipipipipipi!

[risadas de fundo]

Seu Madruga: Pipipipipipipi! Só não te dou outra, pois a minha avozinha adora se divertir com as bolas dela.

[risadas de fundo]

[Dona Clotilde aparece na janela da casa dela, perguntando para o Seu Madruga]

- O que houve, Seu Madruga?

Seu Madruga: O de sempre! Eu tenho que aturar estes moleques, a Dona Florinda me batendo... Ela sempre se aproveita de mim.

[Dona Clotilde sai da casa dela]

Dona Clotilde: Bom, eu não sou o tipo de mulher igual a Dona Florinda que dá tabefes no senhor, mas eu me aproveito de você também, Seu Madruga! [risadas de fundo]

Seu Madruga: Ai, meu Deus! [risadas de fundo]

[Dona Clotilde abraça o Seu Madruga]

Dona Clotilde: Eu me aproveito do senhor, ficando sempre perto de você! [risadas de fundo]

Seu Madruga: Pois eu quero 5km de distância da senhora. [risadas de fundo]

[Dona Clotilde fica brava e entra para casa]

Seu Madruga: Ainda bem! [risadas de fundo]

3º Bloco

[seu Madruga entra na casa dele]

Chaves: Quico, tem uma coisa que está me pertubando.

Quico: E o que é, Chaves?

Chaves: O que a Chiquinha disse para mim.

Quico: O que ela disse?

Chaves: Eu não sabia que ela ia levar tão sério esta brincadeira de casinha, que eu sou o marido dela, mas ela levou e foi até a casa dela buscar o nosso filho.

[risadas de fundo]

[Quico fica espantado]

Quico: Que história essa de nosso filho, meu e seu, Chaves!? Você está louco!? [risadas de fundo]

Chaves: Que meu e seu! É da Chiquinha é meu.

Quico: Ui, que alívio. [risadas de fundo] O que você vai fazer, Chaves?

Chaves: Eu não sei! [Chaves fica apavorado]

[Chiquinha chega no pátio com uma boneca]

Chiquinha: Eu demorei um pouco, pois eu não estava conseguindo achar o nosso filho, mas aqui está ele!

[Chaves não olha e vira as costas]

[risadas de fundo]

Chaves: Ai, não!

Chiquinha: Ai, não?

Chaves: Sim, você está falando de filho e...

Chiquinha: Sim, o nosso filho. Uma boneca. Por isso, na verdade não é um filho e sim uma filha.

Chaves: Uma boneca?

Chiquinha: Sim.

[Chaves fica aliviado]

[risadas de fundo]

Chiquinha: Por que você ficou deste jeito, Chaves?

Quico: Bom, eu vou contar o que é. Acontece que o Chaves...

[Chaves dá um beliscão no Quico para ele não contar]

[risadas de fundo]

Chaves: Não fala, seu bestão!

Quico: Desculpa!

[Chaves e Chiquinha vão brincar de casinha]

Chaves: Chiquinha, e minha comida?

Chiquinha: Eu ainda vou preparar.

Chaves: Mas rápido, pois eu tenho que ir trabalhar.

[risadas de fundo]

Quico: Olha o outro! Falando de trabalho! [Quico começa a rir]

[risadas de fundo]

Chaves: O que disse?

Quico: Se você não vai bem na escola, como você fala de trabalho.

[risadas de fundo]

Chaves: O quê?

Quico: Você é tão burro, que tem trabalho para conseguir um trabalho!

[risadas de fundo]

Chiquinha: Quico, não está vendo que agente está brincando. É tudo de mentira o que agente faz.

Chaves: Deixa! Ele vai aprender a não mexer comigo.

[Chaves bate no Quico]

[risadas de fundo]

Chiquinha: Chaves! O que você fez?!

[seu Madruga sai da casa dele]

Seu Madruga: O que houve?

Quico: Mamãe!

[Dona Florinda sai da casa dela]

Dona Florinda: O que foi, tesouro?

Quico: Ele me bateu!

Dona Florinda: Outra vez o senhor aprontando com o meu filho!

[seu Madruga fica apavorado e entra na casinha da Chiquinha]

Seu Madruga: A senhora seria capaz de destruir a casinha da Chiquinha?

Dona Florinda: Claro que não, Seu Madruga. Eu não vou destruir a casinha da sua filha para bater no senhor.

Seu Madruga: Então?

Dona Florinda: Vou fazer algo bem melhor.

[Dona Florinda tranca a janela e a porta da casa do Seu Madruga]

[Dona Clotilde aparece na janela da casa dela e vê tudo o que está acontecendo]

Dona Florinda: Trancando toda a sua casa, o senhor escolhe: ou fique aí e não bota mais os pés na sua casa ou saia da aí e leva o tabefe que merece, para depois poder ter a sua casa de volta

[risadas de fundo]

Seu Madruga: Nenhuma das opções é boa!

Dona Florinda: Esta é a intenção!

[risadas de fundo]

Dona Florinda: Vamos tesouro, não se misture com esta gentalha!

[Dona Florinda entra na casa dela]

Quico: Não sei como vou fazer isso, então faço na casinha. Gentalha, gentalha, prrrrrr!

[Quico empurra a casinha e desmorona em cima do Seu Madruga]

[risadas de fundo]

Quico: Puxa, Seu Madruga! Ficou sem duas casas. Acho que é melhor o senhor sair daí e levar um tabefe.

[Quico entra na casa dele]

[risadas de fundo]

Seu Madruga: Poderia ter mais alguma coisa para piorar?

Chaves: Sim! Eu fiquei sem a minha comida da brincadeira.

[Chaves começa a chorar e entra no barril]

[risadas defundo]

Chaves: Pipipipipipipipi!

[seu Madruga começa a chorar também]

Seu Madruga: Ainnnnnnnn!

[risadas de fundo]

[Dona Clotilde sai da casa dela]

Dona Clotilde: Não chore mais, Seu Madruga. Eu tenho uma ótima solução para o senhor não levar o tebefe da Dona Florinda e ter uma casa de volta.

Seu Madruga: E qual é?

Dona Clotilde: Ir morar comigo!

[risadas de fundo]

Seu Madruga: Não, Dona Clotilde...

Dona Clotilde: Vamos saia daí desta casinha destruída e vamos para a minha casa!

Seu Madruga: Espere...

[Dona Clotilde e Seu Madruga entram na casa dela]

[risadas de fundo]

[Chiquinha começa a chorar também]

Chiquinha: Ué, ué, ué, ué, ué!

[risadas de fundo]

FIM

Share this post


Link to post
Chandler
Chiquinha: Ué, ué, ué, ué, ué, ué! Você não deixa eu brincar de casinha! Saiba que eu vou sujar todas as roupas e lençóis para o senhor lavar tudo! Eu vou sujar [Chiquinha pega terra do vaso de planta e joga na camisa do Seu Madruga] assim! Ué, ué, ué! [risadas de fundo]

Ainda acho que tu devia tirar essa parte, Guilherme. O resto tá ótimo!

O seu episódio foio curtinho Gustavo-CH, mas foi bom, eu gostei! Me lembrou os episódios antigos, de 72-73, que eram curtos e acompanhados por esquetes. haha

Se você usar esse episódio como um esquete dos anos 80 e trocar o Quico pela Pópis, ficaria mais digno. xD

Share this post


Link to post
Usagi White

Essa fanfic me fez lembrar qe eu acho q não coloquei "risadas de fundo" nas minhas.

Seu Madruga: Chiquinha, para que ficar dizendo coisas que nunca vão acontecer? [risadas de fundo]

XD adorei essa parte!

A fanfic tá boa mas o final ficou mais ou menos.

Share this post


Link to post
Tony Nelson

Gostei bastante dessas fanfics, vou copiar elas e imprimir todas elas, gostei muito, parabéns pra vcs!

Share this post


Link to post
Chandler

Também ri dessa parte quando eu li pela primeira vez, Pópis-Iara. xD

Share this post


Link to post
Usagi White

Pena que o site Fanfiction.net não tem um espaço reservado para Chaves e Chapolin...se tem eu não vi.

