Jump to content
Sign in to follow this  
chavesmaniaco1002

DISNEY

Recommended Posts

chavesmaniaco1002

disney-logo.png

Tópico para postagem de notícias, informações e comentários sobre a gigante do entretenimento Disney. Que daqui a pouco já terá comprado o mundo :P

Walt Disney é a companhia mais respeitada pelos consumidores

disney-1.png

 

Proprietária de consideráveis marcas em atividade no mercado, a Walt Disney foi apontada como a companhia mais respeitada pelos consumidores, em pesquisa de parâmetro internacional feita pela Forbes Japan, via Nintendo Life.

Os resultados foram obtidos em diversos países, que levou em consideração a qualidade dos serviços prestados, atendimento ao cliente e conteúdo, ou seja, aquilo que é ofertado para o cliente. Na lista também aparecem marcas como Netflix e Nintendo. Confira o resultado:

 - Walt Disney

- Hiltona

- Ferrari

- VISA

- Paypal

- Netflix

- Siemens

- Amazon

- Marriott International

- Mastercard

- Nintendo

- Toyota

 

fonte: ANMTV

Link da matéria

 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
E.R

https://observatoriodatelevisao.bol.uol.com.br/noticia-da-tv/2018/09/record-tv-fecha-parceria-com-a-disney-para-transmissao-no-playplus

A Record TV fechou parceria com a Disney.

O serviço de streaming transmitirá todo o conteúdo dos canais Disney Junior, Disney Channel e Disney XD em live, sem programação on demand.

De acordo com o Notícias da TV, o PlayPlus terá os programas dos canais fechados e os assinantes poderão escolher quais desejam assistir.

Os planos variam entre R$ 12,90 e R$ 32,80 mensais.

  • Wow 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
E.R

DpK_2_OXgAAzgid.jpg

Foi divulgado hoje o pôster do filme do Aladdin.

Share this post


Link to post
Share on other sites
E.R

https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2018/11/mickey-mouse-chega-aos-90-anos-como-um-lucrativo-sobrevivente-dos-tempos.shtml

Os 90 anos de Mickey e sua evolução de simples camundongo até marca de um dos maiores impérios do entretenimento mundial são motivos de comemoração para a Disney — pelo aniversário em si e pelas várias oportunidades de lucrar com a ocasião.

Especiais na televisão americana, mais de 30 livros sobre o personagem e parcerias com nomes como Marc Jacobs estão entre as novidades anunciadas para celebrar as nove décadas de Mickey.

O camundongo é um sobrevivente das mais variadas tendências tecnológicas e mudanças comportamentais.

Em sua primeira aparição, no curta de oito minutos "Steamboat Willie", obra de 1928, é praticamente outro o Mickey que pinta na tela. O personagem, em preto e branco, não tem a famosa luvinha branca, o nariz é menos arredondado e há até uma pancinha.

Em "Plane Crazy", que foi desenhado antes de "Steamboat Willie", mas lançado um ano depois, Mickey não tem nem sapato. Também em 1929, ele fala pela primeira vez, no curta "The Karnival Kid".

E praticamente uma década separa os dois curtas do grande divisor de águas do camundongo, "Fantasia" (1940). Mas, comparando os traços mais delicados do personagem, quanta diferença.

O feiticeiro do clássico da Disney já é a versão que marcaria o imaginário das gerações seguintes e que, 15 anos depois, veria nascer, na Califórnia, o primeiro dos parques temáticos que se transformaram em brutal fonte de receita para a empresa.

Só no ano passado, mais de 150 milhões de visitantes estiveram nos complexos da Disney. As atrações foram uma das formas encontradas para capitalizar em cima do carismático camundongo.

Vieram outras, sob a forma de bonecos, muitos filmes e desenhos para a TV. Com o passar dos anos, Mickey se consolidou como a marca registrada da Disney. O personagem, porém, perdeu parte do sucesso para franquias como "Branca de Neve", "O Rei Leão" e, mais recentemente, as princesas Elsa e Anna de "Frozen".

Ainda assim, é preocupação constante da Disney atualizar o ratinho e fazê-lo conversar com as novas gerações. O Mickey, agora, é animado por computação gráfica e interage com as crianças em "A Casa do Mickey Mouse".

A evolução do personagem nas últimas nove décadas é tema de uma mostra que, em 15 salas num prédio do West Side, em Nova York, pincela os seus principais momentos de Mickey pensada para agradar a diferentes gerações de fãs.

Embora a mostra seja didática a ponto de o visitante acompanhar a evolução de Mickey, é preciso ser um grande admirador para desembolsar os US$ 38 (quase R$ 145) do ingresso —só menores de três anos não pagam. Passado o susto na bilheteria, o público é recebido por um vídeo com diferentes Mickeys.

