Jump to content
Sign in to follow this  
Mr. Zero

Arquivo de emissoras de TV em obras estrangeiras - Lenda ou realidade?

Recommended Posts

gustavo lins
4 minutos atrás, José Antonio disse:

Consegui ler o rótulo da terceira fita, é do filme "O templo das mil luzes" (The temple of a thousand lights). Pelo que li na internet passava na sessão das 10 antigamente:

 

Pois é, é um filme que a probabilidade da emissora exibir de novo é quase zero,mas ta lá preservadinho,  já dá pra deduzir que não é mais bem assim ao tratamento da emissora a enlatados como o Nelson disse, já foi, muita coisa se perdeu, mas o que sobreviveu ta preservado sim, o pensamento das emissoras mudou.

Edited by gustavo lins

Share this post


Link to post
Share on other sites
gustavo lins
Posted (edited)

Olha o SBT tirando o mofo de umas das fitas do arquivo e mostrando mais uma vez que existe sim preservação de obras estrangeiras :

 

Edited by gustavo lins

Share this post


Link to post
Share on other sites
Professor Inventivo
8 minutos atrás, gustavo lins disse:

Olha o SBT tirando o mofo de umas das fitas do arquivo e mostrando mais uma vez que existe sim preservação de obras estrangeiras :

 

Eu lembrei desse tópico na hora que vi a chamada hoje à tarde.

Realmente o SBT guarda muita coisa, digo o mesmo da TV Cultura que de vez em nunca ressuscita alguns desenhos e séries estrangeiras e dá pra notar que é fita de arquivo.

A Globo também guarda alguma coisa, pois as vezes se vê alguns filmes com dublagem que só eles têm (em DVD/VHS ou outra emissora que reprisa o filme vem com outra dublagem), mas penso que as vezes podem guardar somente a dublagem e inserir em qualquer cópia vinda das distribuidoras, a resposta é tchuim tchuin tchun clain!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Helenaldo
13 minutos atrás, gustavo lins disse:

Olha o SBT tirando o mofo de umas das fitas do arquivo e mostrando mais uma vez que existe sim preservação de obras estrangeiras :

 

Desculpe mas nesse caso em especifico eu creio que o SBT solicitou uma copia nova da série para a emissora original que exibiu isso nos anos 80.

Share this post


Link to post
Share on other sites
gustavo lins
Posted (edited)
8 minutos atrás, Helenaldo disse:

Desculpe mas nesse caso em especifico eu creio que o SBT solicitou uma copia nova da série para a emissora original que exibiu isso nos anos 80.

A imagem sim mas o áudio com certeza vem da cópia original do SBT que nem fizeram no filme Irmão Sol, Irmã Lua.

Edited by gustavo lins

Share this post


Link to post
Share on other sites
Helenaldo
1 minuto atrás, Professor Inventivo disse:

A Globo também guarda alguma coisa, pois as vezes se vê alguns filmes com dublagem que só eles têm (em DVD/VHS ou outra emissora que reprisa o filme vem com outra dublagem), mas penso que as vezes podem guardar somente a dublagem e inserir em qualquer cópia vinda das distribuidoras, a resposta é tchuim tchuin tchun clain!

No caso da Globo acredito que essas dublagens antigas que só eles tinham ficarão nos arquivos para sempre mesmo, dois exemplos que eu posso te dar são Grease e Karate Kid, ambos em suas ultimas exibições na Globo foram com dublagens novas.

  • Sad 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
gustavo lins
Posted (edited)
7 minutos atrás, Professor Inventivo disse:

Eu lembrei desse tópico na hora que vi a chamada hoje à tarde.

Realmente o SBT guarda muita coisa, digo o mesmo da TV Cultura que de vez em nunca ressuscita alguns desenhos e séries estrangeiras e dá pra notar que é fita de arquivo.

A Globo também guarda alguma coisa, pois as vezes se vê alguns filmes com dublagem que só eles têm (em DVD/VHS ou outra emissora que reprisa o filme vem com outra dublagem), mas penso que as vezes podem guardar somente a dublagem e inserir em qualquer cópia vinda das distribuidoras, a resposta é tchuim tchuin tchun clain!

Não, eles guardam é a fita original com imagem e áudio, essas imagens se não puderem mas serem exibidas podem ser usadas como material jornalistico.