Essa fanfic do chaves 1000 foi legal,não era apenas um remake,teve muitas diferenças no enredo,só a ideia da casinha que foi igual a "Casinha do Kiko/Chaves"(se bem que eu ainda não vi aquela versão com o Chaves fazendo uma casinha).

Share this post


Link to post
Gustavo-CH

OBRIGADO PRA QUEM COMENTOU... Pra quem não comentou: O burro empaca perto do trigo! HUM.

Share this post


Link to post
Chaves 1000

Ainda acho que tu devia tirar essa parte, Guilherme. O resto tá ótimo!

Tirarei. Vou deixar a Chiquinha mais leve, mas vai continuar sendo "o terror do cortiço".

E obrigado novamente. :joia:

E vou ver se tenho tempo para postar "Os Bolos da Dona Clotilde" (1973). Não tem nada de remake. Um episódio com uma história totalmente nova.

Share this post


Link to post
Seu Furtado

A minha história pro Chapolin dentro do Programa Chespirito:

AS MULHERES É QUEM MANDAM

Sinopse: Edgar recebe cartas dizendo que irão lhe matar. Ele suspeita de sua empregada, Florinda, e chama o Chapolin para pegar o assassino.

Atores: Chespirito, Edgar Vivar, Florinda Meza e Maria Antonieta de Las Nieves.

Ano: 1982

Quadro: Chapolin

EDGAR está trabalhando em seu escritório, na sua casa. A empregada FLORINDA chega comum envelope.

FLORINDA– Senhor?

EDGAR– O que foi?

FLORINDA– Chegou esta carta para o senhor e está sem remetente.

EDGAR– Sem remetente? Deixe-me ver o que diz.

EDGARse senta no sofá, lê a carta fica com expressão assustada.

EDGAR– Minha nossa, me matam!

FLORINDA– Quem matou?

EDGAR– Ninguém me matou, eu quero dizer que querem em matar.

FLORINDA– Quem disse?

EDGAR– A pessoa que escreveu a carta, Florinda.

FLORINDA– Ah, isso deve trote de algum jovem, nestes dias de hoje eles estão cada vezmais atrevidos.

EDGAR– Acho que não, a carta foi batida à máquina.

FLORINDA– Puxa, eu vou telefonar para a polícia! O senhor não saia daí.

EDGAR– Vai!

Florindasai para telefonar para a polícia.

EDGAR– Oh, e agora quem poderá me defender?!

CHAPOLIN– Eu!

EDGAR– O Chapolin Colorado!

CHAPOLIN– Não contavam com minha astúcia, sigam-me os bons!

Chapolinatropeça na mesa e cai no chão.

EDGAR– Se machucou Chapolin?

CHAPOLIN– Não, todos os meus movimento são friamente calculados! Muito bem, me diga oque foi?

EDGAR– Sabe, Chapolin. Uma carta endereçada a mim chegou nesta manhã e semremetente. Eu li a carta e nela dizia que iam me matar.

CHAPOLIN– Nossa! Leu o quê?

EDGAR– A carta.

CHAPOLIN– Nossa! E o que dizia?<br style="mso-special-character:line-break"><br style="mso-special-character:line-break">

EDGAR– Que iam me matar.

CHAPOLIN– Nossa! Iam matar quem?

EDGAR– Eu! Chega Chapolin, eu te chamei para você me defender caso apareça oassassino.

FIM DOPRIMEIRO BLOCO

ÍNICIO DOSEGUNDO BLOCO

Florindaentra no escritório.

FLORINDA– É o Chapolin Colorado!

CHAPOLIN– Não contavam com minha astúcia!

FLORINDA– Patrão, eu já liguei para a polícia. Eles não acreditaram na nossa história.

CHAPOLIN– Mas por quê?

FLORINDA– Disseram que tínhamos tirado esta história de um filme do Sherlock Holmes!

EDGAR– Não precisa tentar de novo, Florinda. O Chapolin já está aqui.

FLORINDA– Se é assim sim! Com licença, patrão e Chapolin.

EDGAR– E então Chapolin? De quem suspeita?

CHAPOLIN– Você tem um cachorro?

EDGAR– Sim, por quê?

CHAPOLIN– Então é ele!

EDGAR– Como seria ele, por acaso ele consegue escrever cartas?

CHAPOLIN– É o que eu ia dizer!

EDGAR– Eu suspeito da empregada Florinda.

CHAPOLIN– Como, se é uma moça tão gentil.

EDGAR– Claro, porém esta história do telefonema está muito mal contada.

CHAPOLIN– É.

EDGAR– E como sou rico, ela pode querer a minha fortuna.

CHAPOLIN– Quem iria querer a fortuna de uma almôndega com patas?

EDGAR– Chapolin!

FLORINDA– Olá senhor, eu já estou indo.

EDGAR– Sem problema, até amanhã.

FLORINDA– Até.

CHAPOLIN– Agora ela saiu, podemos investigar.

EDGAR– Procure na cozinha alguma pista, enquanto eu procuro aqui.

CHAPOLIN– Está bem.

EDGAR– Vai, vai.

CHAPOLIN– Quer que eu procure aonde?

EDGAR– Na cozinha.

CHAPOLIN– Co o quê?

EDGAR– Zinha!

CHAPOLIN– Zinha o quê?

EDGAR– Cozinha! Chega Chapolin, fique aqui enquanto eu vou lá na cozinha.

CHAPOLIN– Esta bem. Nossa!

EDGAR– O que foi Chapolin?

CHAPOLIN– Minhas anteninhas de vinil detectam a presença do inimigo.

EDGAR– Minha nossa e onde está esse inimigo.

CHAPOLIN– Você tem latas de tinta e um lenço.

EDGAR– Sim, por quê?

CHAPOLIN– Logo você saberá, agora traga depressa.

FIM DOSEGUNDO BLOCO

INICIO DO TERCEIROBLOCO

EDGAR– Aqui está Chapolin. As latas de tinta e o lenço.

CHAPOLIN– Obrigado.

CHAPOLINassoa o nariz e pega as latas de tinta.

CHAPOLIN– Vamos fazer o seguinte, você irá fingir que está dormindo, o assassino vaivir e achar o bote perfeito no escuro, enquanto isso eu vou estar pronto com alata de tinta para jogar no bandido.

EDGAR– Isso, isso, isso.

CHAPOLIN– Vamos lá.

EDGARe CHAPOLIN vão para o quarto.

EDGAR– Já estou aqui.

CHAPOLIN– Agora vamos esperar...

CHAPOLINadianta o relógio para a noite. Vozes de uma mulher começam a aparecer. Asluzes são apagadas.

MARIA– Minha vida? Onde você está? Dormindo?

CHAPOLIN– Quem é?

EDGAR– Não sei.

CHAPOLIN– Deve ser a assassina!

EDGAR– Se prepare.

MARIAentra no quarto, acende a luz e toma um banho de tinta.

CHAPOLIN– Agora você vai ver.

MARIA– Chapolin Colorado! Sou a esposa dele.

CHAPOLIN– Suspeitei desde o princípio.

EDGAR– Querida, você está bem?

MARIA– Sujou toda a minha roupa! O que faz deitado?

EDGAR– Querem me matar!

MARIA– Quem?

EDGAR– Não sei.

MARIA– Olha, eu estou na sala.

EDGAR– Mas que gafe Chapolin. Balde de tinta justo na minha mulher.

CHAPOLIN– Como eu iria adivinhar?

EDGAR– Ei, estou vendo sombras na janela. É a assassina! Simula, Chapolin.

CHAPOLINapaga as luzes.

CHAPOLIN– Sim, mula.

FLORINDAentra no quarto e cai na poltrona, ela se alevanta e tira do bolso uma faca de açougueiro.

CHAPOLIN– Sim, mula.

CHAPOLINjoga um balde de tinta em EDGAR e FLORINDA foge.

