Jump to content
Sign in to follow this  
E.R

Finanças dos clubes de futebol

Recommended Posts

E.R

https://www1.folha.uol.com.br/esporte/2018/08/portuguesa-aposta-em-alugueis-e-feira-de-ambulantes-para-pagar-jogadores.shtml

Com dívida estimada em R$ 350 milhões e defendendo-se de mais de 60 ações trabalhistas na Justiça, o presidente da Portuguesa, Alexandre Barros, encontrou um caminho para poder fazer com que a equipe sobreviva: alugar a área do Canindé.

É dessa forma que o time da capital paulista consegue pagar os salários de funcionários e jogadores. As contas do clube estão penhoradas.

Atualmente, a equipe rubro-verde aluga o ginásio de esportes por R$ 60 mil para a Igreja Renascer, além de uma churrascaria na Marginal Tietê, por R$ 20 mil. O dinheiro, no entanto, vai diretamente para os seus credores.

Recentemente, foi lançado mais um projeto para fazer dinheiro com o espaço do clube. A ideia é reformar o local e criar uma espécie de feirinha da madrugada. Assim, ambulantes que hoje trabalham de forma ilegal nas ruas de São Paulo iriam para o Canindé.

Barros defende a legalidade da atuação dos vendedores.

“O forte deles não é a falsificação, é a confecção que vem em alta escala, sem a marca. O forte é vender a calça jeans que não tem marca para um comerciante do interior de São Paulo ou do Brasil. O cara vai comprar por R$ 8 aqui e vender por R$ 35 lá, por exemplo”, afirma o mandatário.

“A determinação da Portuguesa é que não vai ficar ninguém na ilegalidade no Canindé. Todos terão firma aberta e contrato fixo. Foi uma das nossas preocupações”, completa.

Atualmente, contudo, a obra da feirinha está embargada por falta de alvará. A previsão para inauguração já mudou de data seis vezes.

O último prazo dado por Barros para que a feirinha comece a funcionar é metade de setembro. O clube tem interesse em ver o negócio funcionando rapidamente e estima faturar até R$ 150 mil.

O aluguel da antiga área das piscinas, que foram desativadas, renderá R$ 75 mil. Uma outra área, que pertencia ao antigo terrão, deve render a outra metade. Além dos aluguéis fixos, o clube ainda trabalha com outros tipos de eventos, por exemplo shows, em seu espaço.

Por outro lado, as locações conflitam com o planejamento esportivo da equipe.

A última participação da Portuguesa em competição nacional foi no ano passado, quando acabou eliminada na Série D do Brasileiro ainda na primeira fase. Agora, para garantir um lugar no torneio em 2019, será necessário erguer a taça da Copa Paulista.

Nos dois primeiros jogos, soma uma vitória e um empate. Neste sábado (11), às 15h, enfrentará o Atibaia fora de casa.

Em duas datas já alugadas do estádio, os dias 5 e 9 de setembro, a equipe enfrentará Taboão da Serra e Atibaia, respectivamente, pela competição estadual.

“É isso que mantém a gente enxugando o gelo. Podem acontecer de alguns jogos serem substituídos do estádio por causa de eventos. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”, afirma.

“Esse dinheiro já veio e já o utilizamos para pagar salários. Agora, eu tenho que fechar evento para novembro, dezembro, janeiro do ano que vem, para conseguir ir pagando os salários”, diz Barros.

Segundo o presidente, quando as datas dos aluguéis foram negociadas ainda não havia uma definição sobre a tabela da Copa Paulista.

Por contrato, a cada evento alugado, o clube tem que liberar o estádio cinco dias antes, para a montagem, e dois dias depois, para a desmontagem dos equipamentos.

Para minimizar o prejuízo esportivo, ele diz que tentará antecipar a partida do dia 5 de setembro para 30 de agosto.

“Analisando a tabela, uma data acho que vamos conseguir [mudar]. A outra, não. Pode ser que esse jogo do dia 9 de setembro seja em outro lugar, provavelmente no Anacleto Campanella [estádio do São Caetano]”, explica.

Há ainda um problema maior no radar. A atual área do Canindé, tão importante para fazer com que o clube funcione, já foi a leilão duas vezes. Em nenhuma das ocasiões, contudo, houve cadastrados.

O presidente diz que a ideia de perder a área não assusta.

“Essa possibilidade é remota ou quase inexistente. Tem que injetar esse dinheiro para pegar o lugar depois de cinco, seis, dez anos. Não vamos sair daqui fácil. E ninguém bota seu dinheiro para esperar dez anos para investir”, diz Barros.

Share this post


Link to post
Share on other sites
E.R

 

Número atual de sócios torcedores de alguns clubes brasileiros :

. Internacional - 207.796

. São Paulo - 155.928

. Grêmio - 152.564

. Palmeiras - 129.880

. Atlético-MG - 122.042

. Corinthians - 117.579

. Flamengo - 109.544

. Cruzeiro - 82.796

. Fluminense - 42.320

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...