4 minutos atrás, Helenaldo disse:

No caso da Globo acredito que essas dublagens antigas que só eles tinham ficarão nos arquivos para sempre mesmo, dois exemplos que eu posso te dar são Grease e Karate Kid, ambos em suas ultimas exibições na Globo foram com dublagens novas.

Isso foi escolha pessoal da emissora, não quer dizer que as fitas não estejam lá, apenas quer dizer que aquele áudio antigo não passa mas no padrão dela, não sei como é lá hoje mas antigamente o dublador Mário Jorge de Andrade era o responsável por decidir o que passava, o que era redublado e pra qual estúdio mandar, lá deve ter outra pessoa decidindo isso agora.

Edited by gustavo lins

Share this post


Link to post
Share on other sites
Helenaldo
3 minutos atrás, gustavo lins disse:

Isso foi escolha pessoal da emissora, não quer dizer que as fitas não estejam lá, apenas quer dizer que aquele áudio antigo não passa mas no padrão dela, não sei como é lá hoje mas antigamente o dublador Mário Jorge de Andrade era o responsável por decidir o que passava, o que era redublado e pra qual estúdio mandar.

De fato mas como eu disse acima, isso só ficou mesmo nos arquivos deles, atualmente quando se exibe algo antigo na TV aberta a emissora sempre solicita uma copia nova do filme ao estúdio que foi feito (claro se a exibição for legalizada), nisso o estúdio manda o filme para a emissora com a dublagem que exibem atualmente, que pode ser tanto uma antiga se for restaurada junto com o filme ou uma nova feita posteriormente, e a maioria das emissoras sempre opta pelo áudio novo, pelo menos na Globo ta sendo assim, ou seja quem sonhava com um Jurassic Park ou um De Volta Para o Futuro com dublagem antiga por lá melhor nem se animar tanto.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Alexandre C.
Em 16/11/2018 às 13:31, Mr. Zero disse:

Muito se discute aqui nesse fórum a respeito do arquivo que o SBT ou qualquer outra emissora que transmitiu as séries de Chespirito ao longo da história eventualmente mantêm. E se isso será mantido após um eventual rompimento do contrato com a Televisa. Ou seja, em linhas gerais: as cópias de obras estrangeiras adquiridas seriam guardadas para a posteridade ou apenas durante a vigência do contrato e depois descartadas?

Sabemos que a produção do próprio canal é arquivada eternamente. Essa não é a questão. A dúvida paira justamente a respeito de obras de terceiros, adquiridas durante a vigência de um contrato.

Pois bem, hoje surgiu um novo esclarecimento a respeito disso. O dublador Nelson Machado, em seu canal do YouTube, disse que o arquivo delas dura somente durante o contrato e depois são imediatamente descartadas. A declaração pode ser vista aos 7m30s desse vídeo:

Quais são seus pensamentos a respeito do tema?

 

O Nelson Machado pode entender de dublagem, mas de preservação e acervo ele demonstrou total despreparo pra falar. Segundo meus estudos na faculdade e posteriormente, um acervo de uma emissora tanto sendo de sua própria produção ou estrangeiras, é arquivado. O contrato de uma obra não estando vigente não faz com que a emissora descarte o produto. Isso pode acontecer ? Pode sim, mas essa prática vai contra a ética de preservação de um produto audiovisual e geralmente, emissoras de porte grande não são adeptas de ideias como essa.

Se formos pensar como Nelson Machado disse, muita coisa que foi dublada no ou para o SBT teria se perdido pra sempre ao longo dos anos, vide: Punky, Um maluco no pedaço, Três é demais, entre outras. Quando um contrato encerra o ciclo, o produto é arquivado pra caso haja uma renovação ou para alguma matéria ou algo do gênero, mas nunca descartado, o que pode acontecer é que em uma possível renovação de contrato de uma obra, a emissora peça uma cópia nova daquele produto para renovação de acervo, mas descarte não.

Share this post


Link to post
Share on other sites
gustavo lins
Posted (edited)
12 minutos atrás, Helenaldo disse:

De fato mas como eu disse acima, isso só ficou mesmo nos arquivos deles, atualmente quando se exibe algo antigo na TV aberta a emissora sempre solicita uma copia nova do filme ao estúdio que foi feito (claro se a exibição for legalizada), nisso o estúdio manda o filme para a emissora com a dublagem que exibem atualmente, que pode ser tanto uma antiga se for restaurada junto com o filme ou uma nova feita posteriormente, e a maioria das emissoras sempre opta pelo áudio novo, pelo menos na Globo ta sendo assim, ou seja quem sonhava com um Jurassic Park ou um De Volta Para o Futuro com dublagem antiga por lá melhor nem se animar tanto.