EDGAR– Pegue a Chapolin.

MARIA– Não é mais precisa mais! Já peguei ela.

EDGARe CHAPOLIN ficam com cara de bobos.

EDGAR– O mundo está mudando Chapolin.

Comentem a minha história!

Share this post


Link to post
Don_aCHiles

A minha história pro Chapolin dentro do Programa Chespirito:

AS MULHERES É QUEM MANDAM

Sinopse: Edgar recebe cartas dizendo que irão lhe matar. Ele suspeita de sua empregada, Florinda, e chama o Chapolin para pegar o assassino.

Atores: Chespirito, Edgar Vivar, Florinda Meza e Maria Antonieta de Las Nieves.

Ano: 1982

Quadro: Chapolin

EDGAR está trabalhando em seu escritório, na sua casa. A empregada FLORINDA chega comum envelope.

FLORINDA– Senhor?

EDGAR– O que foi?

FLORINDA– Chegou esta carta para o senhor e está sem remetente.

EDGAR– Sem remetente? Deixe-me ver o que diz.

EDGARse senta no sofá, lê a carta fica com expressão assustada.

EDGAR– Minha nossa, me matam!

FLORINDA– Quem matou?

EDGAR– Ninguém me matou, eu quero dizer que querem em matar.

FLORINDA– Quem disse?

EDGAR– A pessoa que escreveu a carta, Florinda.

FLORINDA– Ah, isso deve trote de algum jovem, nestes dias de hoje eles estão cada vezmais atrevidos.

EDGAR– Acho que não, a carta foi batida à máquina.

FLORINDA– Puxa, eu vou telefonar para a polícia! O senhor não saia daí.

EDGAR– Vai!

Florindasai para telefonar para a polícia.

EDGAR– Oh, e agora quem poderá me defender?!

CHAPOLIN– Eu!

EDGAR– O Chapolin Colorado!

CHAPOLIN– Não contavam com minha astúcia, sigam-me os bons!

Chapolinatropeça na mesa e cai no chão.

EDGAR– Se machucou Chapolin?

CHAPOLIN– Não, todos os meus movimento são friamente calculados! Muito bem, me diga oque foi?

EDGAR– Sabe, Chapolin. Uma carta endereçada a mim chegou nesta manhã e semremetente. Eu li a carta e nela dizia que iam me matar.

CHAPOLIN– Nossa! Leu o quê?

EDGAR– A carta.

CHAPOLIN– Nossa! E o que dizia?<br style="mso-special-character:line-break"><br style="mso-special-character:line-break">

EDGAR– Que iam me matar.

CHAPOLIN– Nossa! Iam matar quem?

EDGAR– Eu! Chega Chapolin, eu te chamei para você me defender caso apareça oassassino.

FIM DOPRIMEIRO BLOCO

ÍNICIO DOSEGUNDO BLOCO

Florindaentra no escritório.

FLORINDA– É o Chapolin Colorado!

CHAPOLIN– Não contavam com minha astúcia!

FLORINDA– Patrão, eu já liguei para a polícia. Eles não acreditaram na nossa história.

CHAPOLIN– Mas por quê?

FLORINDA– Disseram que tínhamos tirado esta história de um filme do Sherlock Holmes!

EDGAR– Não precisa tentar de novo, Florinda. O Chapolin já está aqui.

FLORINDA– Se é assim sim! Com licença, patrão e Chapolin.

EDGAR– E então Chapolin? De quem suspeita?

CHAPOLIN– Você tem um cachorro?

EDGAR– Sim, por quê?

CHAPOLIN– Então é ele!

EDGAR– Como seria ele, por acaso ele consegue escrever cartas?

CHAPOLIN– É o que eu ia dizer!

EDGAR– Eu suspeito da empregada Florinda.

CHAPOLIN– Como, se é uma moça tão gentil.

EDGAR– Claro, porém esta história do telefonema está muito mal contada.

CHAPOLIN– É.

EDGAR– E como sou rico, ela pode querer a minha fortuna.

CHAPOLIN– Quem iria querer a fortuna de uma almôndega com patas?

EDGAR– Chapolin!

FLORINDA– Olá senhor, eu já estou indo.

EDGAR– Sem problema, até amanhã.

FLORINDA– Até.

CHAPOLIN– Agora ela saiu, podemos investigar.

EDGAR– Procure na cozinha alguma pista, enquanto eu procuro aqui.

CHAPOLIN– Está bem.

EDGAR– Vai, vai.

CHAPOLIN– Quer que eu procure aonde?

EDGAR– Na cozinha.

CHAPOLIN– Co o quê?

EDGAR– Zinha!

CHAPOLIN– Zinha o quê?

EDGAR– Cozinha! Chega Chapolin, fique aqui enquanto eu vou lá na cozinha.

CHAPOLIN– Esta bem. Nossa!

EDGAR– O que foi Chapolin?

CHAPOLIN– Minhas anteninhas de vinil detectam a presença do inimigo.

EDGAR– Minha nossa e onde está esse inimigo.

CHAPOLIN– Você tem latas de tinta e um lenço.

EDGAR– Sim, por quê?

CHAPOLIN– Logo você saberá, agora traga depressa.

FIM DOSEGUNDO BLOCO

INICIO DO TERCEIROBLOCO

EDGAR– Aqui está Chapolin. As latas de tinta e o lenço.

CHAPOLIN– Obrigado.

CHAPOLINassoa o nariz e pega as latas de tinta.

CHAPOLIN– Vamos fazer o seguinte, você irá fingir que está dormindo, o assassino vaivir e achar o bote perfeito no escuro, enquanto isso eu vou estar pronto com alata de tinta para jogar no bandido.

EDGAR– Isso, isso, isso.

CHAPOLIN– Vamos lá.

EDGARe CHAPOLIN vão para o quarto.

EDGAR– Já estou aqui.

CHAPOLIN– Agora vamos esperar...

CHAPOLINadianta o relógio para a noite. Vozes de uma mulher começam a aparecer. Asluzes são apagadas.

MARIA– Minha vida? Onde você está? Dormindo?

CHAPOLIN– Quem é?

EDGAR– Não sei.

CHAPOLIN– Deve ser a assassina!

EDGAR– Se prepare.

MARIAentra no quarto, acende a luz e toma um banho de tinta.

CHAPOLIN– Agora você vai ver.

MARIA– Chapolin Colorado! Sou a esposa dele.

CHAPOLIN– Suspeitei desde o princípio.

EDGAR– Querida, você está bem?

MARIA– Sujou toda a minha roupa! O que faz deitado?

EDGAR– Querem me matar!

MARIA– Quem?

EDGAR– Não sei.

MARIA– Olha, eu estou na sala.

EDGAR– Mas que gafe Chapolin. Balde de tinta justo na minha mulher.

CHAPOLIN– Como eu iria adivinhar?

EDGAR– Ei, estou vendo sombras na janela. É a assassina! Simula, Chapolin.

CHAPOLINapaga as luzes.

CHAPOLIN– Sim, mula.

FLORINDAentra no quarto e cai na poltrona, ela se alevanta e tira do bolso uma faca de açougueiro.

CHAPOLIN– Sim, mula.

CHAPOLINjoga um balde de tinta em EDGAR e FLORINDA foge.

EDGAR– Pegue a Chapolin.

MARIA– Não é mais precisa mais! Já peguei ela.

EDGARe CHAPOLIN ficam com cara de bobos.

EDGAR– O mundo está mudando Chapolin.

Comentem a minha história!

  

Vo responder com sinceridade amigo.

Algumas coisas que eu não gostei:

- Primeiro: Tem algumas frases que você não usa o 'espaço' com isso fica junto, ai fica ruim de ler, tem uma parte que eu li chapolina. rsrs. Ageite :joinha:

-Segundo: MARIA– Chapolin Colorado! Sou a esposa dele.

CHAPOLIN– Suspeitei desde o princípio.