A exposição exige a interação do público. Em cada ambiente, assistentes se oferecem para fazer fotos ou explicar cada uma das obras.

O organizador, Darren Romanelli, diz que sua intenção principal foi que o público sentisse o mesmo que ele sente quando vai aos parques da Disney. "Queria o sentimento mágico de aventura, a inspiração. Mickey é um ícone de positividade."

Mas é um símbolo de sucesso também, como lembram os 26 Oscar que a Disney recebeu. Um deles está na primeira sala da mostra, que tem ainda uma réplica do barco de "Steamboat Willie" feita para fotos.

O filme é objeto de uma experimentação pelas mãos de 50 artistas, que fizeram uma releitura da primeira produção estrelada por Mickey. Com um fone de ouvido, o visitante pode assistir, lado a lado, original e recriação sincronizados.

Narrar a história de Mickey exigiu de Romanelli dois anos, período que ele usou para conceber a exposição e reunir os materiais. Mas sem deixar de lado personagens que contribuíram para a fama do camundongo.

É o caso das mulheres do departamento de tintas e pintura, que funcionou nos anos 1930 e 1940. Elas eram responsáveis por aplicar cores e efeitos especiais ao desenho.

Como é de se esperar, "Fantasia" tem um ambiente próprio, que recria o cenário do filme e traz uma réplica gigante do chapéu de feiticeiro usado por Mickey.

O aniversário é ocasião para lembrar ainda "O Clube do Mickey", programa infantil que foi berço de nomes famosos como Britney Spears e Christina Aguilera. A esta altura, não resta dúvida de que o ratinho mais famoso do mundo já deve estar se preparando para o seu centenário.

Share this post


Link to post
Share on other sites
E.R

https://hugogloss.uol.com.br/tv/disney-revela-elenco-completo-da-serie-de-high-school-musical-saiba-detalhes-da-produc

Na última sexta-feira , a Disney revelou o elenco completo da série de televisão “High School Musical : The Musical” e anunciou que a produção já começou a ser gravada. Prevista para estrear no Disney+, serviço de streaming do estúdio que deve chegar até o fim do ano, a série vai mostrar os estudantes do icônico East High na preparação de um musical baseado no fenômeno “High School Musical”.

A série vai ser gravada em estilo documentário (como em “The Office”) e vai mostrar os dramas que surgem durante a produção do musical.

Os protagonistas são os ex-pombinhos Ricky (Joshua Bassett) e Nini (Olivia Rodrigo), que terminam na volta às aulas depois que ela decide ficar com outro garoto. Mas Ricky, que não é de desistir tão fácil, acaba se inscrevendo nas audições da peça torcendo para que sua ex-namorada e ele ganhem os papeis de protagonistas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
E.R

O jornalista Mário André Monteiro, disse em sua conta no Twitter, que a Record está interessada em comprar os canais Fox Sports, que a Disney precisa vender.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Usagi White

Eu li certa vez,que depois que o SBT não renovou o contrato passa passar o Mundo Disney, eles procuraram a Record e a Band.

Share this post


Link to post
Share on other sites
E.R

O que dizem é que a Band queria o Mundo Disney de manhã, mas a Disney não se interessou.

 

-

https://veja.abril.com.br/economia/de-olho-no-passado/

 

A Disney bem que tentou convencer o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade, órgão responsável por zelar pela livre concorrência) a aprovar sem ressalvas sua aquisição da 21st Century Fox, concretizada em julho do ano passado nos Estados Unidos — mas com desdobramentos no Brasil, onde ambas atuam. Seu presidente mundial, Bob Iger, foi a Brasília há duas semanas falar com os conselheiros da autarquia, mas acabou tendo de ceder. Na última quarta-feira, dia 27, o Cade abençoou a operação, desde que o gigante do entretenimento venda o canal Fox Sports. Para a entidade, uma só empresa não pode concentrar duas das três maiores redes de canais esportivos do país, e a Disney já é dona da ESPN. Mas a decisão soa um tanto anacrônica em 2019: a partir deste ano, parte dos jogos da Libertadores, o carro-chefe da Fox Sports, passará a ser transmitida em streaming pelo Facebook às quintas-feiras e os direitos da Copa Sul-Americana foram adquiridos com exclusividade pelo Dazn, um novo canal nas plataformas do YouTube e Facebook. Enquanto a batalha por telespectadores migra para o campo da internet, o Cade ainda está preocupado com a televisão a cabo.