 Não é bem assim, cada caso é um caso, como eu disse antes tem alguém contrato só pra decidir o que passa ou não, pode ser que se um dia se esses filme voltarem ao seja passado sim a dublagem clássica, e muitas vezes o áudio sai dos arquivos da emissora, principalmente no caso de filmes aonde a dublagem é exclusiva da mesma.

8 minutos atrás, Alexandre C. disse:

O Nelson Machado pode entender de dublagem, mas de preservação e acervo ele demonstrou total despreparo pra falar. Segundo meus estudos na faculdade e posteriormente, um acervo de uma emissora tanto sendo de sua própria produção ou estrangeiras, é arquivado. O contrato de uma obra não estando vigente não faz com que a emissora descarte o produto. Isso pode acontecer ? Pode sim, mas essa prática vai contra a ética de preservação de um produto audiovisual e geralmente, emissoras de porte grande não são adeptas de ideias como essa.

Se formos pensar como Nelson Machado disse, muita coisa que foi dublada no ou para o SBT teria se perdido pra sempre ao longo dos anos, vide: Punky, Um maluco no pedaço, Três é demais, entre outras. Quando um contrato encerra o ciclo, o produto é arquivado pra caso haja uma renovação ou para alguma matéria ou algo do gênero, mas nunca descartado, o que pode acontecer é que em uma possível renovação de contrato de uma obra, a emissora peça uma cópia nova daquele produto para renovação de acervo, mas descarte não.

 Mas muita coisa se perdeu mesmo, essa é a questão, na época que o Nelson trabalhou no SBT (TVS) isso acontecia, o pensamento das emissoras era imediatista e até mesmo programas próprios da emissora se perderam por causa disso, só muito recentemente (relativamente falando) que as emissoras se tocaram que esse material a longa prazo tinha valor histórico e até comercial, por isso eu não digo que o Nelson disse aquilo de má-fé, ele ainda tinha aquela idéia do que acontecia lá atrás, sobre essas séries que você perceba que ou elas são relativamente recentes ou tiveram reprises nos 90, nessa época esse pensamento já tinha mudado bastante, agora tem casos por exemplo do desenho do Bozo que o SBT não conseguiu recuperar todos os episódios, ele teve que redublar mesmo.

Edited by gustavo lins

Share this post


Link to post
Share on other sites
Alexandre C.
8 minutos atrás, gustavo lins disse:

 Não é bem assim, cada caso é um caso, como eu disse antes tem alguém contrato só pra decidir o que passa ou não, pode ser que se um dia se esses filme voltarem ao seja passado sim a dublagem clássica, e muitas vezes o áudio sai dos arquivos da emissora, principalmente no caso de filmes aonde a dublagem é exclusiva da mesma.

 Mas muita coisa se perdeu mesmo, essa é a questão, na época que o Nelson trabalhou no SBT (TVS) isso acontecia, o pensamento das emissoras era imediatista e até mesmo programas próprios da emissora se perderam por causa disso, só muito recentemente (relativamente falando) que as emissoras se tocaram que esse material a longa prazo tinha valor histórico e até comercial, por isso eu não digo que o Nelson disse aquilo de má-fé, ele ainda tinha aquela idéia do que acontecia lá atrás.

Se perder, de fato isso acontecia, até pelo modo de como era arquivado... Mas o Nelson falou de uma maneira como se exemplo: O contrato de Chaves expirou, deletem tudo do acervo. Ele passou a ideia de como se fosse algo volátil.

Share this post


Link to post
Share on other sites
gustavo lins
Posted (edited)
11 minutos atrás, Alexandre C. disse:

Se perder, de fato isso acontecia, até pelo modo de como era arquivado... Mas o Nelson falou de uma maneira como se exemplo: O contrato de Chaves expirou, deletem tudo do acervo. Ele passou a ideia de como se fosse algo volátil.

"O programa recém editado é encaminhado ao tráfico de fitas onde vai ficar a disposição da emissora, após ser exibida a fita permanecerá  guardada por tempo determinado e caso não haja interesse em preservar a gravação será apagada  e reutilizada, caso o contrário a gravação vai pro arquivo definitivo."

Hoje em dia essa ideia de apagar seria inconcebível mas já teve uma época em que infelizmente isso era corriqueiro, era dessa forma.

Edited by gustavo lins

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...