Não gostei dessa parte, porque pra quê ela vai dizer que é esposa dele? Não seria melhor colocar, chapolin você aqui?

Com tom de surpresa; eu tiraria essa parte :joinha:

- Terceiro: Não gostei do Final, achei sem emoção :joinha: Acho que também deveria mudar :joinha:

Totalizando tudo dô nota 5,0 pra esse fanfic :joinha:

Share this post


Link to post
Seu Furtado

Entendi, Dom Achiles. Os espaços juntos foi erro do próprio FUCH. O arquivo do Word estava normal.

O ENCANADOR DA VILA

Ano: 1981

Atores: Chespirito, Ramón Valdez, Edgar Vivar, Angelines Fernandez e Maria Antonieta de Las Nieves

Sinopse: Seu Madruga agora trabalha de encanador. O que ele não esperava é Chaves destruiria todos os canos da vila.

Foco na caixa de ferramentas. A imagem abre com Seu Madruga arrumando um cano no tanque.

SENHOR BARRIGA – Então fica combinado, Seu Madruga. Você arruma estes canos e eu lhe pago e desconto dos aluguéis atrasados.

SEU MADRUGA – Sem a menor dúvida, eu vou arrumar esta barriga, senhor cano... digo, eu vou arrumar este cano, Senhor Barriga.

SENHOR BARRIGA – Acho bom. Me diga, você viu o menino Chaves hoje?

SEU MADRUGA – Ainda não, por que?

SENHOR BARRIGA – É que sempre que chego na vila ele me recebe com pancadas.

SEU MADRUGA – Bom, talvez ele esteja no outro pátio com as crianças.

SENHOR BARRIGA – Com licença, Senhor Barriga.

SENHOR BARRIGA vai até o segundo pátio. CHAVES aparece na entrada da vila brincando com um bilboquê. Ele para atrás de SEU MADRUGA.

CHAVES – Oi, Seu Madruga.

SEU MADRUGA – Oi, Chaves... não vai?

CHAVES – Aonde?

SEU MADRUGA – Là?

CHAVES – Lá aonde?

SEU MADRUGA – Francamente, francamente Chaves. O Senhor Barriga está lhe procurando no segundo pátio.

CHAVES – Ah.

SEU MADRUGA – [imita] Ah. Sai daqui, moleque.

CHAVES vai para o segundo pátio. CHIQUINHA sai de casa e vai falar com o pai.

CHIQUINHA – O que está fazendo, papaizinho lindo meu amor.

SEU MADRUGA – Tá, tá. O que você quer?

CHIQUINHA – Me dá dinheiro para eu comprar um pirulito.

SEU MADRUGA – Quanto é?

CHIQUINHA – 20 mangos.

SEU MADRUGA – Quanto?

CHIQUINHA – 20 mangos.

SEU MADRUGA – Um pirulito não custa isso.

CHIQUINHA – [dá risadas] É que eu também ia no Restaurante de Dona Florinda comer um sanduíche de presunto e ia convidar o Chaves.

SEU MADRUGA – Ah bom, diga para o Chaves não comer muito, viu?

CHIQUINHA – Obrigado, papaizinho lindo meu amor!

CHIQUINHA sai correndo da vila.

SEU MADRUGA – Muito bem, vamos continuar.

SEU MADRUGA começa a mexer nos encanamentos. DONA CLOTILDE sai de sua casa.

DONA CLOTILDE – Seu Madruga, Seu Madruga...

SEU MADRUGA – O que foi?

DONA CLOTILDE – Eu fiz um frango assado, o senhor queria um pedaço?

SEU MADRUGA – Claro que sim. Deixe na minha casa que depois eu pego.

DONA CLOTILDE – Ah não, vai ficar frio. Venha, venha saborear o frango em minha casa.

SEU MADRUGA – Na sua casa [seu Madruga fica com medo].

DONA CLOTILDE – Venha, Seu Madruga.

SEU MADRUGA vai forçado.

FIM DO PRIMEIRO BLOCO

COMEÇO DO SEGUNDO BLOCO

NHONHO entra na vila. SENHOR BARRIGA está correndo e CHAVES vem atrás.

SENHOR BARRIGA – Não, Chaves.

CHAVES dá um soco em SENHOR BARRIGA e está com os olhos vendados.

NHONHO – Que direito lhe dá de bater no meu papai.

CHAVES – É que eu e a Chiquinha...

NHONHO bate com sua pança em CHAVES

CHAVES – É que eu...

NHONHO bate com sua pança em CHAVES

CHAVES – Agora você vai ver, Nhonho!

SENHOR BARRIGA leva mais um soco.

SENHOR BARRIGA – Nhonho, diga para o Seu Madruga que depois eu venho ver os encanamentos.

CHAVES – Nhonho, vamos brincar de beisebol.

NHONHO – Vamos!

NHONHO e CHAVES começam a brincar de beisebol.

CHAVES – Lá vai.

CHAVES já a bola que acerta o cano e estoura.

NHONHO – Chaves, você é um tonto. Acabou estourando o cano.

CHAVES – Pois, pois...

CHIQUINHA entra na vila

CHIQUINHA – Eu vi tudo Chaves, vou contar pro meu pai que você quebrou e despedaçou o trabalho dele.

CHAVES – Ah é.

CHAVES puxa os cabelos de CHIQUINHA, que chora.

CHIQUINHA – Ué Ué Ué. Eu vou contar pro meu papai que você me bateu, me chutou. Ué Ué Ué.

NHONHO – Deixe a chata da Chiquinha, vamos jogar beisebol.

CHAVES – Isso, e lá vai o grande campeão e ele acerta e....

SEU MADRUGA está saindo da casa de DONA CLOTILDE e é acertado por CHAVES.

SEU MADRUGA – Só me faltava isso. Toma

SEU MADRUGA bate em CHAVES que vai para o barril.

CHAVES – Pipipi.

SEU MADRUGA – Só não te dou outra porque... a minha vovozinha era campeã nacional de beisebol. Nossa, o que está acontecendo aqui!

NHONHO – Foi o Chaves, Seu Madruga. Ele jogou a bola de beisebol no cano.

SEU MADRUGA – E arruinou meu trabalho. Como vou explicar isso pro Senhor Barriga.

CHAVES – Não é por isso.

CHAVES enrola o cano com uma fita crepe. Todos ficam se olhando.

Share this post


Link to post
Bruce Dubber

Chapolin - O Tesouro de faraó - 1977

[Dois homens,Carlos(Carlos Villagran) e Ruben(Ruben Aguirre) estão fazendo uma expedição junto de Julieta(Florinda Meza)nas piramides do egito]

Carlos-De acordo com o mapa,devemos dar 4 passos pra trás

[Todos vão pra trás 4 passos]

Carlos-Agora devemos ir 2 passos pra esquerda e 1 pra trás

[Todos vão pra esquerda e depois pra trás]

Carlos-Agora,mais 2 passos para trás e...

Ruben-Chega!Por que estamos indo pra trás se as piramides ficam pra frente

Carlos-É o que diz no mapa ora!

Julieta-Mais o mapa esta virado de cabeça para baixo(risadas)

Carlos-Impossivel meu amor,os mapas não tem cabeça!(risadas)

Julieta-Quero dizer que esta virado!

Carlos-Oh..assim sim...[Vira o mapa para trás]

Carlos-Amor...agora ta branco

Ruben-É Melhor que eu fique com o mapa![Apanha o mapa]

[Carlos e Ruben ficam brigando e Julieta pega]

Julieta-Eu fico com o mapa,pra evitar brigas!

Carlos-Por isso eu digo que é melhor que ela fique com o mapa

Julieta-Ok,10 passos para a frente

[Carlos e ruben vão 10 passos junto de Julieta]

Julieta-Agora 5 passos[Carlos caminha 5 passos]Mas cuidado com o bura...

[Carlos cai]

Julieta-..co

(Depois de um trabalhão,tiram Carlos do buraco)

Julieta-Está bem amor?