A discussão não aconteceu somente no Brasil. A compra, que tirou mais de 70 bilhões de dólares dos cofres da Disney, precisou passar pela análise do Departamento de Justiça dos Estados Unidos por envolver dois dos maiores atores do mercado — e não só no esporte. Ambas as empresas têm estúdios de cinema e de animação, além de centenas de canais de TV abertos e a cabo. Para evitar a criação de um titã com capacidade de definir, sozinho, o que o telespectador vê e o que não vê, as autoridades americanas exigiram que alguns ativos da empresa comprada — o canal aberto Fox Broadcasting, os de TV a cabo Fox News e Fox Sports e estações regionais — ficassem de fora da negociação. Outros 23 países pediram explicações aos envolvidos. O Cade procurou dialogar com vários deles e coordenou o procedimento e possíveis soluções com seus pares no Chile e no México. A Disney comprometeu-se a vender o canal “de porteira fechada”, ou seja, estarão no pacote todos os direitos de transmissão pertencentes ao Fox Sports, os contratos com TVs por assinatura, funcionários-chave, imóveis e equipamento de transmissão. O próprio Cade consultou atores do mercado antes de se decidir por esse caminho, entre eles a americana Viacom (dona da MTV e do Nickelodeon) e as brasileiras RedeTV!, Record e Band.

Se por um lado a decisão do Cade não surpreende, uma vez que seus equivalentes estrangeiros tomaram atitudes similares, chama atenção que não tenha sido levado em conta o crescimento dos serviços de streaming esportivo no Brasil e no mundo. A autarquia frisou em seu parecer que a Disney/ESPN não poderia readquirir os direitos de transmissão pertencentes à Fox Sports. Mas a tendência mundial é que esses eventos migrem para a internet: a maior parte dos jogos dos estaduais e do Brasileirão já são exclusividade do Premiere, do Grupo Globo, que pode ser assinado no streaming. Além da Sul-Americana no Dazn e das partidas da Libertadores no Facebook, só é possível assistir aos jogos da Liga dos Campeões da Uefa e do Campeonato Francês — no qual atua o craque Neymar — na página da rede social. Enquanto a audiência das TVs cai, canais de esporte no YouTube atraem milhões de fãs. O Desimpedidos, por exemplo, com uma mistura de futebol e humor, tem mais de 7 milhões de inscritos. Para o conselheiro do Cade Paulo Burnier, o crescimento desse segmento ainda não apresenta uma concorrência direta aos canais esportivos da TV fechada por não ser da mesma natureza. Se os telespectadores concordam, aí é outra história.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
E.R

https://www.esporteemidia.com/2019/03/venda-do-fox-sports-vai-ser-anunciada.html

A Disney, que adquiriu o grupo FOX, vai anunciar em breve a separação do FOX Sports de seu portfólio de canais. A informação é do UOL, por Flávio Ricco.

A medida consta de acordo firmado com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e fará parte do processo de venda do canal, que será conduzido por um banco e terá que seguir rigorosas normas de governança corporativa dos agentes envolvidos. Além de receber os envelopes e analisar as melhores ofertas que estiverem alinhadas com a avaliação estipulada.

Exigências de compliance (conformidade com leis e regulamentos) podem inviabilizar a participação de muitas empresas na disputa pelo FOX Sports. No setor de comunicação, por exemplo, todas as com vínculos políticos e religiosos.

Globo e Bandeirantes, por sua vez, já estarão legalmente fora por já possuírem canais esportivos na TV fechada.

De acordo com o CADE, a venda do canal FOX Sports "tem como objetivo permitir que a estrutura do mercado permaneça com a mesma pressão competitiva anterior à fusão Disney-Fox, com a continuidade de três opções de canais de esportes para os consumidores no Brasil: SporTV (da GloboSat), ESPN (Disney) e mais uma nova empresa com os ativos do FOX Sports".

Share this post


Link to post
Share on other sites
Luciano Junior ✅

E saiu o trailer oficial de Toy Story 4:

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Doutor Delgadinho
Posted (edited)

Dizem que esse poderá ser um dos filmes mais tristes da Disney, inclusive o ator Tim Allen que dubla o Buzz no original, disse ter se emocionado com algumas cenas , principalmente perto do final que segundo ele são dificeis de assistir de tão fortes que são. Tem se cogitado algumas teorias sobre o final em que alguns dos personagens como Buzz ou Woody morreria, mas o que eu vi muito falar nos ultimos dias e que acho provável é que os personagens vão se separar no final do filme e cada um ficará com um dono diferente. 

Edited by Doutor Delgadinho

Share this post


Link to post
Share on other sites
E.R

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
E.R

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...