Carlos-Mais ou menos...mais vamos continuar,hã?

[Eles continuam mais quando os dois entram a porta se fecha]

Carlos-Se fechou!Mais mesmo assim nós continuamos

Julieta-Vão continuar?e eu vou ficar sozinha

Carlos-Não se preocupe meu amor,o maximo que poderia acontecer é de ter um rato

Julieta-Ai...

[Assim Julieta fica ali,sozinha...até que ouve alguns passos e logo eles ficam mais fortes,derrepente param,e logo se afastam]

[Julieta Grita]

[Julieta olha triste para camera]

Julieta-Oh...e agora quem podera defender-me?

Chapolin-Eu!

Julieta-O Chapolin colorado

Chapolin-Não contavam com minha astucia!

FIM DO PRIMEIRO BLOCO

Chapolin-De maneira que,você acredita que há uma mumia aqui nas piramides?

Julieta-Sim chapolin,pois eu ouvi muitos passos e risadas baixas

Chapolin-Será que não eram animais?

Julieta-Chapolin,nesta região não há animais,apenas aves como urubus e abutres

Chapolin-Eh...eu já sabia.(risadas)

Julieta-Claro chapolin!Você é inteligente!Ouvi dizer que você é mais inteligente que um asno(risadas)

Chapolin-De qualquer forma,as mumias não existem,então deve se ter medo de nada[chapolin se vira de costas pra moça e sem chapolin ver,a moça é pega pela mumia]alem disso não deve ter medo de nada aqui nas piramid...[Chapolin não ve julieta]Ora,onde terá ido?Não estou de brincadeira com você,saiba que o chapolin medroso nunca será colorado(risadas)!Digo...o chapolin colorado nunca será medroso

[Ouve-se uma risada assustadora e as anteninhas de chapolin se enfraquecem]

[Derrepente aparece um professor que estudava aquela area(Horacio gomez) e ve a perna de chapolin e a segura,chapolin começa a se assustar e olha pra baixo]

Chapolin-Ai...sai fora,sai fora,sai fora...(risadas)

Horacio-O Chapolim colo[chapolin acerta uma marretada nele,que faz o mesmo ir pra trás e então ele levanta]Por que me bateu?

Chapolin-Por que eu pensei que fosse um morto(risadas)

Horacio-Ora,eu sou um professor,e estudo piramides

Chapolin-Sabia que enquanto tagarelamos uma moça pode estar morrendo?

Horacio-Ora,mais como?

Chapolin-A Mumia a pegou e entrou ali dentro

Horacio-Então entre la

Chapolin-Eu?Eu entro...(risadas)

Horacio-É obvio

Chapolin-Eu entro...(risadas)

Horacio-Claro!

Chapolin-Eu entro..(risadas)

Horacio-Então vai logo!

Chapolin-Se aproveitam de minha nobreza..[Chapolin entra e horacio o segue]

FIM DO SEGUNDO BLOCO

Horacio-Esta bem escuro aqui dentro

Chapolin-Sim,mais minhas anteninhas de vinil cuidam disso(chapolin da tabefes nas duas antenas e elas acendem)

Horacio-Na TV eu nunca vi você fazer isso

Chapolin-É um truque novo...

[Chapolin vai caminhando e tropeça numa pedra e cai](risadas)

Horacio-Se machucou chapolin?

Chapolin-Claro que não,todos os meus movimentos são friamente calculados

Horacio-Ainda bem!

[Então os dois caminham,chapolin olha pro lado e não ve mais horacio]

Chapolin-Professor!

[Chapolin mesmo com medo continua e ouve gritos:’’Socorro!Socorro!Alguem?’’Chapolin corre e descansa em uma parede escorado]

Chapolin-Onde estarão el...

[Chapolin acaba girando a porta disfarçada de parede e acha Julieta,Ruben e Carlos,então ele vai e tenta cortar a corda]

Carlos-Rapido chapolin!Pegue o canivete no meu bolso

[Chapolin pega o canivete e começa a cortar a corda,porém chega a mumia,mais chapolin não nota]

Carlos-C-c-chapolin....

[Então a mumia bota a mão no ombro de chapolin]

Chapolin-Espere ai....

[Ele bota denovo]

Chapolin-Espera um pouco

[Ele bota denovo]

Chapolin-Você quer esperar e....[ele ve a mumia que tenta pegalo,mais chapolin sai e a mumia bate a cabeça na parede,então chapolin da uma marretada nas costas e a mumia cai]

Todos-Bravo chapolin!Você é um maximo!

Chapolin-Não contavam com minha astucia!

FIM DO TERCEIRO BLOCO

[Fora da piramide]

Chapolin-De maneira que...era apenas o professor fantasiado?

Julieta-É chapolin!Não passava de uma armação para ele ficar com o famoso tesouro de faraó

Chapolin-Suspeitei desde o principio!Agora,se me dam licensa eu tenho que cuidar de outras coisas,sigam me os bons![Chapolin tropeça numa pedra]

BGM

FIM E CREDITOS

Share this post


Link to post
Chaves 1000

Mais um roteiro que eu criei, com uma história totalmente nova.

Roteiro do episódio Chaves Vai Morar com Seu Madruga e Chiquinha

Roteiro original: Guilherme Aldeia de Souza e Bruno Mattos da Silva

Ano do episódio: 1977

Duração do episódio: 21 minutos

Personagens:

Roberto Gómez Bolaños – Chaves

Ramón Valdés – Seu Madruga

Carlos Villagrán – Quico

Maria Antonieta de las Nieves – Chiquinha

Rubén Aguirre – Professor Girafales

Florinda Meza – Dona Florinda

1º Bloco

[Chaves bate na porta do Seu Madruga e ele atende, mas sem perceber, Chaves bate no Seu Madruga]

[risadas de fundo]

[seu Madruga fica bravo]

Seu Madruga: O que veio me pedir?

Chaves: Eu queria te perguntar se quer um favor

Seu madruga: Bom, já que é assim. Eu fiquei de entregar estes leites lá no 28. Vai lá e entrega

Chaves: Sim

[Chaves pega os leites que Seu Madruga lhe deu e fica olhando para ele]

Seu Madruga: O que foi?

Chaves: O pagamento

Seu Madruga: Como?

Chaves: Sim, já quero receber adiantado [risadas de fundo]

Seu Madruga: Você só vai receber dinheiro quando você me fizer o favor que pedi

[Chaves se distancia do Seu Madruga. Começa a olhar para o chão, para cima, para o portão da vila...]

Seu Madruga: O que deu em você?

[Chaves responde ironicamente]

Chaves: O senhor não ouviu alguém me chamar pedindo para lhe fazer um favor e que vai me pagar na hora, não como muitos por aí.

[risadas de fundo]

Seu Madruga: Está bem, Chaves. Toma o dinheiro.

Chaves: Obrigado!

[Chaves vai até o 2º pátio para entregar os leites para o 28. Dona Florinda sai de sua casa e vai até o Seu Madruga]

Seu Madruga: Não, não, não, não, não! Não é minha culpa! [risadas de fundo]

Dona Florinda: Eu não vim lhe bater. Eu vim para perguntar algo para o senhor.

Seu Madruga: Ah, bom! O que é?

Dona Florinda: Por que o Chaves saiu correndo feliz daquele jeito?

Seu Madruga: É que eu pedi que ele entregasse os leites no apartamento 28. Eu dei dinheiro para ele e por isso ficou tão feliz. Ele não sabe, mas eu vou lhe dar um sanduíche de presunto também

Dona Florinda: Entendi. Obrigada.

Seu Madruga: Dinada, curiosa.

[risadas de fundo]

Dona Florinda: O que disse?

Seu Madruga: Nada, nada!

[risadas de fundo]

Dona Florinda: Melhor para o senhor

[seu Madruga abre a porta para entrar, mas acerta a Dona Florinda]

[risadas de fundo]

Seu Madruga: Me desculpe, me desculpe, é que eu tava...

Dona Florinda: Tá, Tá!

[seu Madruga entra para casa]

[Chaves chega no 1º pátio]

Dona Florinda: Ah, e por falar em leite... Chaves, poderia comprar uma caixa de leite lá na venda para mim? O troco fica com você

Chaves: É claro que o troco tem que ficar para mim. [risadas de fundo]

Dona Florinda: Ora! E se eu mudo de ideia e não deixo o troco com você?

[Quico sai da casa dele]

Chaves: Então, eu mudo de ideia e não vou buscar nada! [risadas de fundo] A senhora vai ter que ir lá. Vai andar bastante e pode ser que nesta idade a senhora não aguente muito. [risadas de fundo] [Dona Florinda fica brava] E depois...

Quico: Ai cale-se, cale-se, cale-se, você me deixa louco! [risadas de fundo]

Chaves: Tá bom, mas não se irrite!

Quico: Então, não me deixe irritado!

Dona Florinda: Quico?

Quico: Que é?! [risadas de fundo]

[Dona Florinda fica brava]

Quico: Que coisa, não! [risadas de fundo]

Dona Florinda: Tudo bem, tesouro. E você Chaves, vai lá buscar o leite.

Chaves: Vai deixar o troco comigo? [risadas de fundo]

[Quico e Dona Florinda ficam bravos]

Dona Florinda: Sim!!!!!

[Chaves fica com medo e fica no portão da vila. Chiquinha sai de sua casa]

Quico: E se você pensa que vai se sair bem por ter chamado a minha mãe de velha, espera que você verá! Vai ter que aguentar as atitudes de velha dela! [risadas de fundo]

Dona Florinda: Tesouro!?

Quico: É que...

Dona Florinda: Está bem, tesouro. Vamos entrar, filho

Quico: Sim, mamãe.

[Dona Florinda e Quico entram para casa]

Chiquinha: E depois desta gritaria, eles ainda falam que eu e meu pai que somos a gentalha [risadas de fundo] Chaves, aonde você vai?

Chaves: Dona Florinda disse pra eu comprar umas caixas de leite e disse que eu podia ficar com o troco

Chiquinha: Mas Chaves, você não gostaria de ampliar o dinheiro para aumentar o troco?

Chaves: Como?

Chiquinha: É só plantar uma moeda naquele vasinho. Molha e espera crescer uma árvore de dinheiro.

Chaves: Isso, isso, isso, isso! [risadas de fundo]

[Chaves planta a moeda e começa a regar. Chiquinha começa a rir] [risadas de fundo]

[seu Madruga sai da casa dele]

Seu Madruga: Chaves, já entregou os leites que eu pedi?

Chaves: Claro! Fui até o 28... [Aponta para o 2º pátio e sem ver molha Seu Madruga com o regador] [risadas de fundo]

Seu Madruga: Tinha que ser o Chaves denovo! Toma! [seu Madruga bate no Chaves]

Chaves: Pipipipipipipipi!

Seu Madruga: Pipipipipipipipi! [risadas de fundo]

[Quico sai de casa]

Seu Madruga: Toma mais cuidado, tonto!

Chaves: É quem me chama! [risadas de fundo]

Seu Madruga: O quê?!

Quico: Alguém me chamou? [risadas de fundo]

Chiquinha: Como é burro! Não, Quico! O Chaves e o meu pai estavam falando de outro idiota. [risadas de fundo]

Quico: Ah, Bom! É que....O quê? Você não vai com a minha cara? [risadas de fundo]

Chaves: Não, é que eu estava falando do Seu Madruga

Seu Madruga: É verdade e....O Quê? [risadas de fundo]

[Quico começa a rir]

Quico: O Seu Madruga é um idiota!

[risadas de fundo]

[seu Madruga faz uma cara de bravo para o Quico]

Quico: Bobalhão?...Trouxa? Gentalha, isso sim.... Burrinho de carga? Não deu!

[risadas de fundo]

[seu Madruga dá um beliscão em Quico]

Quico: MAMÃE!

[risadas de fundo]

[Dona Florinda sai de sua casa]

Dona Florinda: O que foi, tesouro?

Quico: O Seu Madruga me beliscou!

Seu Madruga: É que eu...

[Dona Florinda bate no Seu Madruga] [risadas de fundo]

Dona Florinda: Vamos tesouro, não se misture com essa gentalha!

Quico: Sim, mamãe! Gentalha, gentalha pfff! [risadas de fundo]

[seu Madruga joga o chapeu no chão]

Dona Florinda: Hoje vai ser difícil eu ficar de bom humor.

[Dona Florinda se vira e encontra o Professor Girafales. Dona Florinda fica de bom humor]

[risadas de fundo]

Dona Florinda: Mas é o Professor Girafales!

Quico: Sim, o meu papi

[risadas de fundo]

[Professor Girafales e Dona Florinda ficam se olhando apaixonadamente um para o outro. Quico fica contente. Seu Madruga fica fazendo caretas para Dona Florinda]

[risadas de fundo]

[Música de fundo]

2º Bloco

[Chaves e Chiquinha estão no pátio]

Chiquinha: Chaves, já plantou a sua moeda?

Chaves: Sim! Agora... Chiquinha?

Chiquinha: O que, Chaves?

Chaves: Você já não me enganou uma vez com esta história?

Chiquinha: E você como é burro, plantou mais uma vez a moeda em um vasinho, com a esperança de nascer uma árvore de dinheiro. Hahaahahahaah! [Chiquinha começa a rir]

[risadas de fundo]

Chaves: E você ainda rir! Heheeheehhee! [Chaves começa a rir]

Chiquinha: Por que você fala isso?

Chaves: Você não se lembra que você foi a única que se deu mal nesta história? Heheheehe! [Chaves rir mais uma vez e vai para a venda comprar o leite da Dona Florinda. Chiquinha fica com cara de boba]

[risadas de fundo]

[A cena muda com o Chaves sentado na escada triste. Chiquinha sai de sua casa]

Chiquinha: O que aconteceu, Chaves?

Chaves: Tenho muito azar. Eu pensei que eu receberia um bom troco, mas o preço de leite aumentou e não recebi quase nada

[Dona Florinda e Professor Girafales saem de sua casa para passear]

Chiquinha: Mas é por causa dos energéticos, Chavinho.

Chaves: O que a energia tem haver com os leites?

[risadas de fundo]

[Professor Girafales houve o que o Chaves diz e decide explicar para ele]

Professor Girafales: Não, Chaves. Os energéticos não tem nada haver com energia. Os energéticos tem haver com a inflação.

Chaves: Inflamação?

[risadas de fundo]

Professor Girafales: Inflação, Chaves! Você não sabe o que é inflação?

Chaves: Sim. A inflação é o aumento persistente e generalizado no valor dos preços.

[risadas de fundo]

[Dona Florinda, Professor Girafales e Chiquinha ficam espantado com a resposta do Chaves]

Professor Girafales: É... É isso, Chaves.

[risadas de fundo]

Dona Florinda: Já que ele sabe, vamos?

Professor Girafales: Vamos

[Dona Florinda e Professor Girafales vão passear]

Professor Girafales: Nem eu sabia direito o que era inflação

[risadas de fundo]

[Dona Florinda olha para câmera espantada]

Chaves: Ainda bem que a Dona Florinda não viu a garrafa de leite vazia

[risadas de fundo]

Chiquinha: Você não entregou para Dona Florinda?

Chaves: Pois, pois, pois...

[Quico sai de sua casa]

Quico: Chaves, você não entregou o leite até agora.

Chaves: Eu bebi tudo

[risadas de fundo]

Quico: Ah, bom... O quê?!

Chaves: Pois, pois...

Quico: Sorte sua que o Professor está aqui, assim a minha mãe nem vai perceber que você não trouxe o leite. Mas eu já ia me esquecendo. Tenho boca para falar, não é? [Quico começa a rir]

[risadas de fundo]

Chaves: Mas agora que sua mãe está com o Professor Girafales, eles só vão tomar café

Quico: E se eu falar para minha mãe oferecer café com leite para o Professor Girafales?

[risadas de fundo]

Chiquinha: Quico, deixa de ser um menino ruim, ainda mais agora

Quico: Por que diz isso?

Chiquinha: Porque o coitado do Chavinho não recebeu quase nada de troco quando foi comprar o leite

Quico: Ah!

Chiquinha: Chaves, você poderia fazer o que eu faria no seu lugar

Chaves: E o que é?

Chiquinha: Você deveria falar para o vendedor que você enxergava mal e que você deu mais dinheiro para ele. Assim você teria mais troco

[risadas de fundo]

Chaves: Ah, é! Pois saiba que você que está enxergando mal, por estar olhando para a pessoa errada. Eu nunca faria isso e nem voltarei a fazer

Chiquinha: Chaves, que tal se você ir morar comigo e o meu pai?

Chaves: Eu falo dos meus problemas e você continua não ligando

Chiquinha: Mas eu disse que você poderia ir morar comigo e o meu pai

Chaves: Por isso

[risadas de fundo]

Chiquinha: Mas Chaves, na minha casa você vai ter o que comer

Chaves: É sério?!

Chiquinha: Sim, pois é, pois é, pois é!

Chaves: Zás, zás, aí eu ia comer... e... e... e ia comer muito e... zás!

[risadas de fundo]

Chiquinha: Eu vou procurar o meu pai

[seu Madruga sai da casa dele. Ele vem assobiando e varrendo o pátio. Ele passa a vassoura nos pés do Chaves]

Chaves: Por acaso eu sou invisível?

[risadas de fundo]

[Chiquinha encontra o Seu Madruga]

Seu Madruga: Desculpa, Chaves

Chaves: Tudo bem. Mas eu sempre tenho que ter problemas aqui na vila. Hoje eu não recebi quase nada de troco e tudo por causa da energia

[risadas de fundo]

Chiquinha: Energéticos, Chaves

Seu Madruga: Bom, agora está aumentando tudo, Chaves

Quico: Menos a Chiquinha! [Quico começa a rir]

[risadas de fundo]

Quico: Continua bem pequenininha [Quico continua rindo]

[seu Madruga faz cara de bravo para o Quico]

Seu Madruga: Com certeza a sua inteligência não precisa aumentar

[Quico fica contente]

Seu Madruga: Já que você não tem mesmo!

[risadas de fundo]

Quico: Não vai com a minha cara?

Seu Madruga: Ah, é?

[seu Madruga belisca o Quico]

Quico: Agrrrrrrrrrr! [Quico começa a chorar]

[risadas de fundo]

Chiquinha: Papai, o Chaves pode ir morar com agente,?

Seu Madruga: O quê?

Chiquinha: Desse jeito acabaria com todos os problemas que ele tanto questiona

Seu Madruga: Mas desse jeito aumentaria os meus problemas, filhinha

[risadas de fundo]

Chiquinha: Ah, papai [Chiquinha fica triste. Chaves também fica triste]

Seu Madruga: Tudo bem. O Chaves pode morar com agente

[Chaves e Chiquinha ficam contentes]

Quico: Agora sim a gentalha está reunida

[risadas de fundo]

Seu Madruga: E você cale a boca!

Quico: Quero saber como vai fazer para ter o Chaves em sua casa

Seu Madruga: Eu também queria saber

[risadas de fundo]

Chaves: Então, vamos entrar logo!

Seu Madruga: Espera, Chaves

[seu Madruga, Chaves e Chiquinha entram em casa]

Chaves: Nestes pratos que vamos comer, né?

[Chaves derruba os pratos]

[risadas de fundo]

Seu Madruga: Sim, Chaves

[seu Madruga olha com cara de bravo para o Chaves]

[risadas de fundo]

3º Bloco

[seu Madruga, Chiquinha e Chaves estão tomando café da tarde]

Seu Madruga: Chaves, pega um copo de leite para mim

Chaves: Sim

[Chaves entra na cozina. Coloca o leite no copo, mas não aguenta olhar e toma todo o leite. Chaves procura mais leite na geladeira, mas já não tem mais nada. Ele começa a ficar desesperado até que tem uma ideia. Com o resto de leite que sobrou no final de copo, Chaves enche de água e o leite fica ralo]

[risadas de fundo]

Chaves: Aqui está o leite

Chiquinha: Chaves, que tipo de leite é este? Está estranho

Chaves: Quem é que vai saber

[risadas de fundo]

[seu Madruga toma todo o leite ralo e faz uma cara de quem gostou]

Seu Madruga: Obrigado, Chaves

[risadas de fundo]

[Chaves fica espantado que o Seu Madruga tomou todo o leite ralo]

[risadas de fundo]

Seu Madruga: Ah, Chaves. Eu tinha comentado com a Dona Florinda que eu ia te dar um sanduíche de presunto, depois que você fizesse o favor de entregar os leites no 28

Chaves: E?!

Seu Madruga: Eu fico devendo

[risadas de fundo]

[Chaves olha trsite para câmera]

[risadas de fundo]

[A cena muda para a casa da Dona Florinda e do Quico]

Dona Florinda: Foi ótimo o passeio, Professor

Professor Girafales: Foi mesmo

Dona Florinda: Quer mais café?

Professor Girafales: Aceito sim

[Dona Florinda pega o café e a xícara]

Quico: Mamãe, você sabia que o Chaves está morando com o Seu Madruga e a Chiquinha?

Dona Florionda: Não pode ser. Agora morando junto eles vão fazer mais bagunça, como sempre [Dona Florinda começa a derramar café no Professor sem ela perceber]

Professor Girafales: Ai! Como isso arde!

[risadas de fundo]

Dona Florinda: Desculpa, Professor Girafales! [Professor pega um pano para limpar]

Professor Girafales: Não se preocupe, Dona Florinda. Voltando ao assunto do Chaves, eu acho ótimo que ele tenha ido morar na casa do Seu Madruga. Muitas vezes o Chaves chega cansado na escola por não ter dormido direito. Consequentemente ele tira uma nota ruim. Agora ele dormirá melhor na casa do Seu Madruga

Dona Florinda: Professor, não vê que isso é desculpa dele por tirar nota baixa

Professor Girafales: Eu posso dizer para a senhora que são muitos que tiram notas baixas na escola. O Quico poderia dizer isto também por expreriência própria

[risadas de fundo]

Dona Florinda: Tesouro, quer dizer que você também tira notas baixas?

Quico: Ninguém disse isso, mamãe

[risadas de fundo]

[Já é de noite. A cena muda para a casa do Seu Madruga e da Chiquinha]

Seu Madruga: Vamos dormir, crianças?

Chiquinha: Sim. Chaves, você vai dormir no sofá e eu durmo no meu quarto

Chaves: E o seu pai?

Seu Madruga: Eu durmo aqui no móvel da sala

[risadas de fundo]

Seu Madruga e Chiquinha: Boa noite, Chaves

Chaves: Boa noite

[seu Madruga começa a roncar bem forte. Chaves não consegue dormir]

[risadas de fundo]

Chaves: Só me faltava isso

[Chaves vai até o quarto da Chiquinha]

Chaves: Chiquinha

Chiquinha: Ai! Um bandido, um bandido! [Chiquinha joga o travesseiro no Chaves]

[risadas de fundo]

Chaves: Sou eu, Chiquinha

Chiquinha: Ainda bem. O que você quer?

Chaves: Seu pai não me deixa dormir. Ele está roncando sem parar

[risadas de fundo]

Chiquinha: Eu também não estou conseguindo dormir. Mas eu vou resolver isso

[Eles saem do quarto]

Chaves: Nós vamos colocar algumas coisa para tapar os nossos ouvidos?

Chiquinha: Não adiantaria. O ronco dele é muito forte. Parece um caminhão freando

[risadas de fundo]

Chaves: O que você vai fazer?

Chiquinha: Uma coisa que vai funcionar muito bem. Veja: [Chiquinha começa a imitar uma apresentadora de televisão] Para todos aqueles que estão assistindo o programa de sorteio “Para que pensar no amanhã, se você pode ficar milionário hoje”,[risadas de fundo] já temos um convidado. Pode entrar Seu Madruga.[seu Madruga faz uma cara de contente enquanto dorme] [risadas defundo] Ele está com o bilhete do sorteio e o número do bilhete dele é: 877. Vamos ver se ele vai ficar milionário e se ele perder, azar o dele. [seu Madruga faz uma cara de bravo enquanto dorme] [risadas de fundo]

Vamos sortear os números e vê se o Seu Madruga vai ganhar. Já foram sorteados os números. São os números: 8 – 7 – 7! Seu Madruga é o novo milionário! [seu Madruga bota uma baita de um sorriso no rosto e fica tão contente que dorme tranquilamente] [risadas de fundo]

Chaves: Nossa!

[risadas de fundo]

Chiquinha: Não está mais roncando, viu

Chaves: Mas será que seu pai não morreu de tanta alegria?

Chiquinha: Claro que não, Chaves

Chaves: Eu vou fazer a prova. Seu Madruga corre, corre, pois a Dona Florinda quer bater no senhor! [seu Madruga fica desesperado enquanto dorme] [risadas de fundo]

Ela se prepara para bater no senhor e... Leva um tabefe [seu Madruga vira o rosto pensando que levou um tabefe] [risadas de fundo]

[seu Madruga se levanta e fala dormindo]

Seu Madruga: Eu levei este tabefe por sua culpa, Chaves! Toma!

[seu Madruga bate no Chaves enquanto dorme]

Chaves: Não morreu e... Pipipipipipippipipi!

[risadas de fundo]

Chiquinha: Por que você foi fazer isto, Chaves. Olha, meu pai voltou a dormir muito feliz e não vai roncar mais

Chaves: Mas ele me deu um cascudo!

Chiquinha: Vamos dormir, Chaves

[Chiquinha vai para o quarto. Chaves deita no sofá]

[A cena muda para a casa da Dona Florinda e do Professor Girafales]

Professor Girafales: Dona Florinda, está muito tarde! Eu preciso ir

Dona Florinda: Tudo bem, Professor

Quico: Professor, o senhor vai começar a me dar uma nota boa na escola? Lembre-se que você gosto muito da minha mãe. Não vai querer decepcioná-la, vai?

[risadas de fundo]

Dona Florinda: Quico!

Professor Girafales: Bom, se sua mãe querer...

[risadas de fundo]

Dona Florinda: Professor Girafales! Eu jamais pediria para o senhor dar uma nota boa para o Quico, só por causa do nosso relacionamento

Professor Girafales: A sua mãe tem razão, Quico. Bem, eu já estou indo

Dona Florinda: Adeus, Professor Girafales

Professor Girafales: Adeus, Dona Florinda

Quico: Adeus, papi

[risadas de fundo]

Quico: Digo, Professor

Professor Girafales: Adeus, Quico

[A cena muda para a casa do Seu Madruga a da Chiquinha]

[uma mosca começa a irritar o Chaves.]

[risadas de fundo]

[Chaves começa a jogar várias coisas para acertar a mosca. Pisa em cima do sofá para tentar pegar a mosca]

[risadas de fundo]

[Professor Girafales sai da casa da Dona Florinda e é acertado pelo cofrinho jogado por Chaves]

[risadas de fundo]

[Professor Girafales escuta a barulheira na casa do Seu Madruga]

Professor Girafales: O Seu Madruga está tendo tanto trabalho com o Chaves, que precisa descontar em mim.

[risadas de fundo]

[Professor Girafales vai embora da vila. Chaves vê se o Professor já foi embora. Então, ele joga um quadro para acertar a mosca, mas ela escapa e faz um barulho debochando dele]

[risadas de fundo]

[Chaves fica irritado e começa a derrubar os quadros, quebra os vidros da janela... Até que ele acerta sem querer o Seu Madruga, mas mesmo assim não acorda]

Chaves: Minha nossa!

[risadas de fundo]

[Chiquinha houve os barulhos da sala]

Chiquinha: Puxa, o meu pai começou a roncar diferente agora.

[risadas de fundo]

[Chaves continua destruindo a casa do Seu Madruga, até que ele consegue matar a mosca. Ele joga a mosca pela janela]

Chaves: Me sinto invencível!

[risadas de fundo]

[Mas Chaves olha espantado por ter destruído a casa do Seu Madruga]

Chaves: E agora?!

[risadas de fundo]

[Já e de manhã. Chquinha acorda e se depara com a bagunça e o Chaves sentado no sofá]

[risadas de fundo]

Chiquinha: CHAVES?! O que aconteceu aqui?!

Chaves: Eu queria domir, mas a mosca não deixava e comecei a destruir as coisas

Chiquinha: Se o meu pai acorda e vê toda esta bagunça, eu não vou pensar duas vezes e vou te acusar. Não quero que ele pense que foi eu que fiz esta bagunça

[risadas de fundo]

Chaves: Mas Chiquinha...

[seu Madruga se levanta. Chiquinha começa a distrair ele]

Chiquinha: O meu pai se levantou! Papai, vamos até a cozinha. Eu quero que o senhor prepare o meu café da manhã

Seu Madruga: Tudo bem

[seu Madruga não percebe a bagunça e eles entram na cozinha]

Seu Madruga: Chiquinha?

Chiquinha: Sim, papai

Seu Madruga: Se o Senhor Barriga vier hoje, pode deixar ele entrar. Tenho dinheiro suficiente para pagar os 14 meses de aluguéis atrasados

Chiquinha: Com que dinheiro?

Seu Madruga: Você não ficou sabendo? Eu ganhei muito dinheiro ontem em um programa de televisão

[risadas de fundo]

[Chiquinha fica desesperada]

Chiquinha: Mas papai...

Seu Madruga: Ontem eu também levei um tabefe da Dona Florinda e tudo por causa do Chaves. Eu vou lá ver ele

Chiquinha: NÃO!

[risadas de fundo]

[seu Madruga e Chiquinha saem da cozinha]

Seu Madruga: Chaves, ontem eu levei um tabefe da Dona Florinda por causa de você e só não te dou outra...

[seu Madruga percebe a bagunça que Chaves fez]

[risadas de fundo]

Seu Madruga: O que houve aqui?

[Chiquinha muda de assunto]

Chiquinha: Sabe, papai. Você não levou nenhum tebefe da Dona Florinda ontem. Eu fiz uma brincadeira com o senhor

Seu Madruga: Sim, mas eu quero saber o que houve aqui?

Chiquinha: O dinheiro que você ganhou também foi uma brincadeira

[risadas de fundo]

Seu Madruga: Sim, mas eu quero... Brincadeira?!

[seu Madruga fica triste]

Chiquinha: Sim

[risadas de fundo]

[seu Madruga começa a ficar irritado]

Seu Madruga: Mas o que aconteceu aqui? Chaves?

Chaves: Pois, pois, pois... Pelo menos eu matei a mosca

[risadas de fundo]

[seu Madruga fica bravo e depois começa a chorar. No final a Chiquinha começa a arrumar toda a casa e o Chaves vai para o barril]

[risadas de fundo]

FIM

A parte em negrito do roteiro, foi o Bruno (Gogetareborn) que fez. Ele mandou o roteiro incompleto e sem título por MP para que eu continuasse com o roteiro e coloquei um título.

Colaboração: Bruno Mattos da Silva

Share this post


Link to post
Bruce Dubber

Muito bom guilherme,fico muito bom a sua parte,tem certeza que não quer me mandar uma sinopse pra mim fazer um roteiro?

Share this post


Link to post
Chaves 1000

É que agora eu não tenho nenhum episódio em andamento no computador. Fiquei a manhã toda fazendo este roteiro. Gastei muito tempo. Mas quando eu tiver, eu passo para você. :joinha:

Share this post


Link to post

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...